Carros

Volvo promete trazer seu carro de volta em 3 horas ou menos

Divulgação
OnCall é sistema de monitoramento ininterrupto da marca sueca Imagem: Divulgação

Eugênio Augusto Brito

Do UOL, em São Paulo (SP)

18/11/2014 09h30Atualizada em 18/11/2014 12h26

Já faz alguns anos que o Brasil discute tornar rastreadores itens obrigatórios de carros novos, sem que governo, legisladores e o Contran (Conselho Nacional de Trânsito) cheguem a qualquer conclusão. Montadoras e fabricantes de aparelhos acham que o sistema deveria ser opcional -- alguns grupos acreditam que o uso compulsório fere princípios de privacidade, ainda que possa aumentar a segurança e reduzir furtos e roubos. Também está emperrado o chamado "RG do carro" (Sinav), chip eletrônico com dados de licenciamento, inspeções, multas e até histórico criminal do veículo.

Fato é que a Volvo, fabricante de hatches, sedãs, peruas e SUVs de luxo, divulgou informações interessantes sobre o assunto no último Salão do Automóvel, encerrado em 9 de novembro. A marca diz que seu serviço de rastreamento total de carros teve 7.500 adesões e zerou o número de acidentes com feridos/mortos, além de recuperar todos os automóveis roubados. Chamado OnCall, tem exatos dois anos -- estreou no Salão de SP de 2012.

No caso da Volvo, o rastreador é item de série para qualquer modelo da linha, que tem preço inicial de R$ 123 mil (o hatch médio V40). A ativação, porém, é opcional: quando contratado pelo cliente, opera por meio de conexão de celular privativa (o próprio carro tem seu chip 3G/4G atrelado ao rastreador, independente do celular do condutor), e funciona sem qualquer custo por dois anos. Depois, passa a cobrar anuidade de R$ 1.290. Daí a divulgação dos dados agora: a Volvo está confiante no sucesso do OnCall e acredita que os consumidores atuais devem renovar o serviço e que novos compradores devem aderir.

Segundo Luís Rezende, CEO da Volvo do Brasil, "Foram encontrados 100% dos carros roubados, sendo que 93% deles foram recuperados em até três horas".  A vantagem está, também, na exclusividade: "É um caso único no Brasil, não há serviço similar no país".

Divulgação
Aplicativo do OnCall permite mimos como travar/destravar portas e ligar o motor. O contrário também vale e pode ser usado em caso de risco à segurança: um toque na tela corta o combustível, desativa o motor e localiza o carro Imagem: Divulgação
11 SEGUNDOS
Existente em todo o mundo (nos países onde a marca atua, óbvio), o sistema OnCall é uma função de segurança em caso de acidentes. A função de recuperação em caso de roubo é um "efeito colateral" por assim dizer. A central da Volvo monitora o carro o tempo todo e é alertada da batida mais grave pelo próprio sistema do automóvel -- acionado, por exemplo, quando o airbag é acionado.

Reprodução
Novo Ford Ka possui solução próxima, mas não igual, ao OnCall: disponível apenas com o AppLinks (disponível a partir da versão SE Plus, de R$ 42.290, conecta a central multimídia do carro ao celular do condutor), o serviço liga automaticamente para o Samu (fone 192) em caso de acidente e acionamento dos airbags. É gratuito, mas obriga que o acidentado esteja consciente para conversar com o serviço público de emergência Imagem: Reprodução
Faz parte da meta da Volvo de ter "zero morte" (e virtualmente nenhum acidente sério) até 2018 -- bem como da meta de ter carros que se dirigem sozinhos até 2020. Atualmente, os carros da marca dispõem de radares, câmeras e sensores que tentam ao máximo evitar colisões com obstáculos, outros carros, pessoas e animais. Se tudo isso falhar, o rastreador dispara o sinal e a central OnCall liga para o carro acidentado. Se ninguém atender em 11 segundos, centrais de emergência (socorre médico e polícia) são ativadas.

A função que rastreia o carro em caso de roubo pode ser acionada pelo proprietário através de um aplicativo do celular -- ou de uma ligação para a central. O funcionamento é semelhante ao de serviços que localizam smartphones roubados (Apple, Samsung e Sony têm, por exemplo): na tela do celular, o app mostra a posição do carro no mapa, além de botões para localizar e até cortar o combustível do motor.

Segundo a Volvo do Brasil, são 7.500 carros conectados no país. Embora a marca tenha vendido apenas 2.940 carros em 2013 e número similar em 2012, o restante vem de donos de carros mais antigos, que também optaram pelo serviço. Segundo a marca, o sistema OnCall integra carros da Volvo desde 2011, mas sua ativação local foi adiada por conta do imbróglio das autoridades com o chip veicular, mesma solução que seria usada pela montadora inicialmente.

Destes, 28 foram furtados ou roubados e recuperados nestes dois anos, sendo que 26 (93%) foram reencontrados em até três horas. Um deles, na cidade de São Paulo, teria voltado para o cliente em 27 minutos. Não há dados sobre carros furtados/roubados sem o serviço. 

No caso de acidentes, foram registrados 16 casos -- nenhum com morte ou ferimento grave de ocupantes.

Apenas para constar, segundo o "8º Anuário Brasileiro de Segurança Pública", divulgado no começo de novembro (mas com dados referentes a 2013), foram 228.800 furtos/roubos de veículos registrados no Brasil em 2013.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Carros

Topo