Carros

Lifan traz sedã compacto 530 a R$ 38.990 e mira 4.000 vendas por ano

Claudio Luís de Souza

Do UOL, em Campinas (SP)

21/10/2014 16h55

A chinesa Lifan volta ao segmento dos carros de passeio com o sedã compacto 530, lançado no Brasil na semana passada e já à disposição nas atuais 49 concessionárias da marca. A importação dos modelos 320 (hatch, imitação do Mini Cooper) e 620 (sedã médio) foi abandonada em 2012, e desde o primeiro trimestre de 2013 a aposta única da fabricante era no SUV X60, surpreendente campeão de vendas entre os modelos chineses no Brasil. A Lifan também oferece no país a van comercial Foison.

Dotado de motor a gasolina 1.5 (103 cavalos, 13,6 kgfm) e câmbio manual de cinco marchas, o 530 é oferecido em duas configurações, a saber:

530 1.5 -- R$ 38.990
Ar-condicionado, direção eletroassistida, vidros com acionamento elétrico nas 4 portas, retrovisores com acionamento elétrico, acionamento elétrico das travas das portas, chave tipo canivete com telecomando para travamento das portas, coluna de direção com regulagem de altura, abertura interna do porta-malas e da tampa do combustível, porta-malas com iluminação, computador de bordo (consumos médio e instantâneo, autonomia, trip A e B), banco do motorista com regulagem de altura, banco traseiro reclinável e bi-partido (60/40), airbag duplo dianteiro, freios a disco nas 4 rodas com ABS/EBD, sensor de estacionamento, sistema de fixação de cadeiras para crianças Isofix, faróis de neblina dianteiros e luz de neblina traseira, repetidores de seta em LED nos retrovisores, faróis com máscara negra, rodas de alumínio aro 15", CD Player e rádio AM/FM e MP3 com entradas USB e AUX no console central, quatro alto-falantes.

530 1.5 Talent -- R$ 40.990
Mesmo conteúdo, mas troca o sistema de som por um sistema multimídia Navtech com tela tátil de 7" e DVD/CD/rádio AM/FM, navegação por GPS e MP3, Bluetooth com conexão de chamada de celular e entrada para cartão micro-SD.

Revestimento dos bancos em couro e luz diurna em LED formam um pacote à parte, por R$ 1.500 extras.

Divulgação
Visual é o ponto forte do Lifan 530; elementos de várias marcas se misturam nele Imagem: Divulgação
O 530 mira adversários como JAC J3 Turin -- seu rival mais óbvio, com o qual inclusive se parece quando visto de traseira, e que custa R$ 39.690 (1,4 litro, também somente a gasolina); Chery Celer (cuja nova geração ainda não foi lançada, mas será nacional), Toyota Etios Sedan, Fiat Grand Siena, Chevrolet Prisma, Volkswagen Voyage e Hyundai HB20S. Todos foram citados pelos executivos da Lifan durante apresentação do novo modelo, em Campinas (SP).

A fabricante diz que, em apresentações do 530 a potenciais consumidores, nas quais a marca do modelo não era revelada, cerca de 80% dos participantes afirmaram que o carro era Kia, Hyundai, Honda ou Toyota.

O design é o ponto alto do 530. Como costuma ser regra nos carros chineses, trata-se de uma mistura elementos de outras marcas (Toyota e Chevrolet são referências claras) que, no resultado final, acaba não se parecendo muito com nenhuma delas (e agradando).

Massudo e com paleta de cores limitada, mas com tonalidades bem vivas (preto, prata, branco, vermelho, azul), o 530 supera o J3 Turin quando olhado por fora.

Divulgação
Traseira alta do Lifan 530 permite oferecer um bom porta-malas de 475 litros Imagem: Divulgação
Por dentro, infelizmente, o acabamento do sedã é cheio de falhas (e o da JAC ganha de goleada). Os encaixes das peças são malfeitos, há um misterioso "porta-algo" no console (não cabe nada nele), o volante parece de brinquedo. Curiosamente, o cluster de instrumentos é bonitinho e até poderia estar num carro bem mais caro.

O espaço interno (entre-eixos de 2,55 metros, em 4,3 m de comprimento) é bom para quatro adultos, inclusive porque o assoalho é plano, sem túnel central. No banco de trás, porém, pessoas com mais de 1,75 m de altura precisam de paciência para ajeitar a cabeça. O porta-malas de 475 litros é muito bom.

Em movimento, o 530 lembra outros sedãs do mesmo porte e com motorização intermediária. Não empolga, mas também não chega a decepcionar. O isolamento acústico da cabine precisa de um pouco mais de capricho, pois o nível de ruído vindo do motor é um tanto alto; e o GPS é lamentável (é melhor usar algum app no seu smartphone).

Divulgação
Acabamento é sofrível, mas painel de instrumentos é completo e agradável Imagem: Divulgação
O plano da Lifan é emplacar cerca de mil unidades do 530 até o final do ano; em 2015, quer chegar a 4.000 vendas. A fabricante resolveu bancar cinco anos de garantia total para o sedã, e anuncia uma agenda de revisões bastante cômoda (a cada 10 mil km) e econômica -- até os 50 mil km o proprietário deve gastar pouco mais de R$ 1.500. 

Isso, mais design, pacote de equipamentos e preço, são fatores importantes para que a Lifan cumpra sua meta para o 530. Apostamos que vai conseguir -- o que não quer dizer que o aprovamos como carro.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Carros

Topo