Carros

Saiba quem são os 11 manda-chuvas do mundo dos carros

Xinhua/Brancolini/Fotogramma/Ropi/ZUMA Wire
Montezemolo (à direita) achou que mandava na Ferrari; foi embora após 23 anos à frente da marca... e sete dias bastaram para a empresa mudar totalmente de rumo Imagem: Xinhua/Brancolini/Fotogramma/Ropi/ZUMA Wire

André Deliberato

Do UOL, em São Paulo (SP)

17/09/2014 08h00Atualizada em 02/12/2014 16h46

Recentemente, a notícia sobre a saída de Luca Cordero di Montezemolo do comando da Ferrari, após uma briga com o chefão da Fiat, Sergio Marchionne, repercutiu de forma rápida e surpreendente pela internet. Menos de uma semana após a desavença, o Grupo Fiat decidiu mudar os planos da fabricante de superesportivos e aumentou a produção da La Ferrari, um dos últimos e (até então) mais exclusivos lançamentos da marca. 

A decisão serviu como movimento final na disputa de "braço-de-ferro" entre os executivos: Marchionne entrou na jogada, assumiu interinamente o posto deixado por Montezemolo, que comandava a Scuderia (falamos aqui da produtora de automóveis, não da equipe de F1) desde 1991, e alterou completamente o rumo da companhia, que agora vai produzir mais para gerar mais receita. Tudo o que a Fiat quer, nada do que Montezemolo e o velho comando da Ferrari queriam.

Você pode achar um carro mais ou menos bonito, mais ou menos útil e assinar um cheque mais ou menos alto para ter um automóvel na garagem. Mas a decisão sobre os rumos de cada montadora tem muito pouco -- ou nada -- a ver com isso e com você. Afinal, quem manda?

UOL Carros topa o desafio e mostra um breve perfil dos 11 principais executivos do setor, aqueles que mandam, desmandam e definem o futuro das empresas. A ordem da lista abaixo é aleatória, sem qualquer relação com rankings existentes.

Kim Kyung-Hoon/Reuters
1. Carlos Ghosn Imagem: Kim Kyung-Hoon/Reuters
Quem: Carlos Ghosn.
Marca: Renault-Nissan.
Cargo: chefão global da Renault-Nissan.
Salário oficial: cerca de 82,9 milhões de ienes (aproximadamente R$ 1,83 milhão) por mês (Forbes).
Idade: 60 anos (9 de março de 1954).
Nacionalidade: franco-brasileiro (Guajará-Mirim, RO).
Perfil: filho de libaneses, Ghosn nasceu no Brasil, mas viveu praticamente toda a infância no Líbano, até se mudar para a França na adolescência, para se formar em engenharia pela École Polytechnique (uma das mais antigas e prestigiosas escolas de engenharia francesa).

Começou a carreira na Michelin, mas ganhou destaque ao presidir a Renault e, em 1999, assumir a (então) endividada Nissan. Teve de demitir cerca de 20 mil pessoas durante a reestruturação da empresa japonesa -- daí surgiu o apelido de "cost killer" (matador de custos, em inglês). Após recuperar a Nissan, assumiu a presidência geral do grupo Renault-Nissan em 2007, posto onde está até hoje. Fala seis línguas fluentemente (português, inglês, francês, japonês, árabe e espanhol).

Rebecca Cook/Reuters
2. Sergio Marchionne Imagem: Rebecca Cook/Reuters
Quem: Sergio Marchionne.
Marca: Fiat Chrysler Automobile.
Cargo: chefão global da FCA; presidente da Fiat Industrial, presidente interino da Ferrari S.p.A. e presidente do conselho da SGS.
Salário oficial: cerca de 1,71 milhão de euros (aproximadamente R$ 5,19 milhões) por mês (Forbes).
Idade: 62 anos (17 de junho de 1952).
Nacionalidade: ítalo-canadense (Chieti, Abruzzo, Itália).
Perfil: filho de pai italiano e mãe croata, Marchionne nasceu na cidade de Chieti, região central da Itália, mas mudou-se aos 14 anos para o Canadá, onde se formou como profissional (graduou-se em filosofia, mas tornou-se doutor em direito).

Após passagens por empresas de inspeções e certificações (como a SGS S.A., onde até hoje permanece como membro do conselho), assumiu o comando da Fiat S.p.A., em 2004. Em 2009, com a primeira parte da fusão entre a Fiat e a Chrysler, tornou-se também presidente da montadora norte-americana, até o nascimento da FCA, no início deste ano, empresa na qual ocupa o cargo de presidente-executivo global. Recentemente, discutiu com Luca Montezemolo, ex-presidente da Ferrari, e assumiu o comando da marca esportiva. Fala inglês e italiano.

REUTERS/Paulo Whitaker
3. Martin Winterkorn Imagem: REUTERS/Paulo Whitaker
Quem: Martin Winterkorn.
Marca: Grupo Volkswagen (Volks carros e pesados, Audi, Bentley, Bugatti, Ducati, Italdesign Giugiaro, Lamborghini, Man, Porsche, Seat, Skoda, Skania).
Cargo: Presidente do Conselho de Administração do Grupo Volkswagen, Presidente do Quadro Supervisor da Audi e Presidente da Porsche Automobil Holding SE.
Salário oficial: cerca de 1,91 milhão de euros (aproximadamente R$ 5,75 milhões) por mês (Forbes).
Idade: 67 anos (24 de maio de 1947).
Nacionalidade: alemão (Leonberg, Baden-Württemberg, Alemanha).
Perfil: Nasceu na cidade de Leonberg, no estado de Baden-Württemberg, sul da Alemanha, e estudou metalúrgica na Universidade de Stuttgart (entre 1966 e 1973).

Iniciou a carreira na Bosch (uma das maiores fornecedoras de equipamentos para automóveis do mundo), mas logo se destacou, até chegar à Volkswagen. Em 1993, tornou-se chefe de qualidade da montadora, até ser promovido em 1994 a gerente geral da marca para a Alemanha. Foi presidente da Audi, além de ter comandado as subsidiárias Seat e Lamborghini entre 2003 e 2007, até assumir o comando de todo o Grupo Volkswagen em 1º de janeiro de 2007, substituindo Bernd Pischetsrieder. Fala inglês e alemão.

Mike Cassese/Reuters
4. Mary Barra Imagem: Mike Cassese/Reuters
Quem: Mary Teresa Makela Barra.
Marca: General Motors.
Cargo: chefona global da GM.
Salário oficial: cerca de 1,6 milhão de dólares (aproximadamente R$ 3,74 milhões) por mês (Forbes).
Idade: 52 anos (24 de dezembro de 1961).
Nacionalidade: norte-americano (Waterford, Michigan, EUA).
Perfil: filha de um ex-funcionário da extinta Pontiac, Mary Barra (Barra é sobrenome do marido, Anthony Barra) nasceu em Michigan, mesmo estado norte-americano onde fica localizada a matriz da General Motors (de Detroit). Estudou engenharia elétrica o Instituto General Motors e também foi bacharel em ciência pela mesma universidade.

Após orientação da GM, também foi nomeada mestre em administração pela Escola de Negócios de Stanford, em 1988. Sua vida dentro da empresa, porém, começou antes, em 1980 (aos 18 anos), quando exerceu algumas funções administrativas menores, até chegar à gerência da fábrica de Detroit. Em fevereiro de 2008, tornou-se vice-presidente global de engenharia de manufatura da empresa, sendo promovida para a vice-presidência de recursos humanos em julho de 2009, cargo que ocupou até fevereiro de 2011, quando foi novamente promovida à vice-presidente global de desenvolvimento de produtos. Em janeiro deste ano, assumiu o posto de presidente-executiva global da GM, tornando-se a primeira mulher a assumir majoritariamente uma montadora em toda a história. Fala apenas inglês.

Divulgação
5. Mark Fields Imagem: Divulgação
Quem: Mark Fields.
Marca: Ford.
Cargo: chefão global da Ford.
Salário oficial: cerca de 1,53 milhão de dólares (aproximadamente R$ 3,6 milhões) por mês (Forbes).
Idade: 53 anos (24 de janeiro de 1961).
Nacionalidade: norte-americano (Nova York, EUA).
Perfil: descendente de judeus, Fields nasceu no Brooklin (Nova York), mas cresceu na cidade de Paramus, em Nova Jersey. Graduou-se em economia na Universidade de Rutgers e se tornou mestre em administração em Harvard. Enquanto fazia MBA, trabalhou para a IBM, empresa norte-americana de informática, até ser contratado pela Ford, em 1989.

Desde então, só cresceu dentro da empresa: foi chefe de operações da Ford Argentina com apenas 36 anos; em 1998, assumiu o controle da Mazda (a marca ainda pertencia à Ford), posto no qual permaneceu até 2002; depois, foi presidente das submarcas de luxo da Ford (Lincoln; Aston Martin, hoje independente; Jaguar Land Rover, atualmente sob o comando da indiana Tata; e Volvo, que desde 2010 pertence à indiana Geely), até ser nomeado por Alan Mulally (antigo CEO da Ford e seu antecessor) como chefe de operações da Ford para a América, em 2006, aos 45 anos. Assumiu as funções de presidente-executivo geral da empresa em 1º de julho último, após Mulally ter globalizado toda a linha de produtos da marca. Fields fala inglês, espanhol e um pouco de japonês.

Peter Zschunke/EFE
6. Dieter Zetsche Imagem: Peter Zschunke/EFE
Quem: Dieter Zetsche.
Marca: Daimler Mercedes.
Cargo: chefão da Mercedes-Benz. Presidente da Daimler, presidente do Conselho de Administração da Daimler AG.
Salário oficial: cerca de 2 milhões de euros (aproximadamente R$ 6,06 milhões) por mês (Forbes).
Idade: 61 anos (5 de maio de 1953).
Nacionalidade: turco-alemão (Istambul, Turquia).
Perfil: Zetsche nasceu enquanto seu pai, Herbert Zetsche, participou de um projeto de engenharia na Turquia. Seguindo os passos do pai, formou-se em engenharia elétrica em 1976, na Universidade de Karlsruhe, e tornou-se doutor em engenharia em 1982, na Universidade de Paderborn. 

Contratado pela Daimler-Benz em 1976, trabalhou no departamento de pesquisa. Em 1981, foi promovido a gerente de desenvolvimento de veículos, cargo no qual ficou até virar membro do Conselho de Administração da Daimler-Chrysler, em 1998. Além de comandar a Mercedes-Benz Argentina, foi presidente da Chrysler (enquanto esta ainda pertencia à Daimler) de 2000 a 2005. Após a separação, tornou-se presidente da recém-criada Daimler AG, substituindo Jürgen Schrempp. É citado mundialmente por ser um dos maiores responsáveis pela renovação global da linha de automóveis da Mercedes-Benz, incluindo a família de modelos compactos (Classes A, CLA, GLA). Fala fluentemente português, inglês, alemão, francês, espanhol e... latim.

Divulgação
7. Norbert Reithofer Imagem: Divulgação
Quem: Norbert Reithofer.
Marca: Grupo BMW.
Cargo: chefão da BMW AG e presidente do Conselho de Gestão da empresa.
Salário oficial: cerca de 1,5 milhão de euros (aproximadamente R$ 4,54 milhões) por mês (Forbes).
Idade: 58 anos (29 de maio de 1956).
Nacionalidade: alemão (Penzberg, Bavaria, Alemanha).
Perfil: nascido e crescido na região da Bavaria, Reithofer graduou-se em engenharia mecânica pela Universidade de Munique. Depois, na mesma faculdade, cursou engenharia de produção e administração de empresas, até virar doutor em administração.

Chegou à BMW em 1987, como chefe de planejamento de manutenção. De 1991 a 1994, foi diretor de produção na sede da empresa, na Alemanha, seguiu para a África do Sul, entre 1994 e 1997, para ser diretor técnico, até conquistar o posto de presidente de manufatura da BMW para os EUA, cargo no qual permaneceu entre 1997 e 2000. Em março deste mesmo ano, voltou para Munique para integrar o Conselho da Gestão da BMW e retomar o posto de responsável pela produção. Em setembro de 2006, substituiu Helmut Panke e foi nomeado presidente do Conselho e presidente-executivo da BMW AG. Entre seus feitos, destaca-se o fato de ter conseguido reduzir pela metade o tempo padrão de produção do Série 3 (geração E90). Fala inglês e alemão.

Nicholas Ratzenboeck/AFP
8. Ratan Tata Imagem: Nicholas Ratzenboeck/AFP
Quem: Ratan Naval Tata.
Marca: Grupo Tata (Tata e Jaguar Land Rover).
Cargo: Presidente emérito do Grupo Tata.
Salário oficial: cerca de 1,4 milhão de dólares (aproximadamente R$ 3,7 milhões) por mês (Forbes).
Idade: 73 anos (28 de dezembro de 1940).
Nacionalidade: indiano (Surat, Índia).
Perfil: descendente de uma das famílias mais poderosas da Índia, Ratan Tata nasceu em Surat, mas iniciou seus estudos em Mumbai. É formado em arquitetura e engenharia estrutural pela Universidade de Cornell, além de graduado em Gestão Avançada pela Escola de Negócios de Harvard.

Começou sua carreira no Grupo Tata em 1960, no chão da fábrica produtora de ferro da empresa, a Tata Steel. Em 1991, assumiu a presidência da empresa. Após ser bem-sucedido na aquisição da inglesa Jaguar Land Rover das mãos da Ford, aposentou-se em 28 de dezembro de 2012 (seu aniversário de 72 anos) e foi sucedido por Cyrus Mistry, mas até hoje é o homem-forte da toda-poderosa empresa indiana. Fala inglês e hindi. 

AFP Photo/Fred Tanneau
9. Carlos Tavares Imagem: AFP Photo/Fred Tanneau
Quem: Carlos Antunes Tavares.
Marca: PSA Peugeot Citroën.
Cargo: chefão global da PSA.
Salário oficial: cerca de 1,3 milhão de euros (aproximadamente R$ 3,9 milhões) por mês (Forbes).
Idade: 56 anos (14 de agosto de 1958).
Nacionalidade: português (Lisboa, Portugal).
Perfil: filho de um professor de francês, aprendeu o idioma desde criança, na escola de francês de Lisboa, e mudou-se para a França com 17 anos. Formou-se em engenharia na Escola Central de Paris, em 1981, e entrou no setor no mesmo ano, só que como piloto de testes da Renault.

Evoluiu na empresa rival até 2003, chegando a ser presidente da Nissan para as Américas -- Tavares, aliás, foi o número dois da Renault, liderada por Carlos Ghosn, por oito anos. Em agosto de 2013, quando completou 55 anos, disse em uma entrevista que "tinha energia e apetite para se tornar o número 1 da empresa", algo que não aconteceria na Renault-Nissan. Foi sondado pela Ford e pela GM, mas, 15 dias depois, anunciou sua saída da empresa para se tornar presidente-executivo global da arquirrival PSA Peugeot Citroën -- ele assumiu o posto em abril de 2014. Fala inglês, português, espanhol e, obviamente, francês.

Koji Sasahara/AP
10. Akio Toyoda Imagem: Koji Sasahara/AP
Quem: Akio Toyoda.
Marca: Toyota Motor Corporation.
Cargo: presidente da Toyota.
Salário oficial: cerca de 16,6 milhões de ienes (aproximadamente R$ 370 mil) por mês (Forbes).
Idade: 58 anos (3 de maio de 1956).
Nacionalidade: japonês (Nagoia, Japão).
Perfil: Toyoda é neto do fundador da Toyota, Kiichiro Toyoda. Formou-se em direito pela Universidade de Keio, em 1979, e concluiu o curso de MBA pelo Colégio de Babson, em 1982.

Entrou para a empresa em 1984, mas somente em 2000 tornou-se membro do conselho de administração. Em 2005, foi promovido a vice-presidente executivo, tendo permanecido no quadro até junho de 2009, quando foi nomeado presidente mundial da empresa, juntamente com quatro novos vice-presidentes executivos e oito novos membros do conselho. Curiosamente, Katsuaki Watanabe, o presidente anterior (que não figura no quadro de herdeiros), desceu de cargo e tornou-se vice-presidente da empresa. Akio fala inglês e japonês.

Divulgação
11. Takanobu Ito Imagem: Divulgação
Quem: Takanobu Ito.
Marca: Honda Motor Company.
Cargo: chefão global, presidente e diretor representativo da Honda.
Salário oficial: cerca de 12,5 milhões de ienes (aproximadamente R$ 270 mil) por mês (Forbes).
Idade: 61 anos (29 de agosto de 1953).
Nacionalidade: japonês (Tóquio, Japão).
Perfil: Ito nasceu e viveu em Tóquio. Entrou para o quadro de funcionários da Honda em abril de 1978, mas somente 20 anos depois, em 1998, foi promovido a executivo da empresa. Foi diretor sênior da matriz no início, tendo passado a vice-presidente executivo para as Américas. Em abril de 2009, foi nomeado CEO, presidente e diretor representativo da companhia, cargo que ocupa até hoje. Fala inglês, japonês e um pouco de espanhol e de português.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Carros

Topo