Carros

Renault se une a bilionário francês para alavancar produção de elétricos

Philippe Wojazer/Reuters
Vincent Bolloré, bilionário francês, e Carlos Ghosn, presidente-executivo da Renault-Nissan, selam parceria durante evento para a imprensa em Paris (França) Imagem: Philippe Wojazer/Reuters

Mathieu Rosemain

Da Bloomberg, em Paris (França)

09/09/2014 16h47

Na busca por espaço no mercado de veículos que usam energia alternativa, a Renault se uniu ao bilionário Vincent Bolloré, nono homem mais rico da França, com uma fortuna pessoal estimada em US$ 5,9 bilhões, para montar em sua fábrica de Dieppe (França), a partir do segundo semestre de 2015, o Bluecar, modelo movido totalmente a eletricidade patenteado pela companhia do magnata. O anúncio foi feito nesta terça-feira (9).

As empresas estabelecerão ainda uma joint venture, com participação de 70% do Grupo Bolloré e 30% da Renault, para fornecer serviços de compartilhamento de carros na França e em outros lugares da Europa. A parceria viabilizará também um estudo para que a Renault produza um veículo elétrico de três assentos, equipado com baterias da Bolloré. 

Eric Feferberg/AFP Photo
Vincent Bolloré apresentando o Bolloré Bluecar, na capital francesa, em fevereiro de 2013 Imagem: Eric Feferberg/AFP Photo
O acordo surge depois da confirmação de que a fabricante francesa e sua parceira, a japonesa Nissan, não cumprirão as metas de vender 1,5 milhão de carros elétricos em conjunto até 2016, apesar dos investimentos de 4 bilhões de euros (R$ 11,7 bilhões) já garantidos para o desenvolvimento dessa tecnologia a médio prazo. Em 2013, por exemplo, a marca do losango entregou apenas 19.093 automóveis e comerciais leves elétricos no mundo, de um total de 2,63 milhões de unidades comercializadas.

Desenvolvido pelo estúdio italiano Pininfarina, o Bolloré Bluecar tem autonomia de até 241 quilômetros por recarga, e é usado no programa de compartilhamento de carros em Paris. Atualmente, o compacto de quatro lugares é montado em Turim (Itália) por outra empresa daquele país, a Cecomp. As duas novas parceiras não divulgaram os valores envolvidos no acordo, nem as metas de produção.

EXPANSÃO GLOBAL
Além da Renault, a Bolloré tenta garantir um serviço similar de compartilhamento em Indianápolis (Estados Unidos), oferecendo seu modelo a mercados como o americano e também o chinês. O grande trunfo do bilionário está nos custos: as baterias produzidas por sua companhia, na província francesa de Bretanha, são mais baratas que as células de íon-lítio usadas em outros elétricos, deixando o preço de seu compacto bastante competitivo.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Carros

Topo