Carros

Ferrari de corrida dos anos 50 é vendida por R$ 40,2 milhões em leilão

Divulgação
Do total pago pelo comprador, cerca de 10% (o equivalente a R$ 4,3 milhões) serviram para pagar a comissão do clube Bonhams, responsável por organizar os leilões do Festival de Goodwood Imagem: Divulgação

Do UOL, em São Paulo (SP)

27/06/2014 14h29Atualizada em 27/06/2014 14h29

Carro de colecionador costuma valer bastante, mas quanto você estaria disposto a pagar por um dos cinco exemplares sobreviventes de uma Ferrari de competição dos anos 50?

No leilão do tradicional Festival de Goodwood (Reino Unido) de 2014, um comprador anônimo desembolsou 10.753.500 libras (cerca de R$ 40,2 milhões) para ficar com uma 375-Plus 1953, vencedora do Mundial de Resistência do ano seguinte  -- campeonato que reunia as principais provas de resistência da época, como 24 Horas de Le Mans (França), Mille Miglia (Itália) e 1000 km de Nürburgring (Alemanha).

Divulgação
Assento da 375-Plus é monoposto e posicionado à direita do chassi Imagem: Divulgação
O roadster foi projetado por Enzo Ferrari e Aurelio Lampredi e se tornou um dos mais velozes do mundo em sua épocam, atingindo velocidades máximas próximas aos 300 km/h. Toda essa força era gerada por um motor V12 de 4,9 litros e 351 cavalos (a 6.800 rpm), com transmissão manual de cinco velocidades. O assento é monoposto de mão inglesa (o piloto fica do lado direito e troca as marchas com a mão esquerda).

Durante sua vida útil nas pistas, até 1957, a 375-Plus foi pilotada, entre outros, pelo italiano Giuseppe Farina (primeiro campeão da história da F1) e o argentino José-Froilán González, e venceu provas como Le Mans, o Troféu Internacional de Silverstone, a Mille Miglia e Carrera Panamericana (uma extenuante corrida de 3.300 quilômetros que cruzava quase todo o México).

SUPERVALORIZAÇÃO
De acordo com o site oficial do leilão de Goodwood, quando uma unidade da 375-Plus foi negociada pela primeira vez, em março de 1958 (uma época em que o roadster já dava sinais de obsolescência), o colecionador americano Karl Klave aceitou pagar apenas US$ 2.500 (R$ 5.500) pelo modelo, quase 731 mil vezes menos do que ele vale hoje.

Divulgação
Motor 4.9 V12 da 375-Plus gerava 351 cv de potência, permitindo que o roadster chegasse perto dos 300 km/h no auge de seu desenvolvimento Imagem: Divulgação
Apesar de ter sido o item mais caro do leilão de Goodwood em 2014, a 375-Plus não é o clássico de maior valor já negociado na história do festival. No ano passado, o Mercedes W196 usado por Juan Manuel Fangio nos títulos de 54 e 55 da F1 foi arrematado por incríveis 19.601.500 libras (aproximadamente R$ 73,2 milhões).

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Carros

Topo