Carros

BMW estica Mini Cooper, que agora tem versão de quatro portas

Do UOL, em São Paulo (SP)

04/06/2014 21h29

Você é purista em relação ao Mini Cooper? Sendo, tome cuidado ao ler o texto a seguir. A BMW deu o passo definitivo para transformar o hatch cult em um carro "comum" (leia-se, com a obrigação de vender bem e dar lucro) ao apresentar nesta quarta-feira (4) a variante de quatro portas.

Divulgação
Ainda parece um Mini? BMW diz que sim, mas o que vale mesmo é vender mais Imagem: Divulgação

Inédito, o Mini Cooper é chamado pela fabricante de 5-Portas (a marca coloca a tampa do porta-malas na conta), mas UOL Carros vai tratá-lo como quatro-portas, mesmo. O carro chega quatro meses após o lançamento global da terceira geração do modelo, ocorrida em fevereiro, em Porto Rico. Além das duas portas extras para passageiros (que são menores que as portas frontais, mas se abrem no mesmo sentido -- e não ao estilo "suicida", como ocorria com a porta traseira da perua Mini Clubman), o novo Mini foi esticado em relação ao carro convencional.

Enquanto o Mini Cooper padrão tem 3,82 metros de comprimento, o quatro-portas vai a 3,98 m. No Mini Cooper S, a distância de ponta a ponta fica ainda maior e chega aos 4 metros. O espaço entre-eixos também foi ampliado, subindo de 2,49 m para 2,56 m. Com isso, diz a BMW, foi possível ampliar a área para joelhos e pernas, cabeça e ombros, e ainda colocar 67 litros extras no porta-malas, agora com 278 l.

De resto, tudo igual. O quatro-portas usa motores e câmbios da nova geração: 1.5 três-cilindros a gasolina (138 cavalos, 22 kgfm de torque) para o Cooper; e 2.0 quatro-cilindros a gasolina (194 cv e 27,5 kgfm) para o Cooper S, ambos com turbo, injeção direta de combustível e controle variável de válvulas em todo o ciclo. Na Europa, haverá ainda opções a diesel de três e quarto cilindros. O câmbio pode ser manual ou automático, sempre com seis marchas.

Há ainda todo o novo pacote tecnológico de conforto (head-up display, painel central com LED e tela de até oito polegadas, conexão com internet) e segurança (seis airbags, controle de cruzeiro adaptativo, controles eletrônicos de estabilidade, tração e bloqueio do diferencial e até capô que se levanta em caso de atropelamento para reduzir ferimentos ao pedestre) e a nova suspensão, que tem três ajustes diferentes, mas praticamente abandona o jeito "kart" de ser do antigo Cooper.

Ainda não há preços definidos, nem data de início das vendas na Europa. UOL Carros acredita, porém, que a configuração é aposta certeira para o mercado brasileiro, inclusive se considerarmos a produção local, no fim de 2015.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Carros

Topo