Carros

Genebra, salão de megacarros, se rende a modelos pequeninos

André Deliberato

Do UOL, em Genebra (Suíça)

11/03/2014 07h00

Com a Europa ainda se recuperando da crise financeira e social iniciada na década passada, a aposta das fabricantes no Salão de Genebra de 2014 foi em veículos compactos e subcompactos, que de modo geral têm como apelo os baixos consumo de combustível e índice de emissão de poluentes.

O evento de Genebra (cidade de um país, a Suíça, que não têm grandes fabricantes de carros) é mundialmente conhecido por ser palco de lançamentos grandiosos de superesportivos e modelos de luxo. Ferrari LaFerrari, Lamborghini Veneno, Alfa Romeo 4C e McLaren P1 são exemplos de estrelas recentes -- e este ano a tradição não foi abandonada, já que houve as apresentações de Huracán, California TMcLaren 650S e Rolls-Royce Ghost II.

Mas quem normalmente é protagonista agora virou coadjuvante. É o que mostram 13 "pequeninos" que roubaram a cena no pavilhão de exposições suíço -- e que se tornam opções cada vez mais "gigantes" aos olhos do motorista europeu (em princípio, apenas a versão do Fiat 500 tem chances de ser vendida no Brasil). Leia abaixo sobre eles:

Citroën C1

  • Newspress

Nova geração do menor carro da Citroën é, ao lado do C4 Cactus, um dos destaques da marca em seu estande. Chama atenção o visual frontal, que segue o novo padrão estético da marca, com três faróis alinhados (um deles de LED, próximo ao parachoque), lembrando a disposição inaugurada pelo C4 Picasso. Com apenas 3,46 metros de comprimento, 1,62 m de largura e 1,45 m de altura, o C1 pesa 840 quilos e terá versões duas e quatro portas. Terá duas opções de motor, ambas a gasolina e com três cilindros. O destaque é o inédito propulsor de 1,2 litro, 82 cv e 12 kgfm de torque -- que, segundo a fabricante, pode fazer até 23,2 km/litro de combustível. O câmbio será manual de cinco marchas. Sua chegada ao mercado europeu está prevista para a metade do ano. A nova geração ainda não possui preços oficiais (a atual custa a partir de 10.150 euros).

Fiat 500 Abarth 695 Biposto

  • André Deliberato/UOL

Pequeno, mas ligeiro. O Fiat 500 Abarth 695 Biposto é a versão mais potente da história da linha Cinquecento. Como sugerem os sobrenomes, o Abarth Biposto tem apenas dois lugares e muita força: são 190 cv extraídos do conhecido motor 1.4 turbo (o mesmo que equipa a linha T-Jet no Brasil) e apenas 997 kg. A combinação é capaz de fazê-lo acelerar de 0 a 100 km/h em 5,9 segundos e alcançar 230 km/h. Entre as modificações técnicas estão amortecedores ajustáveis, rodas de 18 polegadas, bancos esportivos com cintos de quatro pontos, janelas de plástico e escapamento da Akrapovic. Tudo isso em apenas 3,55 m de comprimento. Os preços ainda não foram definidos.

Fiat Panda Cross

  • André Deliberato/UOL

Um dos carros mais longevos da Fiat na Europa, o Panda ganhou uma nova versão no Salão de Genebra. Chamada de Cross, a configuração do hatch recebeu recursos mecânicos e equipamentos de verdade para uso fora-de-estrada: tração integral, coberturas no parachoques e paralamas, suspensão elevada e pneus de uso misto. São duas opções de motor, uma a diesel (de 1,3 litro e 80 cv) e outra a gasolina, que usa motor 1.0 turbo de 89 cv. Assim como o Uno, primo distante brasileiro, o Panda foi desenhado pelo designer italiano Giorgetto Giugiaro durante a década de 1980 -- no total, são 3,65 m de comprimento e 2,30 m de entre-eixos. Um Panda 4x4 custa a partir de 17.360 euros. A versão Cross, ainda sem preço oficial definido, deve custar um pouco mais que isso.

Hyundai i10

  • André Deliberato/UOL

Apesar de não ter estreado no evento (sua primeira aparição foi no Salão de Frankfurt do ano passado), a nova geração do Hyundai i10 teve posição de destaque no estande da montadora coreana em Genebra. "Primo" do Kia Picanto (assim como o brasileiro HB20, que é feito sobre a mesma plataforma), o i10 é a opção de entrada da marca no mercado europeu. São 3,67 metros de comprimento, 1,66 m de largura, 1,50 m de altura e porta-malas de 252 litros. A gama de motores traz blocos 1.0 de três cilindros, 66 cavalos e 9,6 kgfm de torque; e 1.2 de quatro cilindros, 90 cv e 12,1 kgfm. O carrinho custa 8.990 euros no Velho Continente.

Lancia Ypsilon

  • André Deliberato/UOL

Feito sobre a base do Fiat 500 (são 3,84 m de comprimento, um pouco maior que o Cinquecento), o Lancia Ypsilon ganhou duas versões especiais em Genebra. A primeira, batizada de S Momodesign, foi feita em parceria com o estúdio italiano homônimo. Essa configuração pode usar os motores 1.2 FireEvo II de 69 cv, 0.9 TwinAir de 85 cv ou ainda o 1.3 MultiJet II de 95 cv. A transmissão pode ser manual ou automatizada. A segunda versão chama-se Elefantino, em referência ao nome usado pela equipe de rali da Lancia em 1953. Ela usa a mesma mecânica da Momodesign, mas traz exclusividades por toda a carroceria, como as cores. Ambas chegam ao mercado europeu em junho. Um Lancia Ypsilon tradicional custa a partir de 13.100 euros.

Mazda Hazumi Concept

  • Newspress

Apesar de não se tratar de um modelo em produção, o conceito Hazumi antecipa a próxima geração do Mazda 2, carro de entrada da marca japonesa. Sob forte influência dos recém-lançados Mazda 3 e Mazda 6, o subcompacto contará com novas tecnologias e compartilhará plataforma com o SUV CX-5. Será a estreia, também, do motor a diesel de 1,5 litro, que terá sobrenome Skyactiv (assim como sua versão a gasolina, já existente). Além da produção europeia, o carrinho também poderá ser feito no México. Como ainda está em fase de protótipo, as dimensões do carro exposto não foram divulgadas e não serão as mesmas do carro final. O Mazda 2 de atual geração custa 14.400 euros.

Opel Adam Rocks

  • Fabrice Coffrini/AFP Photo

Lançado no Salão de Paris em 2012 para homenagear o criador da marca, Adam Opel, o Opel Adam ganhou uma nova versão durante o Salão de Genebra 2014. Chamada de Rocks, a nova configuração, que incorpora teto retrátil, também traz novidades estéticas e funcionais, como suspensão 15 mm mais alta, parachoques dianteiro e traseiro redesenhados e dois novos desenhos de roda. São 3,69 m de comprimento e 2,31 m de entre-eixos. Na parte mecânica, o carro ganhou novo motor 1.0 turbo de três cilindros, 90 cavalos (ou 115 cv) e 17 kgfm de torque, ambos acoplados a um novo câmbio manual de seis marchas. Outros dois propulsores estão disponíveis: 1.2 de 70 cv e 1.4 de 87 ou 100 cv. A novidade ainda não tem preço (o convencional parte de 10.990 euros).

Peugeot 108

  • Newspress

Assim como o novo Citroën C1, o Peugeot 108 também ganhou nova geração em Genebra (eles compartilham a plataforma). Com visual baseado no 208 e no 308, o carrinho mede 3,47 metros de comprimento e pesa cerca de 840 quilos. Entre as motorizações disponíveis estarão o propulsor 1.0 e-VTi de três cilindros (68 cv) e o 1.2 VTi de quatro cilindros (82 cv), ambos a gasolina e dotados de sistema start/stop. O câmbio é manual de cinco marchas e há opção de transmissão automática. Suas vendas começam após o salão, por aproximadamente 10.300 euros.

Renault Twingo

  • André Deliberato/UOL

Principal destaque do estande da Renault, a nova geração do Twingo utiliza um jeito diferente (mas não inovador) de ganhar espaço interno: coloca motor e tração na parte traseira do veículo. O desenvolvimento foi feito pela marca francesa em conjunto com a Daimler (dona da Mercedes-Benz e da smart) e também deve ser utilizado pela futura geração do fortwo. "Ao tirarmos o motor e a tração da frente, conseguimos aliviar a extremidade dianteira, fato que possibilita aumentar o raio das curvas. O carro fica mais espaçoso e ainda ganha comportamento mais ágil e divertido", diz a empresa. São exatos 3,50 metros de comprimento e duas opções de motor: 1.0 aspirado de três cilindros, 71 cavalos e 9,3 kgfm de torque; e 0.9 turbo, também três-cilindros, capaz de gerar 91 cv e 13,8 kgfm de torque. Os preços não foram anunciados.

Suzuki Celerio

  • Newspress

Um dos destaques da Suzuki no evento foi a nova geração do subcompacto Celerio, que será importado da Tailândia à Europa. O projeto foi desenvolvido em parceria com a Maruti (subsidiária indiana da Suzuki). Assim como o Renault Twingo, o subcompacto tailandês tem 3,50 metros de comprimento. É, também, outro modelo a utilizar motor de três cilindros (1.0 a gasolina) com start-stop. A transmissão é automatizada de cinco marchas. De acordo com a marca, as vendas começam até o final do ano, por preço ainda indefinido.

Tata Bolt

  • André Deliberato/UOL

A indiana Tata Motors, dona do grupo Jaguar Land Rover, exibe em Genebra o Bolt, modelo de 3,82 metros de comprimento (já meio grandinho para ser chamado de subcompacto) que oferece uma série de itens no pacote de entrada, como: central multimídia com tela de cinco polegadas e GPS, direção hidráulica, luzes diurnas em LED e volante com comandos do som. Programado para chegar ao mercado europeu no segundo semestre, o Bolt pode usar motor 1.2 turbo a gasolina de 84 cv ou o propulsor 1.3 a diesel Multijet II da Fiat (o mesmo do Lancia Ypsilon, de 95 cv). O câmbio pode ser automatizado ou automático de cinco marchas.

Tata Zest

  • André Deliberato/UOL

O Zest é o sedã do Bolt. Assim como o hatch, o modelo (um notchback, ou "dois-volumes-e-meio") diferencia da concorrência pela boa oferta de equipamentos e pelos conjuntos mecânicos (a gasolina e a diesel) turbinados. A frente do Zest é exatamente igual à do Bolt, mas a traseira ostenta um pequeno porta-malas que o deixa um pouquinho maior (3,99 metros) e bastante simpático. Os preços dos dois indianos não foram anunciados.

Toyota Aygo

  • André Deliberato/UOL

O carro mais barato da Toyota na Europa (a partir de 9.850 na atual geração) acaba de ser renovado. Trata-se do Aygo, subcompacto de 3,45 metros de comprimento que divide plataforma com Citroën C1 e Peugeot 108. Suas vendas estão programadas para começarem logo após o final do evento suíço. Toda a produção será concentrada na fábrica conjunta que marcas mantêm em Kolín, na República Tcheca. Entre os destaques do carro -- além do ousado desenho em X da dianteira) está um novo sistema multimídia com navegação e tela tátil de sete polegadas. O carro também usa motor 1.0 de três cilindros a gasolina (única opção por enquanto, segundo a marca) que gera 68 cavalos e 9,7 kgfm de torque. De acordo com a fabricante, o consumo de combustível pode chegar a 25 km/l. Os preços da nova geração devem ser anunciados nas próximas semanas.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Carros

Topo