Carros

Toyota Corolla muda de cara e ganha câmbio de 7 marchas, mas mantém motor

Claudio Luís de Souza

Do UOL, em Tóquio (Japão)

19/11/2013 09h38

A Toyota retoma em abril de 2014 sua batalha particular com a Honda na guerra dos sedãs médios. Esta é a data prevista para que a nova geração do Corolla chegue às lojas brasileiras (o lançamento oficial será um pouco antes).

O modelo terá visual totalmente reformulado, baseado no carro europeu, e pelo menos uma grande novidade mecânica: câmbio automático de funcionamento semelhante ao CVT (continuamente variável), mas com simulação permanente de sete marchas -- que também poderão ser trocadas sequencialmente. A opção automática do Corolla atual é de quatro marchas, com conversor de torque.

COROLLA EM TRÊS ATOS

  • Claudio Luís de Souza/UOL

    Corolla europeu/brasileiro em evento da Toyota em Tóquio; ele chega em abril

  • Siphiwe Sibeko/Reuters

    Modelo também foi apresentado no Salão de Joanesburgo (África do Sul)

  • Osman Orsal/Reuters

    Na Turquia, local de origem do novo Corolla sedã europeu, produção já começou

Toyota e Honda têm se revezado na liderança do segmento de três-volumes médios com o Corolla e o Civic, respectivamente. O Civic é o atual campeão de vendas (49.239 unidades até o final de outubro), e o rival é o vice (43.117).

Com preço e portfólio ainda misteriosos, o novo Corolla vai oferecer partida por botão (que deve ser opcional em algumas versões) e um painel de instrumentos mais elegante, com iluminação azul -- mesma cor usada nas teclas e comandos espalhados pela cabine. Nos pacotes sem o câmbio automático será usada caixa manual de seis marchas.

Sob o capô, porém, o Corolla continuará o mesmo. Os motores seguem sendo o 1.8 de 144 cv e o 2.0 de 153 cv, ambos bicombustíveis. São propulsores já usados na gama atual e que chegam desmontados do Japão à fábrica de Indaiatuba (SP), onde o carro é produzido.

O sedã só deve ganhar uma nova geração de motores, que pode incluir evoluções como injeção direta de combustível e sistema start-stop (influentes na eficiência energética), entre 2015 e 2016, quando a futura fábrica da Toyota em Porto Feliz (SP) estiver em pleno funcionamento.


SEM RISCOS
Ao optar pelo Corolla europeu para o mercado verde-amarelo, a fabricante japonesa mostra que segue cautelosa. O Corolla americano tem cara mais agressiva, mas também é mais despojado que o do Velho Continente; afinal, nos Estados Unidos, assim como o arquirrival Civic, ele é carro de entrada.

No Brasil, ao contrário, ambos são carros de prestígio, e o Corolla é até um pouco "de tiozão" (e ambos provavelmente custam mais do que realmente valem, mas isso é outra história).

VIOS: POR ENQUANTO, NÃO

  • O sedã Vios, que poderia ocupar na gama da Toyota brasileira o lugar abaixo do Corolla e acima do Etios, não será vendido no Brasil pelo menos até 2018 (e a exceção pode chegar até 2020). UOL Carros apurou que o modelo, que em tese concorreria com o Honda City, chegou a ser cogitado como opção para o mercado nacional, mas voltou para a geladeira -- o que ficou mais quente foi a produção de um hatch ou crossover médio sobre a plataforma do Etios. Um palpite: destinado a mercados emergentes, o Vios talvez tenha saído do radar da Toyota do Brasil justamente para evitar a temerária descida de mais um degrau no padrão de qualidade da marca -- tradicionalmente alto com os globais Corolla e Prius, mas baixo com o indiano Etios.

O estilo do futuro Corolla nacional, com possíveis variações entre as versões, aposta numa grade dianteira cromada totalmente integrada ao conjunto óptico -- na verdade, ela literalmente invade as lentes dos faróis. Há dois conjuntos de quatro LEDs integrados às luzes baixa e alta. As luzes de neblina ficam embaixo, incrustadas no parachoque. Na traseira, as lanternas têm desenho bem mais fluido que o atual.

No geral, e especialmente observando o que fazem as fabricantes japonesas em sua terra natal (há dezenas de modelos que só são vendidos aqui), o novo Corolla ficou mais... oriental.

Quem gostou do jeitão mais jovem do Corolla americano deve torcer para que a Toyota decida levar adiante a ideia de criar uma versão esportiva (ou "esportivada" do sedã), semelhante à atual XRS (10% das vendas da gama, a R$ 77.070), que emprestaria elementos do carro ianque -- especialmente a grade negra do tipo "bocão".

Como já dito, a Toyota ainda não revela preços do novo Corolla, que chegará ao Brasil já como ano-modelo 2015. Hoje, a gama parte de R$ 60.820 e vai a R$ 85 mil. Deve haver um reajuste "justificado" pelo incremento no conteúdo, aproximando a versão de entrada a R$ 70 mil, e a top, a R$ 90 mil.

Nos corredores da Toyota, ouve-se a certeza de que, pouco tempo após seu lançamento, o novo Corolla vai virar o jogo sobre o Civic. Os demais players do segmento, bons e renovados carros como Ford Focus e Nissan Sentra, além de Chevrolet Cruze, Volkswagen Jetta e Renault Fluence, não são percebidos como capazes de despolarizar a briga dos sedãs médios -- ao menos não antes de o novo Civic chegar, talvez em agosto de 2014.

Viagem a convite da Toyota

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Carros

Topo