Carros

"Sobra" de garantia valoriza carro usado em até 10%

Ricardo Ribeiro

Colaboração para o UOL, em São Paulo (SP)

11/10/2013 21h06

Várias fabricantes de carros passaram a oferecer garantias totais de três e, mais recentemente, cinco anos (Hyundai, Kia), podendo chegar a seis (JAC). Os modelos beneficiados já começam a "rodar" mais no mercado de usados e a ser mais procurados pelos clientes. A "sobra" de garantia de fábrica -- quando o carro é revendido dentro do prazo dela -- valoriza de 5% a 10% o seminovo, de acordo com a Assovesp (Associação dos Revendedores de Veículos de São Paulo).

"Isso agrega valor e sobe o preço da avaliação. Na revenda, será possível conseguir um cliente mais exigente e que não se incomoda em pagar um pouco mais por essa segurança", diz George Assad Chahade, presidente da Assovesp.

Com a garantia de cinco anos, por exemplo, um Hyundai i30 comprado zero em 2011, por exemplo, pode ser comprado nesta semana e ainda contar com mais três anos de cobertura. A garantia segue válida porque está vinculada ao carro, e não ao proprietário dele. Assim, a revenda do modelo é facilitada.

"O cliente que compra um usado sempre tem receio com a manutenção. Se o carro ainda está na garantia de fábrica, ele fica mais tranquilo", explica Nasser Salloum Filho, da área de usados da Caltabiano.

A GARANTIA DE CADA UMA

Fiat1 ano*
Volkswagen1 ano e 3 anos**
Chevrolet1 ou 3 anos***
Ford1 ou 3 anos***
Hyundai5 anos
Renault3 anos
Honda3 anos
Toyota3 anos
Nissan3 anos
Citroën3 anos
Peugeot3 anos
JAC6 anos
Kia5 anos
  • Uso comercial pode alterar o prazo;
    *Freemont tem 3 anos; **total e motor/câmbio; ***depende do modelo

Garantia longa é faca de dois gumes. Um seminovo que poderia ter garantia, mas não tem mais, perderá dinheiro na revenda. "Se por algum motivo o carro perdeu a garantia, a avaliação cai muito", diz Salloum Filho. Não fazer as revisões previstas no manual, por exemplo, anula o benefício.

NEGOCIAÇÃO
A valorização pela "sobra" de garantia depende do modelo e da marca. Na avaliação de um usado, o estado geral ainda é o principal fator. Não adianta estar na garantia e estar batido. "O estado do carro ainda é o que conta mais quando compramos um usado de um cliente. Em concessionárias grandes, fazemos muitas avaliações por dia, não há tempo para checar a validade da garantia", revela Adriano Ribeiro, vendedor da Ford Mix.

A negociação em lojas menores, ou do proprietário diretamente com o interessado, costuma valorizar mais a garantia do que a feita nas concessionárias grandes.

O manual do proprietário, com o carimbo das revisões feitas na concessionária, serve como prova de que o carro ainda está na garantia e indica zelo na manutenção. No entanto, é mais seguro consultar a validade da garantia diretamente com o fabricante. Para usados sem a cobertura de fábrica, a lei obriga ao vendedor dar garantia de três meses para motor e câmbio.

"A garantia sempre é um bom argumento de venda e pode subir o preço para o consumidor final", conclui Ribeiro. Por isso, vale a pena insistir em pedir mais pelo seu usado ainda garantido de fábrica, porque a loja certamente não fará cerimônias para usar exatamente o mesmo argumento na revenda -- e lucrará mais.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Carros

Topo