Carros

JAC J6 ganha tapa no visual para vender 3.000 por ano

Renata Turbiani

Colaboração para o UOL, em São Paulo e Guarujá (SP)

03/10/2013 17h18

Lançada no Brasil em 2011, a minivan JAC J6 acaba de passar por sua primeira reestilização. Mais bonito, o modelo 2014, apresentado nesta quarta-feira (2) em São Paulo, recebeu mudanças na dianteira, incluindo faróis, parachoque e grade totalmente redesenhados, e na traseira, com lanternas bipartidas horizontais e novo parachoque. As rodas também são novas.

O painel de instrumentos da minivan também sofreu alterações e ficou mais elegante: o conta-giros e o velocímetro ganharam luzes brancas indiretas de intensidade ajustável; o marcador do nível do tanque de combustível e do termômetro de água do motor passaram a ser digitais, e os controles de vidros, travas e retrovisores elétricos, além do acabamento em piano black (preto brilhante), ganharam novas posições para facilitar o acesso. No geral, o conjunto ficou parecido com o do J3 reestilizado.

Ainda no interior do J6, as laterais das portas foram redesenhadas, e o volante, modificado – mas mantendo os controles de áudio, concentrados do lado direito (um posicionamento pouco ergonômico). No centro, dividem espaço ar-condicionado e rádio com CD e entrada USB.

O J6 também passa a contar com dois itens típicos de carros mais sofisticados: um sistema de monitoramento de pressão dos pneus, que alerta (com uma luz no painel) quando um dos pneus estiver 25% acima ou abaixo da calibragem especificada; e acendimento automático dos faróis por sensor de luminosidade. Reforçando a vocação familiar, a minivan utiliza o sistema Isofix, padrão internacional de pontos de fixação de assentos de segurança infantil com hastes em locais estratégicos para prender as cadeirinhas.

  • Murilo Góes/UOL

    Minivan JAC J6 ficou elegante: mais bonita que a rival Spin ela certamente é...

O J6 continua disponível nas versões com cinco (R$ 57.990) e sete lugares (R$ 59.990); esta é denominada Diamond e exclusiva do Brasil. Quando os assentos extras estão em uso, o porta-malas é reduzido a meros 198 litros; com a remoção destes e o rebatimento total da segunda fileira, a capacidade vai a 2.200 litros. Quando usado por cinco pessoas, o J6 leva 720 litros.

Mantendo o mote de oferecer carros "completões", a JAC oferece ar-condicionado, freios ABS com EBD, airbag duplo, pneus 205/55 aro 16", luzes de neblina dianteiras e traseiras, sensor de estacionamento, volante com ajuste de altura e comandos para o rádio MP3 e o CD player, direção hidráulica, retrovisores, travas e vidros elétricos, espelho e iluminação nos parassóis, porta-óculos e tomada de 12 V. Para completar, os bancos da frente possuem regulagem de altura e os traseiros são dotados de regulagens individuais (na versão Diamond).

Segundo Sérgio Habib, presidente da JAC Motors do Brasil, a expectativa de vendas é de 3.000 unidades por ano da nova J6. Da versão anterior, a montadora comercializou 2.074 unidades entre janeiro e setembro de 2012, e 1.147 no mesmo período deste ano (forte queda de 44%).

Se por dentro e por fora a minivan chinesa está bem diferente, sob o capô nada mudou. Ela continua equipada com o motor 2.0 de 16 válvulas, movido apenas a gasolina, que desenvolve 136 cavalos de potência a 5.500 rpm e 19,1 kgfm de torque a 4.000 rpm. A transmissão é manual de cinco velocidades. Questionado sobre a introdução de algum tipo de câmbio automático na linha J6, Habib disse que, por enquanto, isso não está nos planos da montadora -- mas admitiu que o modelo receberá motorização bicombustível em 2014. Pelos dados da marca chinesa, o veículo, que tem seis anos de garantia, vai de 0 a 100 km/h em 13,1 segundos e atinge velocidade máxima de 183 km/h.

Seus principais rivais são Nissan Livina e Grand Livina (cinco e sete lugares), modelos que devem ser descontinuadas em 2014 ou, no máximo, em 2015; e a Chevrolet Spin, também disponível com dois assentos extras.    

  • Murilo Góes/UOL

    Após resultados medianos em 2011 e 2012, JAC quer ver sua minivan emplacando 3.000/ano

PRIMEIRAS IMPRESSÕES
UOL Carros
experimentou o novo J6 na versão Diamond num percurso de cerca de 100 quilômetros, entre Guarujá (litoral de São Paulo) e a capital paulista. Num primeiro momento a bordo da minivan, chamou a atenção o acabamento simples e com excesso de plástico -- mas até que bem executado, apesar de algumas rebarbas de tecido visíveis na parte de trás dos bancos do motorista e do passageiro.

Entre os pontos positivos estão o conforto geral, inclusive para quem viaja nos assentos traseiros, e a elevada posição de dirigir. Além disso, com as mudanças, o painel ficou mais acessível e de fácil utilização. Também agradou o novo volante, mais ergonômico.

A suspensão (independente, tipo McPherson com molas helicoidais e barra estabilizadora na dianteira e independente, Dual Link, com molas helicoidais na traseira) é firme (afinal, é um carro que pode levar até sete pessoas) e garante uma condução agradável.

No quesito desempenho, mesmo pisando fundo para estimular o motor 2.0, o J6 demora para responder, em grande parte por causa do câmbio manual de cinco marchas, duro e de relações longas. Com isso, os arranques e as retomadas ficam mais lentos que o desejado. A condução melhora bastante quando o giro sobe. 

PRÓXIMOS PASSOS
Durante a apresentação do J6, a JAC anunciou lançamentos para 2014. A primeira novidade chega já em janeiro: a van executiva T8, equipada com motor 2.0 turbo de 178 cavalos. O veículo pode transportar até sete pessoas, e a capacidade do porta-malas é de 850 litros.

Em fevereiro desembarcará no Brasil a linha J3 e J3 Turin com propulsor bicombustível de 1,5 litro e sem tanquinho de partida a frio. Em maio será a vez do J2 com novos acabamento interno e rodas e também com motor flexível. O último lançamento será o utilitário esportivo compacto T6, que acontecerá durante o Salão do Automóvel de São Paulo, em outubro. Como adiantou Sergio Habib, presidente da montadora no país, o veículo já está passando por testes de rodagem no Brasil.

Quanto à fábrica da JAC em Camaçari (BA), a previsão é de que começe a produzir no final de 2014; vários fornecedores já estariam contratados (não se diz quais). O carro a ser feito por lá substituirá o J3. A unidade no país ampliará a cota de importação de carros chineses, e com isso a JAC pretende bombar o sedã médio J5 (mas isso apenas em 2015).

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Carros

Topo