Carros

Apple do carro elétrico, Tesla já vende mais que luxuosas nos EUA

Do UOL, em São Paulo (SP)

Com dez anos de mercado, a americana Tesla Motors sempre foi acusada por rivais e parte da imprensa de propor uma equação insolúvel, mas parece que a conta estava certa e a montadora superou conterrâneas e europeias do segmento de luxo: Buick e Cadillac (marcas premium da GM); Chrysler e Fiat (no comando da gigante americana, a Fiat foca sua força no desenvolvimento de modelos alternativos, como o 500 elétricos, e com mais status agregado, como os novos Chrysler), Jaguar e Land Rover; Lincoln (da Ford), Audi e Porsche (grifes da Volkswagen), Mitsubishi e Volvo, todas venderam menos que a novata.

Com apenas um modelo à venda, o sedã Model S, a fabricante sediada em Palo Alto abocanhou 12% do mercado de luxo do Estado da Califórnia (Meca americana dos carros elétricos e híbridos) de janeiro a junho. Foram pouco mais de 4.700 unidades vendidas, de acordo com a associação californiana de concessionários (a Fenabrave local). Parece pouco, mas supera toda a entrega da marca em 2012. Este ano, de acordo com a agência Automotive News, a Tesla emplacará 21 mil carros nos Estados Unidos e promete dobrar a carga para 2014 -- segundo os detratores, se suportar a pressão de vender tanto.

De quebra, o valor de mercado da Tesla chegou a US$ 20 bilhões (cerca de R$ 47 bilhões no câmbio atual). Maior montadora americana, a GM vale US$ 49 bilhões, enquanto a Ford lidera a cotação de fabricantes do país, com US$ 65 bilhões.

O "STEVE JOBS" DA TESLA

  • Divulgação

    Elon Musk é um quarentão bilionário. Nascido em 1971, tem fortuna pessoal estimada em US$ 2,7 bilhões pela Forbes. Seu salário anual passa dos US$ 78 milhões, pago pelas empresas que criou, entre as quais Tesla (é presidente e chefe de design), SpaceX (de equipamentos para veículos espaciais) e PayPal (de pagamentos online) se destacam.

    Mesmo apontado como excêntrico por muitos, Musk tem se dado bem em suas principais ações empresariais. Antes do sucesso comercial caseiro, a Tesla já exportava tecnologia para Daimler (alemã dona da Mercedes-Benz e Smart) e Toyota.

    Ainda na área de "transportes alternativos", Musk tem outro projeto polêmico: o sistema Hyperloop promete acelerar uma composição semelhante ao malfadado "Fura-fila" paulistano (tecnicamente, um VLT ou veículo leve sobre trilhos) sobre um campo eletromagnético com velocidade de 1.127 km/h (pouco abaixo da barreira do som) para ligar as cidades de Los Angeles e São Francisco em apenas 30 minutos. O preço da brincadeira: US$ 6 bilhões (alto, mas até sete vezes menor que o custo de trem-bala tradicional).

TUDO PELO STATUS
O segredo da Tesla talvez esteja na atitude. A marca sempre se portou como a Apple dos carros elétricos: promete interface agradável (performance, espaço, luxo e beleza de carro europeu de luxo) quando todas as outras entregam apenas o básico (carros que parecem de brinquedo, mesmo para o padrão brasileiro). E também cobra caro pela experiência.

Os híbridos Toyota Prius e Chevrolet Volt vendem muito mais; o elétrico Nissan Leaf, também. Custam pouco menos de US$ 30 mil, já com o bônus de US$ 7.500 do governo federal, mas são todos hatches compactos (pelo padrão americano, médios para o brasileiro) e com nível de equipamentos apenas mediano. O Tesla Model S, porém, é um sedã do tamanho de Ford Fusion e Honda Accord (dois best sellers daquele mercado) com visual e acabamento de Aston Martin ou Maserati.

UOL Carros viu um de perto no Salão de Genebra, em março: acupezado e com quatro portas, rivaliza com Mercedes-Benz CLS e Audi A7 Sportback. E custa tanto ou mais que estes: nos EUA, pede US$ 63.600 (mais de R$ 150.600, já com o desconto federal) pela versão com bateria de 60 kWh; US$ 73.600 (R$ 175 mil) pela configuração de 85 kWh e US$ 83.600 (quase R$ 200 mil limpos) pela S Performance.

Falando em performance, o Tesla chega aonde nenhum outro elétrico sonha em ir. O Modelo S tem tração traseira e, pelos dados de fábrica, autonomia que varia de 330 (60 kWh) a 430 quilômetros (85 kWh). A versão S Performance coloca ainda 420 cavalos na conta para cumprir o 0-100 km/h em 4,2 s.

Há mimos como o cabo de carga com bocal iluminado, painel futurista e a tela gigante, de 17 polegadas (43 centímetros de altura) dominando o console central. Sem contar os bancos de couro totalmente elétricos, o revestimento bicolor com apliques metálicos e amadeirados e as enormes rodas de 19 polegadas calçadas com pneus Michelin de alta performance. E itens de segurança como oito airbags (além dos básicos frontais, laterais e de cabeça, há proteção para joelho e pélvis dos ocupantes da frente), que garantem cinco estrelas nos testes oficiais. 

CONHEÇA A SUPERTELA DO TESLA

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Carpress
Carplace
AutoEstrada
MotorDream
AutoEstrada
Carpress
Carplace
Carpress
MotorDream
Carpress
Best Cars
Carplace
Car and Driver
UOL Carros - Blogs - Blog Car and Driver Brasil
Da Redação
AutoEstrada
Carplace
Carplace
Carsale
Best Cars
Carsale
Carplace
Carplace
Carsale
AFP
MotorDream
Carplace
MotorDream
Carplace
Carplace
MotorDream
AutoEstrada
Carplace
Best Cars
Carplace
MotorDream
Da Redação
Carplace
Da Redação
MotorDream
MotorDream
MotorDream
MotorDream
AutoEstrada
Carplace
Carplace
AutoEstrada
Carplace
UOL Carros - Blogs - Blog Car and Driver Brasil
Carplace
Carpress
Topo