Carros

Atualizada em 13.08.2013 22h26

Novo Golf já tem nome, cara e site brasileiros dados pela Volkswagen

Do UOL, Em São Paulo (SP)

Acabou o tempo de calar. A Volkswagen do Brasil mostrou a nova geração do hatch médio Golf para 1.000 convidados VIPs -- celebridades, possíveis compradores (leia-se endinheirados), formadores de opinião e alguns outros membros da imprensa especializada -- em avant-première (pré-lançamento) realizada na base aérea do Campo de Marte, Zona Norte de São Paulo (SP), nesta noite de terça-feira.

O presidente da marca, Thomas Schmall serviu de anfitrião e chamou diversas unidades do novo modelo ao palco. Os convidados podem ver de perto as versões a serem vendidas por aqui, neste primeiro momento, todas correspondendo ao catálogo topo de linha da marca: Highline 1.4 TSI (140 cavalos, câmbio manual de seis marchas), Highline 1.4 TSI Automático (os mesmos 140 cv e câmbio DSG de dupla embreagem e sete marchas) e GTI 2.0 TSI Automático (220 cv, câmbio DSG de seis marchas).

Antes, a marca havia divulgou comunicado pondo fim ao silêncio sobre o carro: "O Novo Golf chega ao Brasil para dar continuidade à sua trajetória de sucesso na indústria automotiva mundial".

A Volks já havia, também, colocado no ar site dedicado ao novo modelo, ainda que separado da página oficial da marca e com URL (endereço) ocultos, conforme alertou o jornalista Marlos Ney Vidal, editor do site Autos Segredos.

Não que houvesse qualquer tentativa de esconder o carro -- o Golf 7 circula por vias brasileiras sem qualquer disfarce há um bom tempo --, mas a marca não "abria a boca" para divulgar qualquer detalhe sobre a nova geração, ao passo em que seus concessionários fomentavam a confusão entre o novíssimo Golf (sétima geração) e o simplório Golf 2014 (a geração 4,5, ainda vendida por aqui), conforme UOL Carros noticiou.

Apesar de tudo "liberado", o carro só deve chegar às lojas mais para o final do ano, entre outubro e novembro. Uma fonte ligada à Volkswagen confirmou a UOL Carros que o test-drive à imprensa será realizado um pouco antes, em setembro. 

RECHEADO

  • Reprodução

    Outras imagens vistas no site brasileiro do novo Golf mostram teto solar, que pode estar entre opcionais, e interior com couro colorido (o revestimento é opcional, mas a cor não foi confirmada), câmbio automático (de dupla embreagem e sete marchas no Highline) e tela sensível ao toque no centro do painel (abaixo).

  • Reprodução

Nome ele já tem, e nem precisava ser genial para cravar... Novo Golf. A informação confirmada pelo comunicado desta terça já era entregue pelo site oficial e segue o padrão de lançamentos da marca, sendo muito similar àquele utilizado para propagandear o novo Fusca, quando este estreou. Já no endereço da página -- novogolf.vw.com.br -- e também no canto direito é possível enxergar a informação.

É possível supor, ainda, que o documento trará ainda um complemento "2015" em alusão ao modelo a ser vendido, uma vez que o atual já é 2014 e deve seguir à venda, mesmo com a chegada do novo carro.

No site, é possível se cadastrar para receber informações sobre o modelo e ver algumas imagens (em algumas delas, o hatch exibe placa cinza promocional). O principal, porém, diz respeito às configurações definidas.

Sem preços exibidos, as três configurações apontam o que já se esperava para este momento. O Golf 7 será um modelo bem equipado e caro, "cereja" do bolo do portfólio atual de hatches da marca e, de certa forma, confirma também que num primeiro momento todas as unidades serão importadas. O carro é, em linhas gerais, um Audi A3 com a carcaça da Volkswagen -- os dois modelos compartilham a plataforma modular MQB do grupo e podem até mesmo, a médio prazo, dividir linha de produção aqui no Brasil.

Na Alemanha, o Golf mais barato (Trendline) parte de 17.175 euros (cerca de R$ 51.500 limpos). A primeira configuração prevista para o Brasil (Highline manual) começa em 26.400 euros por lá (R$ 79.200), enquanto a GTI começa em 28.675 (quase R$ 86 mil). É bom lembrar que há ainda o Golg GTI Performance, com potência extra (mais 10 cv), a quase 30 mil euros (beirando os R$ 90 mil, sem taxas, impostos e afins).

Para comparar, voltando ao site padrão da Volkswagen, é possível ver que o Golf 4,5, totalmente defasado em relação ao novo Golf, vai de R$ 52.390 a R$ 62.180. Há poucas esperança de termos preços parecidos, mas algumas fontes apontam que a Volkswagen pode apelar a subsídios para enfrentar posicionar seu novo carro de forma competitiva frente aos concorrentes neste momento inicial.

Um dos rivais do novo Golf sentiu nas vendas os efeitos de custar caro: de "best seller" na geração anterior, o novo Hyundai i30 dá traço na atual e já é vendido com descontos forçados. Os outros concorrentes são, entre outros, o Chevrolet Cruze, o novíssimo Ford Focus 3, que também já é visto sem camuflagem e deve chegar em breve ao país, Fiat Bravo, Peugeot 308 e o moribundo Citroën C4. Dependendo do preço, porém, o novo Volkswagen pode acabar esbarrando no andar de cima, onde seu "primo-irmão" Audi A3 briga com Mercedes Classe A e BMW Série 1. 

FICHA TÉCNICA

  • Reprodução

    Slide na página dedicada ao modelo compara equipamento das versões -- por ora, são três

O QUE O NOVO TEM
As duas configurações iniciais contam com o motor de 1,4 litro sobrealimentado por turbo e com injeção estratificada (ou direta) de combustível, conforme apontado pela sigla TSI. A primeira tem câmbio manual de seis marchas e a segunda, câmbio automático com duas embreagens e sete marchas, evolução em relação à caixa vista no Jetta e no Fusca, por exemplo. É o mesmo pacote da versão de entrada do Audi A3.

Segundo o site brasileiro, esta configuração automática conta com tecnologia BlueMotion (o selo da marca para projetos eficientes), com poucas explicações -- há apenas uma citação ao sistema start/stop que desliga o motor em paradas rápidas (no semáforo, por exemplo); uma visita à página alemã, contudo, define tudo: o consumo prometido é de até 20 km/l de combustível.

Atenção: estamos falando de gasolina, já que o motor 1.4 TSI não é flex, neste momento. A potência de 140 cv surge aos 4.500 rpm, com torque máximo de 25,5 kgfm a baixos 1.500 giros. Complementando, há direção eletromecânica, rodas aro 16, ar digital de duas zonas, sistema multimídia com tela sensível ao toque de quase 6 polegadas, sete airbags, freios com ABS (antiblocante) e controles de tração, de estabilidade e bloqueio eletrônico de diferencial.

A Volkswagen ainda faz questão de citar diferenciais como o sensor de colisão (Multicollision Brake), que faz parte do piloto automático adaptativo e dos freios com ABS e pode acionar os freios autonomamente ao detectar a redução de velocidade do veículo à frente. Também há informação sobre bancos dianteiros com ajuste lombar e de altura, além de aquecimento e revestimento de couro opcionais, assim como os ajustes elétricos para o assento do condutor.

São 4,25 metros de comprimento, 2,63 m de entre-eixos, porta-malas de 313 litros e 1.218 quilos de peso total em ordem de marcha. A versão automática, com câmbio de dupla embreagem e sete marchas, vai a 1.238 kg.

Na configuração esportiva GTI, o visual é incrementado com grade do tipo colmeia, cores, emblemas e faixas próprios, rodas aro 17 e escapes diferenciados; o motor de 2 litros e 220 cavalos é gerenciado pelo câmbio DSG de seis marchas (uma a menos que o da versão Highline), mas há direção eletromecânica progressiva, mais precisa. O peso é de 1.317 kg e o espaço no porta-malas sobe a 338 litros, talvez por conta da adoção de estepe temporário.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Carplace
Carplace
Carplace
Carplace
Carplace
Da Redação
Da Redação
UOL Carros

UOL Carros

Cristiano Ronaldo testa supercarro de R$ 7,8 milhões

Dizer que seu produto foi testado e aprovado por uma das maiores estrelas do futebol parece ser um bom argumento de vendas. Foi o que a Bugatti fez. Não que ela precise de muito esforço para vender o hiperesportivo Chiron, mas ainda assim a marca preparou um vídeo promocional em que Cristiano Ronaldo, multicampeão pelo Real Madrid, é convidado para acelerar o supercarro. O atacante experimentou o modelo de absurdos 1.521 cv de potência, capaz de fazer o 0-100 km/h em 2,5 segundos e de alcançar máxima de 420 km/h (e olha que ela é limitada eletronicamente), acompanhado do piloto de testes da marca francesa, Andy Wallace. Confira no vídeo. O próprio jogador fez marketing em cima da ação e publicou imagens do teste em seu Instagram, faturando milhares de curtidas entre seus 91 milhões de seguidores. Dono de um Veyron, antecessor do Chiron, o atual melhor jogador do mundo tem uma coleção de carrões de luxo de fazer inveja, formada por modelos da Ferrari, Porsche, Lamborghini e Rolls-Royce, só para citar algumas marcas. São alguns dos carros do craque os que aparecem ao seu lado no início do vídeo. Ao final da peça, Wallace sugere a Ronaldo que, caso ele queira "ficar com a chave" do Chiron, basta "ligar para a Bugatti?. Não se surpreenda se o goleador lusitano resolver incrementar sua coleção com o Chiron. Para isso ele terá de desembolsar modestos 2,4 milhões de euros, o equivalente a R$ 7,8 milhões.

Best Cars
AutoEstrada
Carsale
Carplace
AutoEstrada
UOL Carros - Blogs - Blog Car and Driver Brasil
Carpress
Carplace
Carpress
Car and Driver
Carplace
Car and Driver
Carpress
Carplace
AutoEstrada
Best Cars
Best Cars
Carsale
Carplace
Carros
Carplace
AFP
Carplace
Best Cars
Carplace
Carplace
Carplace
Best Cars
Carplace
Motos - Da Redação
Carplace
Da Redação
Carplace
Best Cars
Carpress
Carplace
Carplace
Da Redação
Da Redação
Carplace
Carpress
Carplace
AutoEstrada
Topo