Carros

Novo Honda Accord parte de R$ 119.900; leia impressões

André Deliberato

Do UOL, em Porto Feliz (SP)

30/06/2013 12h59

Após enfrentar um período difícil em 2012, causado pelo aumento do IPI (medida anunciada pelo governo em maio do ano passado, que afetou diretamente automóveis importados que não eram fabricados no Mercosul), e ter de parar de importar o Accord de oitava geração (feito no Japão), a Honda mudou seus planos e decidiu relançar o sedã de luxo no país, agora em sua nona geração e importado dos Estados Unidos.

A chegada oficial do modelo às lojas acontece a partir de 15 de julho, mas a apresentação do carro à imprensa aconteceu na semana.

Bastante coisa mudou no modelo, apesar de ele parecer um simples facelift do Accord anterior. A começar pela proposta: a Honda quer manter clientes de classe A, mas planeja diminuir a média de idade do perfil do comprador (que antes era de mais de 50 anos) e conquistar também -- e por que não? -- o público feminino.

Contrariando a tendência atual de diminuir em tamanho, mas crescer em espaço interno, o novo Accord está menor em comprimento (agora são 4,89 metros, contra 4,98 m do anterior) e menor também em entre-eixos (2,78 m contra 2,80 m da antiga geração). A Honda, porém, garante que o espaço interno é o mesmo. A altura é de 1,48 metro e a largura, 1,85 m. O porta-malas tem capacidade para apenas 461 litros de bagagem, e o tanque de combustível recebe até 65 litros.

Esteticamente, o Accord mantém a frente invocada, com faróis agressivos, que foi um dos destaques da geração anterior. A lateral ganha vincos fortes, mas conservadores se comparados ao de rivais coreanos, como Hyundai Sonata ou Kia Optima. E a traseira... Bem, ela perdeu o aspecto imponente e "encaretou", ficando parecida com a do seu principal inimigo, o Toyota Camry.

  • Divulgação

    Faróis de LED com canhões duplo denunciam que esta é a versão com motor de seis cilindros

MECÂNICA
Segundo a Honda, os motores são totalmente novos, mais modernos e eficientes (o nome da nova família de propulsores é Earth Dreams, ou algo como "sonhos da Terra"). Além disso, a empresa afirma que o chassi do Accord está mais rígido e reforçado, para aumentar a segurança, e que o ruído interno é até 4% menor se comparado ao da geração anterior, graças a materiais usados eficientemente para reduzir a vibração.

Importante ressaltar: a suspensão dianteira deixa de ter braços sobrepostos (que, tecnicamente, é um sistema mais moderno e seguro) para adotar uma do tipo McPherson (o mesmo utilizado por carros populares). A marca, entretanto, garante que o novo conjunto ajudou o Accord a reduzir o barulho da cabine e a melhorar a sensação de dirigir. A suspensão traseira continua sendo por multibraços.

São duas versões com o mesmo sobrenome e tipo de acabamento (EX), mas com motores e alguns equipamentos bem diferentes no catálogo. Veja:

Accord EX 2.4 -- R$ 119.900
A versão de entrada é equipada com motor quatro-cilindros 2.4 de 175 cv e 22,9 kgfm de torque (gasolina) e câmbio automático de cinco marchas. A lista de equipamentos é extensa, como a de qualquer sedã de luxo: freios a disco nas quatro rodas com ABS (antitravamento) e EBD (distribuição da força de frenagem); seis airbags; controle de estabilidade; controlador automático de velocidade; assistente para partidas em aclives; bancos de couro; vidros e travas elétricas de todas as portas comandados pela chave; câmera de ré com três visões; faróis de neblina; faróis com LEDs diurnos e lanternas de LED; retrovisores elétricos; sensor de estacionamento; ar-condicionado digital de duas zonas; coluna de direção ajustável em altura e profundidade; duas telas digitais no painel com sistema multimídia (computador de bordo), rádio CD-Player (com seis alto-falantes) e entradas para USB e iPod/iPhone; função Eco Assist (inaugurado pelo Civic, trata-se de um indicador iluminado de controle de consumo de combustível no cluster); volante multifuncional; e rodas de liga leve de 16 polegadas.

Accord EX V6 3.5 -- R$ 147.900
O pacote mais caro oferece motor V6 de 3,5 litros, 280 cv e 34,6 kgfm de torque e câmbio automático de seis marchas, sendo a última um overdrive para economia de combustível. O Accord V6 traz a mesma lista de equipamentos da versão mais barata, mas adiciona faróis com canhões duplos de LED, botão de partida, seta indicadora de mudança de direção nos retrovisores, assistência de visibilidade lateral de pontos cegos (com câmera integrada ao retrovisor direito), sensor de aproximação (para travamento e destravamento das portas), chave canivete, retrovisor interno eletrocrômico, luz de interior e saída de ar traseiras, um subwoofer adicional para o sistema de som, teto solar elétrico e rodas de 17 polegadas.

A lista completa de equipamentos e a ficha com dados técnicos do carro, com as duas motorizações, podem ser vistas clicando aqui.
  • Divulgação

    Painel tem console em dois estágios, com duas telas de LCD; apenas a inferior é touch-screen

IMPRESSÕES
UOL Carros participou de um rápido test-drive com as duas versões do novo Accord pela região de Porto Feliz (SP). O carro ficou mesmo mais luxuoso e esportivo que a geração anterior (este, aliás, é um dos argumentos que a Honda irá alardear quando começar a vender o sedã), mas também mais caro (a antiga geração era vendida a R$ 98.900 e R$ 144.900, respectivamente).
 
O Accord de 4-cilindros é suficiente se você procura por um sedã de luxo e gosta do modelo da Honda: ele oferece bom torque em baixas rotações, tem boas retomadas e, dinamicamente, é tão estável quanto a versão de seis cilindros. Computador de bordo apontou 7,8 km/l de gasolina, num percurso predominantemente urbano.
 
Por dentro o carro continua espaçoso e confortável para o motorista, que conta com ajustes elétricos para o banco (mas não para a coluna de direção, que só é regulável manualmente). A posição de dirigir pode ser mais alta ou próxima do assoalho. Os recursos do sistema multimídia podem parecer confusos em um primeiro momento, mas se tornam mais fáceis com o tempo.
 
Atrás, o espaço é o mesmo nos dois carros: ótimo para os pés e para a cabeça de três pessoas. O Accord 2.4, porém, não conta com saída de ar para esses ocupantes, o que pode fazer falta dependendo de quem viajar atrás.
  • Divulgação

    Traseira perdeu o aspecto invocado da anterior e ficou parecida com a do Toyota Camry

ESPORTIVIDADE, SÓ QUE NÃO
A Honda repetiu que a proposta do novo Accord é ser mais esportivo e jovem que o anterior. Tudo ia bem, até que notamos que o câmbio não possui opções de trocas manuais, na alavanca ou por meio de borboletas atrás do volante. Trata-se de item fundamental para dar mais graça à condução.
 
A versão V6, de fato, é muito mais agressiva e forte que a 4-cilindros (são 12,3 kgfm a mais de torque), mas pareceu até exagerada em certos momentos. No ciclo combinado, o consumo anunciado no painel era de 5,1 km/l de gasolina.
 
Há, porém, recursos tecnológicos muito interessantes na versão mais cara, como a câmera integrada ao retrovisor direito, que filma o trânsito nos pontos cegos para o motorista. Ela pode se manter sempre ligada na tela de cima do console ou ser acionada somente quando o motorista der seta para a direita.
 
Quem vai no banco de trás de um Accord 6-cilindros tem o mesmo bom espaço do Accord mais "fraco", mas ganha saída de ar-condicionado central e não precisa rodar com as janelas abertas. O porta-malas do sedã continua sendo uma dificuldade para a Honda: ele cresceu de 453 para apenas 461 litros (Toyota Etios sedã ou Chevrolet Cobalt, menores e anos-luz mais baratos, são boas referências de como montar um bagageiro, para citar só dois exemplos).
 
A câmera de ré multivisão (são três posições diferentes) é outra tecnologia útil do novo Accord -- é possível configurá-la na visão traseira convencional, em outra visão mais angular (que capta mais espaço) e em uma inédita visão de cima para baixo.
 
ESTIMATIVA
A Honda vai importar 300 unidades do novo Accord até o final do ano e quer entregar todas elas -- as vendas devem ficar entre 70% para o V6 e 30% para a versão 4-cilindros. Em 2014, a marca deve trazer mais 1.000 unidades. São apenas três opções de cores, por enquanto: branco, prata e preto. Um tom de azul é estudado para o ano que vem.

Viagem a convite da Honda

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Carros

Topo