Carros

Renault pode importar o esportivo Mégane RS, de 265 cv

Divulgação
Mégane RS tem carroceria cupê de duas portas, como manda o verdadeiro figurino esporte Imagem: Divulgação

Claudio Luís de Souza

Do UOL, em São Paulo (SP)

29/04/2013 20h28

A Renault deve trazer para o Brasil ainda neste ano o Mégane RS, cupê esportivo de 265 cavalos assinado pela divisão Sport da marca francesa. Um informante alertou UOL Carros sobre a chegada de dois exemplares do modelo ao porto de Paranaguá (PR), um amarelo, outro preto. Dali, presume-se, os carros seguiram para a sede nacional da Renault, em São José dos Pinhais, ao lado de Curitiba, capital paranaense.

Na Renault, o silêncio sobre o Mégane RS ainda é total, mas UOL Carros conseguiu apurar extra-oficialmente que a importação do esportivo está em fase de estudos. Não há grandes obstáculos para que ela ocorra em breve -- afinal, trata-se de um carro de nicho, que não depende de alto volume de vendas, e por isso pode custar caro.

Mas quanto? Bem, o Mégane RS vale 30.750 euros na França (há uma versão denominada RS Luxe, por 34.350 euros). A conversão bruta para nossa moeda resulta em cerca de R$ 83 mil. Portanto, é carro para (bem) mais de R$ 100 mil. O primeiro e único modelo da divisão Sport lançado pela Renault no Brasil é o Fluence GT, que entrega 180 cavalos de potência e sai por R$ 82 mil.

No Brasil, o Fluence substituiu o Mégane sedã em 2011 e a perua Mégane Grand Tour saiu de linha em 2012. Na Europa, há uma geração totalmente nova do modelo, com carrocerias hatchback, station, cupê e cabrio. A versão GT do Mégane cupê é a mais próxima do RS, e custa 29.600 euros. Como se vê, não é um carro barato nem mesmo em seu mercado natal (a França).

O motor do Mégane RS é um 2 litros, 4-cilindros, a gasolina, sobrealimentado com turbo e dotado de sistema star/stop, que, além de entregar os 265 cv citados acima, gera 36,7 kgfm de torque. A velocidade final é de 254 km/h, e a arrancada de 0 a 100 km/h acontece em 6 segundos cravados, de acordo com a fabricante. O câmbio é manual de seis velocidades.

CONTEÚDO
O pacote de equipamentos do esportivo é bom, mas não é o de um carro de luxo. Na França, a configuração traz de série airbags de cortina (além dos tradicionais), controle eletrônico de estabilidade (ESP), ar-condicionado de duas zonas, sensores de ré, de luz e de chuva, retrovisores rebatíveis por comando elétrico, volante revestido em couro, costuras em vermelho no interior, luzes de posição com LEDs, rodas de liga de 18 polegadas etc. O carro mede 4,3 metros, e sua altura é de 1,42 metro.

Apesar de mais barato, o Mégane GT tem mais itens (inclui luzes de neblina e bancos dianteiros aquecidos); a diferença de preço está no motor turbinado do RS, com mais que o dobro de potência.

Caso se confirme a importação do Mégane RS, a Renault do Brasil passa a experimentar a aceitação do mercado para a criação de uma imagem mais sofisticada (ou seja, "menos Dacia") para pelo menos uma fração de sua gama. Carros como o cupê esportivo, o Fluence GT e o SUV urbano Captur fariam parte dela. O grosso das vendas, no entanto, continuaria vindo de Sandero, Logan e Duster. Todos com DNA romeno.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Carros

Topo