Carros

Hyundai HB20 decepciona em segurança; Ford EcoSport vai bem

Latin NCAP
HB20 colide a 64 km/h contra obstáculo deformável: três estrelas para adultos e só uma para crianças Imagem: Latin NCAP

Eugênio Augusto Brito
André Deliberato

Do UOL, em São Paulo (SP)

19/03/2013 11h36Atualizada em 11/05/2017 17h52

O Latin NCAP (Programa de Avaliação de Carros Novos da América Latina) divulgou nesta terça-feira (19) um complemento à terceira lista de provas de segurança realizadas com modelos vendidos na região (mercado latino-americano, com foco principal sobre América do Sul e Brasil), publicada originalmente em novembro de 2012. Por terem chegado às lojas após este período, Hyundai HB20 e a segunda geração do Ford EcoSport foram avaliados de forma avulsa agora no começo de 2013: o SUV pequeno teve nota de segurança aceitável, mas o hatch compacto decepcionou ao receber índice apenas mediano em segurança de adultos e ficar com a nota mínima na segurança de crianças.

De acordo com o Latin NCAP -- entidade independente, que no Brasil tem o apoio da fundação Proteste (Associação Brasileira de Direito do Consumidor) -- o EcoSport obteve quatro estrelas na avaliação sobre proteção a adultos (ocupantes dos bancos dianteiros) e três na avaliação de proteção de crianças (instaladas sempre no banco traseiro). Enquanto isso, o HB20 obteve três estrelas na segurança de adultos e apenas uma na proteção infantil.

$!$render-component.split('/')[$math.sub($render-component.split('/').size(), 1)]


Quanto mais estrelas um carro receber, mais seguro ele será -- no raciocínio inverso, um modelo com menos estrelas é mais inseguro. Para "gabaritar" o teste, um modelo precisa ser avaliado com cinco estrelas, nota máxima.

Pela conclusão do Latin NCAP, "o HB20 revelou uma estrutura estável durante o ensaio, o que é desejável. No entanto, os seus sistemas de retenção [cintos de segurança, apoios de cabeça e suporte de cadeirinha] não funcionaram adequadamente. A fixação das cadeirinhas infantis com o sistema de retenção para crianças Isofix desempenha um papel significativo na redução de erros de instalação e melhorou o desempenho dinâmico em alguns casos. Foi o que se comprovou no veículo da Ford".

Nos vídeos dos testes de colisão é possível ver como o boneco que representa a criança se choca, no caso do HB20, contra o encosto do banco do passageiro da frente e contra o apoio de cabeça do branco traseiro, o que levaria a ferimentos graves -- e possivelmente mortais -- nas regiões de peito, pescoço e cabeça. Os adultos, por sua vez, teriam contusões no peito e nas mãos.

Este complemento à terceira fase do Latin NCAP apenas confirma o parecer revelado pelo Proteste há cinco meses: "os carros populares mais vendidos na região ainda estão 20 anos atrasados em comparação aos dos países industrializados, e abaixo dos padrões globais".

Por que os testes são feitos com os vidros abertos?

  • Reprodução

    Já reparou que todo teste, seja do Latin NCAP ou do próprio Euro NCAP, são feitos com os vidros abertos? Há uma explicação para isso. Caso eles fossem feitos com os vidros fechados, o reflexo atrapalharia a filmagem (e, consequentemente, a apuração feita por meio das câmeras) e os estilhaços poderiam causar danos nos bonecos, o que confundiria a perícia durante a apuração das escoriações sofridas por eles no acidente

O compacto HB20 é o primeiro modelo construído pela Hyundai no Brasil -- o carro sai da fábrica da marca em Piracicaba (SP) nas configurações hatch (avaliada), hatch aventureiro (chamado HB20X) e desde este mês de março na configuração sedã (HB20S). Nas lojas, o hatchback parte de R$ 31.995 (valores com IPI de março) na versão Comfort 1.0 -- já com airbag duplo de série; freios antitravamento (ABS) são opcionais nesta versão -- e tem sido um sucesso de vendas, com mais de 19.000 unidades emplacadas até fevereiro, mês em que ocupou a quarta posição no ranking geral, atrás apenas de Volkswagen Gol, Fiat Uno e Fiat Palio. 

Além das entregas aquecidas, o modelo da Hyundai tem ainda lista de espera gigante, em alguns casos superior a 90 dias, e analistas de mercado acreditam que o modelo da Hyundai pode ultrapassar os modelos da Fiat e ocupar a segunda posição do mercado em breve. 

O novo EcoSport é construído em Camaçari (BA) sobre a plataforma do New Fiesta, veículo global da Ford. Apesar de ter sido lançado em julho de 2012, começou a ser entregue apenas em novembro. Seus valores começam em R$ 54.800 para a versão 1.6 S, já equipada com airbag duplo e freios com ABS.

Em fevereiro, data da última lista fechada de vendas da Fenabrave (entidades dos concessionários do país), era o 15º colocado geral e primeiro entre os SUVs; no acumulado do ano, entregou 10.691 unidades.

CARROS INSEGUROS
A chamada Fase 3 do Latin NCAP/Proteste começou em novembro de 2012 e foi oficialmente encerrada agora, com a divulgação dos resultados dos novos modelos de Hyundai e Ford. No total, dez modelos foram avaliados pela entidade --  Ford New Fiesta, Ford EcoSport, Honda City, Hyundai HB20, JAC J3, Renault Fluence, Renault Sandero, Toyota Etios hatch, Volkswagen Polo hatchback, todos vendidos no Brasil, além do sedã Volkswagen Bora (mexicano).

Uma ausência importante, por tratar-se de modelo novo e que também está subindo rápido no ranking de vendas, é a do hatch Chevrolet Onix, concorrente direto do HB20. Segundo a assessoria da Proteste, o modelo deve ser incluído apenas na próxima fase do Latin NCAP, a quarta, quando o programa deve perder o caráter "experimental" que teve até então -- o que significa que todo carro lançado no mercado deverá passar obrigatoriamente pelo teste de colisão.

O resultado geral foi vexatório: a regra foi ficar abaixo de quatro estrelas. Na Europa, é raro que um carro obtenha menos de quatro estrelas, do total de cinco possíveis, nas provas do tipo NCAP.

Após o término da terceira etapa, o total de modelos latino-americanos testados nestes últimos três anos chegou a 28. Cada carro foi submetido a uma colisão frontal a 64 km/h contra um obstáculo deformável, que simulava outro automóvel. Em seguida foram atribuídas estrelas -- de cinco, para segurança ideal aos ocupantes, a zero, para os veículos mais inseguro.

Na lista inicial desta terceira fase, o hatch Renault Sandero (na versão sem airbags) foi destaque negativo entre os modelos feitos no país, com resultado preocupante de apenas uma estrela para segurança de adultos, com duas estrelas para crianças. Ao seu lado, ficou o chinês JAC J3 hatch (este, com airbags de série), com o mesmo resultado.

Pelo veredito do Latin NCAP à época, a medíocre avaliação do Sandero era mais decepcionante porque a mesma montadora vende veículos mais seguros não só na na Europa, mas também no Brasil: o Sandero original, da romena Dacia, obteve em 2008 (ano de seu lançamento) três estrelas em segurança geral e quatro para crianças, no Euro NCAP; e o sedã Fluence brasileiro, mais caro, foi relativamente bem na mesma bateria de testes do NCAP latino (quatro estrelas para adultos, duas para crianças).

UOL Carros concorda com a avaliação e a complementa com uma observação: todos os carros vendidos num mercado aquecido e importante como o brasileiro deveriam ter boas notas de segurança, é fato; mas modelos mais novos, como é o caso do Hyundai HB20, deveriam ter obrigatoriamente um nível de segurança melhor, condizente com o que se pratica no restante do mundo, por conta de seus projetos mais recentes. Infelizmente, não é o que se vê. Resta torcer para que não levemos, de fato, vinte anos até que isso ocorra.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Carros

Topo