Topo

Carros

Novo i30 começa a ser entregue; em anúncio, Hyundai não cita motor 1.6

Murilo Góes/UOL
Novo Hyundai i30: hatch oferece ápice do estilo escultura fluida e motor bicombustível Imagem: Murilo Góes/UOL

Claudio Luís de Souza

Do UOL, em São Paulo (SP)

06/02/2013 15h07Atualizada em 06/02/2013 18h12

O primeiro lote de unidades do novo Hyundai i30 já está no Brasil. A fabricante não diz quantos carros são, mas garante que os clientes que o encomendaram no período de pré-venda (em outras palavras, que o compraram sem ver) estão recebendo seus carros agora, e que novos interessados já podem obtê-lo "a pronta entrega".

Em cinco concessionárias da marca em São Paulo ouvidas nesta quarta-feira (6) por UOL Carros, quem comprar o i30 deve receber o carro em cerca de 15 dias (aliás, quem apostou na pré-venda esperou mais). Há unidades do hatch expostas nas lojas, mas por ora será difícil agendar um test-drive.  

Os preços do novo i30 (que é fabricado na Coreia do Sul) sugeridos pela fabricante são R$ 75 mil e R$ 85 mil, sempre com câmbio automático -- conforme antecipado em janeiro, não há sequer previsão de importar carros com câmbio manual. Os vendedores consultados não mencionaram ágio. Em geral, é pedido um sinal de 10% como reserva.

Quer escolher uma cor bacana? Tem preto ou prata.

  • Reprodução

    Pelo menos neste anúncio de página inteira veiculado na Folha de S.Paulo de terça (5), é como se o novo i30 não tivesse motor

A versão de entrada do i30 já é bem completa e, segundo a Hyundai, inclui também navegação por GPS (item que era dúvida até a chegada do lote). Os R$ 10 mil a mais pedidos pela versão top pagam extras interessantes, como teto solar, partida por botão, freio de estacionamento eletrônico, faróis com xenônio, sensor de estacionamento, controle de estabilidade, roda de liga no estepe, Bluetooth, regulagem elétrica no banco do motorista, airbags de cortina, interior em couro e sensor de chuva.

NÃO TEM MOTOR?
A tradicional enxurrada de publicidade da Hyundai já começou, mas, ao contrário do que foi feito com a primeira geração do i30, e com o que se faz habitualmente com toda a gama importada da sul-coreana, não há uma única palavra a respeito de motorização nos anúncios do hatch médio veiculados em jornais de São Paulo a partir desta semana.

O motor do novo i30 é o 1.6 bicombustível já usado no HB20 (fabricado no Brasil) e nos Kia Cerato e Soul (importados). Com etanol, entrega 128 cavalos de potência. Já o i30 de primeira geração usa um propulsor 2.0, somente a gasolina, que gera 145 cv.

A perda de 0,4 litro na capacidade tem sido criticada desde que a motorização do novo i30 foi confirmada, no Salão de São Paulo do ano passado.

Outros hatches médios que rivalizam com o i30 também têm versões com motor 1.6. É o caso de Volkswagen Golf, Citroën C4, Ford Focus e Peugeot 308 (este, recém-lançado). Com etanol, as potências desses carros são de 104 cv, 113 cv, 115 cv e 122 cv, respectivamente.

Como a Hyundai importadora (administrada pelo Grupo CAOA) continua não facilitando o acesso de jornalistas a carros de teste (geralmente oferecidos antes do lançamento ao público), por ora não é possível para UOL Carros avaliar quanto o i30 perde, ou ganha, com o novo motor 1.6.

Colaboraram André Deliberato e Eugênio Augusto Brito

Mais Carros