Topo

Carros

Ministro avalia que preço final da gasolina pode subir 4%

Da Agência Brasil, em Brasília (DF)

30/01/2013 15h44

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, calcula que o reajuste no preço da gasolina será menor para o consumidor e chegará a cerca de 4%. Segundo ele, isso deverá ocorrer porque a gasolina vendida nas bombas conta com 25% de etanol em sua composição.

Na noite de terça-feira (29), a Petrobras anunciou aumento dos preços da gasolina e do óleo diesel nas refinarias da companhia em todo o país a partir desta quarta (30). Segundo a empresa, o reajuste, de 6,6% e 5,4%, respectivamente, foi definido levando em consideração a política de buscar alinhar os preços dos derivados aos praticados no mercado internacional.

O ministro não quis antecipar se ao longo do ano haverá novo reajuste da gasolina. Para Mantega, o aumento é uma política determinada pela Petrobras. "Depende do preço internacional do petróleo e uma série de outros fatores. Não sou eu que defino isso. Eu busco até não comentar esse assunto, que é da Petrobras", disse o ministro em Brasília.

Ele lembrou que no ano passado foi feito mais de um reajuste no preço do combustível, o que não significa "que esse ano haverá novos". O reajuste de 2012, no entanto, não foi sentido pelos consumidores porque o governo terminou "zerando" um dos tributos cobrados sobre o preço do produto.

Mais Carros