Crash test mostra carro brasileiro "atrasado 20 anos" em segurança; Sandero e J3 são os piores

Do UOL, em São Paulo (SP)

  • Latin NCAP/Divulgação

    Crash test do Sandero: na versão básica, sem airbags (nem como opcional), carro é considerado inseguro

    Crash test do Sandero: na versão básica, sem airbags (nem como opcional), carro é considerado inseguro

Nova bateria de provas de segurança automotiva realizados pelo Latin NCAP (Programa de Avaliação de Carros Novos da América Latina), em parceria com a associação Proteste, concluiu que "carros populares mais vendidos na região [América Latina, mas sobretudo Brasil] ainda estão 20 anos atrasados em comparação aos dos países industrializados, e abaixo dos padrões globais".

Segundo nota oficial do Latin NCAP/Proteste divulgada nesta terça-feira (12), é raro que um carro europeu obtenha menos de quatro estrelas, de um total de cinco possíveis, nos ensaios do tipo NCAP. No entanto, entre os sete modelos avaliados nesta 3ª fase (2012) do programa de testes (seis deles vendidos no Brasil), a regra foi ficar abaixo de quatro estrelas.


O carro mais vendido no Brasil entre os avaliados, o Renault Sandero (na versão sem airbags), teve resultado preocupante, de apenas uma estrela, na segurança de adultos, e só um pouco melhor na de crianças (duas).

Modelo exaltado no país especialmente depois que uma revista o desmontou após 60 mil km de rodagem e encontrou peças em estado de novas, o chinês JAC J3 hatch (este, com airbags de série) obteve o mesmo resultado do concorrente da Renault: uma e duas estrelas, para adultos e crianças.

As fases 1 (2010) e 2 (2011) do Latin NCAP obtiveram, de modo geral, resultados igualmente lamentáveis. Em vista disso, a entidade conseguiu ver "algum progresso" na fase 3, apontando que "mais carros latino-americanos obtiveram classificação de segurança de quatro estrelas". Na bateria de testes do ano passado, segundo o NCAP, quatro modelos que receberam apenas uma estrela apresentavam riscos de "lesões até fatais" nos ocupantes.

FRAGILIDADE
De acordo com o Latin NCAP e a Proteste, os testes de colisão de Sandero e J3 apontaram que estruturas frágeis na carroceria colocam em risco a vida de seus motoristas e ocupantes. "O Sandero obteve apenas uma estrela por desempenho instável da carroceria e falta de airbags", diz a nota. A versão de entrada do modelo, a Authentique 1.0, de R$ 27.030, não oferece airbags nem como opcionais (o que terá sde mudar em 2014). O equipamento custa R$ 2.000 (em conjunto com apoios de cabeça traseiros) na versão seguinte.

O NCAP/Proteste toca num ponto que, na visão de UOL Carros, é crucial: a medíocre avaliação do Sandero é ainda mais decepcionante porque a mesma montadora vende veículos mais seguros não só na na Europa, mas também no Brasil (o Fluence foi relativamente bem nos testes). Até mesmo o Sandero original, da romena Dacia, obteve em 2008 (ano de seu lançamento) três estrelas em segurança geral e quatro para crianças, no Euro NCAP. A nova geração do carro, que não chega tão cedo ao Brasil, deve melhorar esses índices.

Outro ponto interessante das conclusões do Latin NCAP é que, apesar de ter dois airbags, o J3 não se mostrou mais seguro que o Sandero. "Isso comprova que airbags não são suficientes para tornar os carros mais seguros quando a estrutura da carroceria é deficiente", diz o relatório.

Veja as notas do Latin NCAP 2012, carro a
carro
Veja Álbum de fotos

METODOLOGIA
A terceira fase do Latin NCAP avaliou Ford New Fiesta, Honda City, J3 JAC, Renault Fluence, Renault Sandero, Toyota Etios hatch, Volkswagen Polo hatchback e o Volkswagen Bora (mexicano). Com eles, o total de modelos latino-americanos testados nestes últimos três anos chegou a 26.

Cada carro foi submetido a uma colisão frontal a 64 km/h contra um obstáculo deformável, que simulava outro automóvel. Em seguida foram atribuídas estrelas -- de cinco, para segurança ideal aos ocupantes, a zero, para os veículos mais inseguros.

As quatro estrelas atribuídas a New Fiesta, City, Fluence, Etios e Polo devem-se aos "benefícios combinados de resistência estrutural da carroceria, airbags e cintos de segurança". O Latin NCAP também destaca as quatro estrelas obtidas em proteção aos ocupantes infantis, por Fiesta e City -- o mérito é da fixação das cadeirinhas de criança diretamente no assento traseiro, em vez de usar o cinto de segurança para tanto.

Saiba mais sobre o Latin NCAP aqui, e sobre a Proteste, aqui.

 

UOL Cursos Online

Todos os cursos