Carros

Atualizada em 16.07.2012 18h31

Parati não acabou, diz Volkswagen; mas não adianta tentar comprar uma

Reprodução
Parati na versão Surf: plataforma de G4 e quase o mesmo preço da SpaceFox mais completa Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo (SP)

A Volkswagen não vende mais a station wagon Parati a pessoas físicas. Concessionárias da marca já nem se dão ao trabalho de elencar o modelo entre suas ofertas de novos. No entanto, a posição oficial da fabricante é a de que a station continua, sim, a ser fabricada e vendida normalmente.

A afirmação da Volkswagen não desmente o que disseram alguns vendedores ouvidos por UOL Carros nesta segunda-feira (16): "Esse carro, agora, só vai para o governo", disse um. Outro falou em "venda a taxistas". A única possibilidade de uma pessoa física conseguir uma Parati seria por encomenda -- resta saber se alguém teria ânimo para isso.

Uma consulta aos números da Fenabrave (associação dos revendedores) revela que, das 1.986 unidades da Parati emplacadas em todo o Brasil neste ano, até o final de junho, apenas 20 não foram vendidas a frotistas -- ou seja, pessoas jurídicas levaram 1.966 carros (99% das vendas).

No ano passado não foi assim. De 4.813 unidades da Parati emplacadas no país, 2.918 foram para pessoas jurídicas (60%); em 2010 também não: naquele ano a perua vendeu 7.025 unidades, sendo 3.849 a pessoas jurídicas (55%). Os dados falam por si: para o comprador comum, a Parati "tem, mas acabou".

Rumores sobre o fim da produção da Parati não são novidade. Ganharam músculo com a informação de que a Volks pretende mostrar um Gol G5 de duas portas ainda este ano, o que subentende a aposentadoria do Gol G4 e de sua plataforma -- a mesma da perua.

Esta não seguiu a reformulação do "primo" em 2008, e também não acompanhará o facelift de Gol e Voyage a ser mostrado nesta terça-feira (17) pela Volks, em Florianópolis (SC), com cobertura de UOL Carros. Mas, ao menos em tese, a perua está no ano-modelo 2013 (assim como Gol e Voyage, aliás).

Vale notar que o sempre confiável site Autos Segredos, do jornalista mineiro Marlos Ney Vidal, publicou no último dia 12 que a Parati deixou de ser fabricada no final de junho.  

ONDE ESTÁ A PARATI?

  • Reprodução

    Catálogo online de modelos novos da Volkswagen em megaconcessionária de São Paulo: tem Gol G4 e Kombi, mas não tem a Parati; lojistas citam compra sob encomenda

NA VOLKS, ELA VIVE
No entanto, no site da Volkswagen do Brasil a Parati ainda é dada como bem viva, embora o slogan do modelo pareça fora de compasso com o mercado: "A station mais jovem do país". O carro foi lançado há 30 anos e substituiu a Variant II -- que, assim como a Brasília (aposentada pelo Gol), é lendária representante da velha Volks (ainda tinha motor traseiro refrigerado a ar).

Na web, a Parati é oferecida em duas versões, a básica e a Surf, mais esportiva, que equivale às variações cross da gama da Volks. Os preços anunciados dão uma ideia do porquê de a Parati ter seu fim quase certamente selado para este ano: a de entrada custa R$ 39.813, e a Surf começa a inacreditáveis R$ 47.477, chegando a R$ 51.392 se dotada de trio elétrico e som com entrada USB. O motor é 1.6, sem a calibragem do VHT que equipa o Gol G5, Polo, SpaceFox e Golf (ou seja, tem menos potência e menos torque).

Para entender como o preço da Parati é irreal, basta notar que a SpaceFox Sportline (topo de gama) com câmbio automatizado e motor 1.6 VHT parte de R$ 54.941 -- também segundo o site da Volks.

A Parati surgiu em 1982 para fazer parte da família do Gol "Caixinha", que incluiu também Voyage e Saveiro. Seu principal apelo era a um certo público jovem que desejava espaço extra para bagagem (para levar, por exemplo, pranchas de surfe). Exatamente o mesmo mote publicitário da SpaceFox.

A station sobreviveu à Quantum, perua grande oriunda do Santana com a qual conviveu numa boa -- mas não ficou à tona quando a maré das minivans e dos SUVs começou a subir no Brasil.

O curioso é que, apesar do iminente fim da Parati, a Volks continua sendo a marca que mais oferece opções de station wagon no Brasil: a citada SpaceFox e, importadas, Jetta Variant e Passat Variant.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Carplace
Carplace
Carplace
Da Redação
Carplace
Carplace
Carplace
Carplace
Carplace
Carplace
Da Redação
Da Redação
UOL Carros

UOL Carros

Cristiano Ronaldo testa supercarro de R$ 7,8 milhões

Dizer que seu produto foi testado e aprovado por uma das maiores estrelas do futebol parece ser um bom argumento de vendas. Foi o que a Bugatti fez. Não que ela precise de muito esforço para vender o hiperesportivo Chiron, mas ainda assim a marca preparou um vídeo promocional em que Cristiano Ronaldo, multicampeão pelo Real Madrid, é convidado para acelerar o supercarro. O atacante experimentou o modelo de absurdos 1.521 cv de potência, capaz de fazer o 0-100 km/h em 2,5 segundos e de alcançar máxima de 420 km/h (e olha que ela é limitada eletronicamente), acompanhado do piloto de testes da marca francesa, Andy Wallace. Confira no vídeo. O próprio jogador fez marketing em cima da ação e publicou imagens do teste em seu Instagram, faturando milhares de curtidas entre seus 91 milhões de seguidores. Dono de um Veyron, antecessor do Chiron, o atual melhor jogador do mundo tem uma coleção de carrões de luxo de fazer inveja, formada por modelos da Ferrari, Porsche, Lamborghini e Rolls-Royce, só para citar algumas marcas. São alguns dos carros do craque os que aparecem ao seu lado no início do vídeo. Ao final da peça, Wallace sugere a Ronaldo que, caso ele queira "ficar com a chave" do Chiron, basta "ligar para a Bugatti?. Não se surpreenda se o goleador lusitano resolver incrementar sua coleção com o Chiron. Para isso ele terá de desembolsar modestos 2,4 milhões de euros, o equivalente a R$ 7,8 milhões.

Best Cars
AutoEstrada
Carsale
Carplace
AutoEstrada
UOL Carros - Blogs - Blog Car and Driver Brasil
UOL Carros - Blogs - Blog Car and Driver Brasil
Carpress
Carplace
Carpress
Car and Driver
Carplace
Car and Driver
Carpress
Carplace
AutoEstrada
Best Cars
Best Cars
Carsale
Carplace
Carros
Carplace
AFP
Carplace
Best Cars
Carplace
Carplace
Carplace
Best Cars
Carplace
Motos - Da Redação
Carplace
Da Redação
Carplace
Best Cars
Carpress
Carplace
Topo