Carros

Hyundai exibe luxo do Equus de olho na elite diferenciada

Murilo Góes/UOL
Equus mostra os dentes para alemães e japoneses e aposta no preço "menos alto" Imagem: Murilo Góes/UOL

Eugênio Augusto Brito

Do UOL, em São Paulo (SP)

A situação do mercado de carros importados não está fácil no Brasil (veja mais detalhes aqui), mas as principais marcas do segmento sabem que a chave é diversificar o portfólio e apostar, principalmente, no nicho de veículos de alto luxo, que segue aquecido no país. O recente retorno da Lexus, divisão elitizada da Toyota, mostra isso. E o novo movimento da Hyundai, também: mesmo se preparando para guerrear no segmento de carros populares com o projeto HB (mais dele aqui), a marca sul-coreana dá passos largos para atrair os olhares das classes A e B com modelos como o Genesis e o Equus.

O que é a Mostra Black

  • Eugênio Augusto Brito/UOL

    Patrocinada pela Hyundai pelo segundo ano consecutivo, a Mostra Black é uma exposição de arquitetura, paisagismo e decoração sediada em São Paulo (SP) até o dia 24 de junho.

    Montada nos espaços de uma casa modernista da década de 1960, terreno de 5.100 m² do bairro de Alto de Pinheiros (Zona Oeste), a mostra traz instalações, conceitos e ambientes internos e externos de uma casa de alto luxo e tem como público endinheirados das classes A e B.

    Para quem curte carros, além dos sedãs Genesis e Equus expostos no espaço Café Hyundai (um misto de sala de estar e garagem), há um Veloster envelopado com traços de HQ e arte asiática contemporânea. A entrada custa R$ 100. (EAB)

Ambos são conhecidos dos amantes de carros: foram mostrados ao público brasileiro durante a última edição do Salão do Automóvel de São Paulo, em 2010 (relembre aqui). A entressafra provocada pelo final da crise econômica mundial de 2008/09, entre outros percalços, atrasou demais a chegada dos modelos, que só agora em 2012 colocam as quatro rodas em solo nacional. Além da rede de concessionários, é possível dar uma olhada em Genesis e Equus num dos ambientes do evento de arquitetura e design Mostra Black, em São Paulo (mais detalhes no quadro ao lado). 

A apresentação segue o estilo hiper realista (ou mega exagerado, se você preferir) das peças publicitárias do Grupo Caoa, que representa a marca no Brasil. Apesar do visual desatualizado do Genesis (o carro segue o antigo estilo da marca e não traz as formas de "escultura fluida" de ix35, Sonata, novo Azera ou mesmo do novo Genesis Coupé mostrado no Salão de Detroit, em janeiro), as propagandas de revistas, jornais e televisão o comparam, já há dois meses, a um Rolls-Royce, com o qual só tem em comum (além das óbvias quatro rodas plantadas no solo) a garantia de cinco anos e o sistema de som premium da Lexicon. Apesar disso, vale pelo bom conteúdo a preço menos salgado: R$ 220 mil (ou R$ 230 mil se você fizer questão de esperar mais para receber um exemplar branco, que a Hyundai considera cor especial).

O mesmo raciocínio vale para o Equus, mas com um algo a mais. Enquanto o Genesis tem 4,97 metros de comprimento com 2,93 m de espaço entre-eixos, o Equus entrega 5,16 metros ponta a ponta da carroceria, com generosos 3,04 m de entre-eixos e conforto de voo executivo para quem vai atrás. Além da garantia e do sistema de som com 17 falantes de 680W e tela multimídia traseira de oito polegadas, o sedã oferece ainda uma identidade diferenciada, com direito a trocar o rotineiro "H" da Hyundai por um ser alado não identificado pairando sobre o capô à Rolls-Royce (uma gerente de vendas da marca arriscou tratar-se de uma andorinha, mas preferiu não confirmar a informação). A grade também faz parte do cartão de visitas, com 14 filetes verticalizados, como se fossem dentes cerrados contra a concorrência. Ela segue, aliás, o estilo coreano (onde o carro é vendido com o nome Centennial), deixando o padrão horizontal (que lembra mais os estilo da Mercedes-Benz) para o mercado norte-americano.

Com duas toneladas de peso, o Equus tem porte de Audi A8, BMW Série 7, Lexus LS 460L e Mercedes-Benz Classe S. De fato, estes são seus concorrentes reais -- e cabe dizer que qualquer nova menção aos ingleses da Rolls-Royce (cujo nível de perfeccionismo faz acreditar que exista um público disposto a entregar ao menos R$ 2 milhões por um de seus carros) seria forçar a barra. Visual e acabamento, aliás, são pensados na medida para agradar o consumidor típico deste tipo de veículo, empresários na faixa dos 50 anos, casados, de perfil conservador, mas disposto a arriscar um pouco para exibir algo diferente na garagem do condomínio.

CompareCar

O site CompareCar exibe detalhes de Mercedes-Benz Classe S, BMW Série 7 e Audi A8, rivais alemãs do coreano Hyundai Equus.

O comprador do Equus leva motor V8 de 4,6 litros com 366 cavalos e 44,8 kgfm de torque, tração traseira, câmbio automático de oito marchas com opção de troca manual sequencial, iluminação com uso massivo de LEDs e fachos de xênon com foco autodirecional, porta-malas de 520 litros com abertura e fechamento elétricos, bancos largos e confortáveis com 12 ajustes elétricos memorizáveis e inclinação até para quem viaja atrás, onde tudo é mais refinado, aliás. A segurança é parelha ao de qualquer sedã de alto luxo respeitável, com airbags duplos frontais, laterais, de cortida e de joelho para o motorista; sistema de freios com ABS (antiblocante), EBD (distribuição eletrônica de força), assistente de frenagem em emergência, controles de tração e de frenagem em curva, freio de estacionamento elétrico; coluna de direção retrátil; cintos de segurança com pré-tensionadores; sistema de ancoragem para assentos infantis; sensores e câmeras de estacionamento dianteiros e traseiros com identificação de pontos-cego; sensores de luminosidade e de chuva, entre outros. Uma cópia do catálogo do sedã indica um pouco mais do pacote de equipamentos e pode ser vista aqui.

O ganho aqui acaba sendo, veja só, no preço: o Hyundai custa R$ 320 mil (não foi especificado se haverá distinção de valores por cor) e deve desembarcar sob encomenda no segundo semestre. Os rivais orbitam entre R$ 500 mil (caso de BMW 750i e Mercedes S400h) e R$ 600 mil (Audi A8 e Lexus). Apesar do cerimonial e da hipérbole publicitária, o Equus é, de fato, adepto do cálculo de custo e benefício, feito na velha e boa calculadora de balcão.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Carplace
Carplace
Carplace
Da Redação
Carplace
Carplace
Carplace
Carplace
Carplace
Carplace
Da Redação
Da Redação
UOL Carros

UOL Carros

Cristiano Ronaldo testa supercarro de R$ 7,8 milhões

Dizer que seu produto foi testado e aprovado por uma das maiores estrelas do futebol parece ser um bom argumento de vendas. Foi o que a Bugatti fez. Não que ela precise de muito esforço para vender o hiperesportivo Chiron, mas ainda assim a marca preparou um vídeo promocional em que Cristiano Ronaldo, multicampeão pelo Real Madrid, é convidado para acelerar o supercarro. O atacante experimentou o modelo de absurdos 1.521 cv de potência, capaz de fazer o 0-100 km/h em 2,5 segundos e de alcançar máxima de 420 km/h (e olha que ela é limitada eletronicamente), acompanhado do piloto de testes da marca francesa, Andy Wallace. Confira no vídeo. O próprio jogador fez marketing em cima da ação e publicou imagens do teste em seu Instagram, faturando milhares de curtidas entre seus 91 milhões de seguidores. Dono de um Veyron, antecessor do Chiron, o atual melhor jogador do mundo tem uma coleção de carrões de luxo de fazer inveja, formada por modelos da Ferrari, Porsche, Lamborghini e Rolls-Royce, só para citar algumas marcas. São alguns dos carros do craque os que aparecem ao seu lado no início do vídeo. Ao final da peça, Wallace sugere a Ronaldo que, caso ele queira "ficar com a chave" do Chiron, basta "ligar para a Bugatti?. Não se surpreenda se o goleador lusitano resolver incrementar sua coleção com o Chiron. Para isso ele terá de desembolsar modestos 2,4 milhões de euros, o equivalente a R$ 7,8 milhões.

Best Cars
AutoEstrada
Carsale
Carplace
AutoEstrada
UOL Carros - Blogs - Blog Car and Driver Brasil
UOL Carros - Blogs - Blog Car and Driver Brasil
Carpress
Carplace
Carpress
Car and Driver
Carplace
Car and Driver
Carpress
Carplace
AutoEstrada
Best Cars
Best Cars
Carsale
Carplace
Carros
Carplace
AFP
Carplace
Best Cars
Carplace
Carplace
Carplace
Best Cars
Carplace
Motos - Da Redação
Carplace
Da Redação
Carplace
Best Cars
Carpress
Carplace
Topo