Carros

Coreano, Chevrolet Sonic estreia motor 1.6 de até 120 cavalos

Divulgação
Chevrolet Sonic hatchback na versão LTZ, que pode ter câmbio A/T de seis marchas: bravo, né? Imagem: Divulgação

Eugênio Augusto Brito

Do UOL, em Armação dos Búzios (RJ)

28/05/2012 19h25

A General Motors apresenta nesta segunda e terça-feira (28 e 29), em Búzios, litoral fluminense, o Chevrolet Sonic. Definido pela fabricante como um compacto premium, o modelo chega às lojas nas carrocerias hatch e sedã. Os preços oficiais serão divulgados apenas na manhã de terça.

Num primeiro momento o Sonic desembarca no Brasil importado da Coréia do Sul (além da fábrica de Bulsan, que foi ampliada para dar conta da demanda global e, agora, brasileira, neste momento o carro é fabricado apenas nos Estados Unidos). Isso significa que ele paga o IPI mais elevado (mas com direito a desconto até 31 de agosto), já que não há acordo comercial entre o Brasil e a Ásia (ou com os americanos). Seus preços são calibrados para disputar roda a roda com modelos pequenos, mas recheados e em alguns casos bastante modernos, como a gama New Fiesta (global), Volkswagen Polo, Fiat Punto e Citroën C3 (que logo será alinhado ao europeu).

Caso o Sonic passe a ser trazido do México, país que só passará a fabricar a nova família no final do ano, ao menos em tese seu preço poderia cair na mesma proporção em que é onerado, agora, pelo IPI de importados. Em tese, como ressaltamos. Isso porque a GM afirma que, na prática, nada no preço do Sonic mudará, venha o carro da Coreia ou do México. Cabe, óbvio, uma explicação.

UOL Carros já dissecou, em outra oportunidade, o fluxo de produção dos novos modelos da Chevrolet, mas vale repetir: Cruze (sedã e hatch) são feitos em São Caetano do Sul (SP), assim como o sedã Cobalt.. A nova S10 sai de São José dos Campos (SP), de onde também virá a nova geração da Blazer e, muito certamente, a minivan Spin (futura substituta de Meriva e Zafira e próximo novidade da GM no Brasil). Gravataí (RS) entrega, neste momento, Celta e Prisma, mas será responsável pela nova família Ônix. A GM prepara ainda a fábrica de motores em transmissões em Joinville (SC), mas não há qualquer plano de fazer carros por lá. Resumindo: não há espaço para novos carros fabricados no Brasil (a Argentina está plena com o Agile), abrindo espaço apenas para novas importações. 

No entanto, segundo executivos da marca, a cota coberta pelo acordo comercial entre Brasil e México está totalmente preenchida pelas importações do Captiva. Assim, qualquer novidade vinda de lá pagaria, sim, o IPI mais elevado. Em termos de frete, Ásia e América Latina se equivalem, nas contas da GM. Ou seja, fica tudo como está, a menos que a demanda pelo Sonic aumente muito além das 1.000 unidades mensais previstas. 

Em termos técnicos, a principal novidade do Sonic é a estréia de um novo propulsor da família Ecotec, conhecida no Brasil especialmente pela unidade bicombustível de 1,8 litro usada no Cruze. O motor do compacto é de 1,6 litro, bicombustível, e entrega 116/120 cavalos de potência a 6.000 rpm (gasolina/etanol), e gera torque de 15,8/16,3 kgfm a 4.000 rpm. O Sonic mais pesado, o sedã topo de gama, chega a 1.207 kg.

O QUE ELE TEM
Em conjunto com o motor Ecotec 1.6 16V, o Sonic oferece como equipamento de série uma transmissão manual de cinco marchas.

Além do ineditismo do Sonic, que entrega linhas mais agressivas que a média da Chevrolet atual, mesmo sendo fabricado sobre a mesma plataforma que origina o Cobalt, a aposta da GM também inclui um pacote recheado para as duas versões do modelo (LT e LTZ). Não há, nem haverá, de acordo com os planos iniciais, uma versão LS, mais básica (o futuro Ônix terá a função de opção mais em conta). 

A de entrada oferece, de série, ar-condicionado, airbags dianteiros, direção hidráulica, computador de bordo, freio com ABS (antitravamento) e EBD (distribuição de força de frenagem), trio elétrico, rodas esportivas de aro 15" e desembaçador do vidro traseiro. Já o Sonic LTZ traz este pacote acrescido de sensor de estacionamento, faróis de neblina dianteiros, apliques cromados nas maçanetas internas, friso lateral cromado, rodas aro 16" com pneus 205/55, descansa-braço central, volante multifuncional com comandos do som e rede porta-objetos no porta-malas.

Câmbio automático de seis marchas (identificado na carroceria com o emblema Ecotec6), piloto automático e revestimento dos bancos em couro são opcionais exclusivos da versão LTZ.

Como se viu nas fotos de flagrantes que UOL Carros publicou ao longo dos últimos meses, o Sonic chega com algumas cores fortes, para agradar o consumidor "jovem e moderno" que é seu público-alvo: vermelho flame, azul boracay (exclusiva do hatch), cinza urban, prata switchblade (em português, "prata canivete"), preto carbon flash (todas metálicas) e branco summit (sólida).

UOL Carros publica nesta terça-feira (29) a tabela completa de preços do Sonic, bem como suas impressões ao dirigir.

Viagem a convite da General Motors do Brasil

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Carros

Topo