Carros

Audi A3 recebe melhorias para encarar rivais ferozes

Newspress
Audi A3: compacto da marca alemã já não é o caçula da casa, mas ainda é "mimado" Imagem: Newspress

Rodrigo Lara

Do UOL, em Genebra (Suíça)

06/03/2012 21h51Atualizada em 07/03/2012 18h02

A Audi afirma que seu hatch A3 deu, em 1996, o pontapé inicial no segmento dos compactos premium. A afirmação, que definitivamente não é exagerada (basta lembrar a febre que a primeira geração do carro provocou quando foi lançado no Brasil) o coloca como alvo preferencial do segmento. Miram nele o renovado -- em 2011, mas com lançamento no Brasil na próxima semana -- BMW Série 1 e o recém-reinventado Mercedes-Benz Classe A.

Essa briga tende a ser bem parelha após a apresentação da terceira geração do hatch da Audi, feita nesta terça-feira (6) durante o Salão de Genebra, na Suíça. Para o Brasil, o modelo pode ser esperado por volta de agosto ou setembro próximos.

Sem quebrar sua ligação com o passado, a marca das quatro argolas tratou de alinhar o seu compacto, visual e tecnologicamente, ao que de mais moderno ela oferece em sua linha. A rigor, o A3 agora carrega técnicas de construção e visual similares aos do crossover Q3.

A semelhança mais nítida com o jipinho está no formato dos LEDs nos faróis, que passam a margear o conjunto óptico dianteiro. A frente ainda ganhou uma grade em formato hexagonal, no melhor estilo "quanto maior, melhor". Completam o conjunto dianteiro os nichos dos faróis de neblina, que dão ao conjunto um aspecto mais esportivo que o da geração anterior do hatch.

Alguns vincos diferentes no capô e na lateral, e chegamos à traseira. O desenho das lanternas é simples, recortadas pela tampa do porta-malas. Não há grande ousadia, e nisso reside o maior trunfo de estilo do novo A3: ele se torna atemporal, sendo clássico e arrojado ao mesmo tempo.

RENOVAÇÃO INTERIOR
O acabamento interno do A3 segue a proposta do exterior: qualidade sem exageros. Lembra bastante, novamente, o encontrado no crossover Q3, principalmente na disposição dos comandos no console central, no formato do volante e na tela localizada na porção superior do centro do painel. Os mostradores seguem o padrão Audi, com conta-giros e velocímetro dominando o espaço, divididos por uma tela colorida que mostra informações do sistema de navegação e do computador de bordo.

O acabamento das portas e dos bancos ajuda a reforçar essa sensação de qualidade. De maneira geral, é uma cabine aconchegante -- mas é bom lembrar que o A3 é um carro feito para carregar quatro adultos com conforto. Quer utilizar a parte central do banco traseiro? Vá, mas por sua conta e sob o risco de ter uma viagem mais cansativa do que o normal.

Crossover é o paradigma

  • Murilo Góes/UOL

    O Q3 foi lançado no Brasil este ano para ser o menor SUV/crossover da marca -- há também os mamutescos Q5 e Q7. No estilo e no conteúdo, ele inspira o outro "3" (referência ao porte), o A3, na reestilização mostrada em Genebra e esperada para o Brasil no segundo semestre.

Em relação ao A3 anterior, o novo não cresceu em comprimento. O que mudou foi o entre-eixos: agora são 2,6 metros. O carro também emagreceu: a forma de construção, que utiliza materiais de alta resistência (similar à vista no Q3), deixou o modelo mais leve. No caso da versão 1.4 TFSI, o peso total do carro é de apenas 1.175 kg. Em média, o modelo ficou 80 kg mais leve que o antecessor.

Por falar em versões, o A3 possui três opções de motores e três níveis de acabamento. Ele pode ir de 1.4 TFSI (turbinado e com injeção direta, rende 122 cavalos e vem com câmbio manual), 1.8 TFSI (também turbinado e com injeção direta, gera 180 cv e tem transmissão automatizada de dupla embreagem S-tronic) e 2.0 TDI (diesel e turbinado, produz 150 cv e tem caixa de marchas manual).

Esses motores podem ser combinados com três pacotes de acabamento: Attraction, Ambition e Ambiente, cada um com uma tipo de personalização de interior e uma lista vasta de opcionais, que vão de faróis adaptativos até sistema de telefonia com acesso à internet.

Há também a possibilidade de equipar o carro com o Audi Drive Select, que ajusta diversos componentes do modelo de acordo com o modo de condução preferido. O pacote de segurança é completo, com itens como controle de estabilidade e de tração, freios ABS (antitravamento), diferencial de escorregamento limitado eletrônico e airbags.

E a Audi não parou por aí. Enquanto a versão apresentada no Salão de Genebra começará a ser entregue no meio do ano, com preços a partir de 21.600 euros na Alemanha, versões híbridas, movidas a gás e com tração nas quatro rodas já estão em desenvolvimento. Com disposição de sobra para encarar os rivais, aparentemente o pioneiro Audi A3 -- em sua nova geração e alinhado com os demais carros da marca -- só precisa se cuidar para não ser confundido com um A1 maior, ou um Q3 mais baixo, ou um A4 hatch...

Viagem a convite da Mercedes-Benz
 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Carros

Topo