Carros

Preço de opcionais para carros populares podem variar 78%

Da InfoMoney

05/09/2011 10h57

O consumidor deve ficar atento quando for adicionar itens opcionais ao carro básico. Segundo pesquisa do Idec (Intituto Brasileiro de Defesa do Consumidor), o preço de cada item pode variar até 78%.

MAIOR DIFERENÇA

  • Murilo Góes/UOL

    Para Ford Ka (acima), Volkswagen Gol (primeiro abaixo) e Renault Clio, direção e ar podem encarecer preços em mais de R$ 6 mil.

  • Divulgação
  • Divulgação

Foram avaliadas as práticas comerciais de cinco fabricantes do país que oferecem carros básicos: Chevrolet (Celta LS), Fiat (Palio Fire Economy), Ford (Ka), Volkswagen (Gol) e Renault (Clio). De acordo com o instituto, o preço do ar condicionado -- único item disponível para a venda separadamente nas concessionárias -- é de R$ 2.700 para o Gol e de R$ 4.810 para o Ka, ou seja, diferença de R$ 2.110 (78,15%).

Além da variação entre os preços dos opcionais, itens como ar condicionado e direção hidráulica ainda podem contribuir para que o carro fique mais de 20% mais caro. No caso do Palio Fire e do Celta LS -- únicos modelos em que é possível comprar os dois itens separadamente --, o valor final dos carros chega a ficar de 15% a 20% mais caro. Já para Ka, Gol e Clio -- a direção hidráulica e ar condicionado só podem ser adquiridos em um pacote com outros opcionais -- o aumento do curto final do carro é de até R$ 6.200.

VENDA CASADA
Segundo o Idec, quando os itens de segurança não vem de fábrica com o automóvel, a comercialização deve ser feita separadamente. "Não há requisito técnico que justifique apenas a oferta conjunta desses itens. Logo, a prática é venda casada", afirmou o advogado do Idec, Guilherme Varella.

TAMBÉM É PUXADO

  • Divulgação

    Para Celta (acima) e Palio Fire, alta por itens opcionais pode chegar a 20% do valor.

  • Divulgação

O Instituto constatou venda casada em outros aspectos. Entre todos os opcionais pesquisados, o ar condicionado foi o único disponível para a venda separada nas concessionárias de todas as empresas.

Na maioria das vezes, o consumidor não pode comprar o item separado, somente dentro de um kit. "Sugerir a compra de um carro completo e indicar apenas um kit, de valor alto, sem a possibilidade de negociação dos componentes, representa restrição à liberdade de escolha do consumidor, que é garantido pelo Código de Defesa do Consumidor", explica Varella.

Em resposta ao Idec, a Fiat confirmou que não vende produtos opcionais separadamente e alegou que os combos não configuram venda casada, pois não estão atrelados à compra do veículo. A Ford também afirmou que os kits não configuram venda casada, mas "meras opções de produtos que facilitam a escolha dos clientes".

Já a Renault argumentou que o Clio é comercializado em diferentes versões, que são "configurações de fábrica" disponíveis para escolha do cliente. A Volkswagen informou que as configurações de seus veículos são programadas de acordo com a demanda mercadológica e que alguns componentes são estruturados conjuntamente por necessidades técnicas.

A Chevrolet não se manifestou sobre o assunto.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Carros

Topo