Topo

Carros

Kia estreia motor flex no Soul; carro parte de R$ 52.900

Divulgação
<b>Kia Soul Flex: pioneiro do motor bicombustível entre os carros da sul-coreana</b> Imagem: Divulgação

RODRIGO LARA

Enviado especial a Itu (SP)

29/03/2011 20h47Atualizada em 29/03/2011 20h50

Apresentado no Salão do Automóvel de São Paulo de 2010, o Kia Soul com motor flex teve seu lançamento à imprensa nesta terca-feira (29), em Itu (SP), cidade-sede da empresa no país. Sua chegada marca a adoção do primeiro motor flex pela fabricante sul-coreana em território brasileiro.

A versão monocombustível do carro chegou ao Brasil em 2009. Com motor flex, o movonolume é oferecido em duas versões básicas, que podem ser incrementadas com pacotes de equipamentos. O câmbio automático de quatro marchas -- agora com opção de trocas sequenciais -- é a diferença principal. 

Kia Soul flex 1.6 manual -- R$ 52.900
K
ia Soul flex 1.6 automático -- R$ 63.900

Os R$ 11 mil entre uma versão e outra devem-se aos equipamentos extras que dotam o Soul A/T "básico".

O motor flex de 1,6 litro, principal novidade do modelo, rende 130 cavalos com etanol e 126 cavalos com gasolina, sempre a 6.300 rpm. O torque, por sua vez, bate nos 16 kgfm com etanol a 5.000 rpm e nos 15,7 kgfm com gasolina, valor atingido às 4.500 rpm.

O Soul 2011 mantém como opcional a câmera auxiliar montada na traseira do veículo; quando engatada a marcha à ré, ela transmite imagens para o retrovisor interno. O painel mudou, assim como as maçanetas, que deixaram de ser embutidas.

PRÓXIMOS PASSOS
Atualmente o Kia Soul corresponde a 24% das vendas da Kia no Brasil. No primeiro trimestre do ano, foram emplacadas 4.069 unidades do veículo, segundo a fabricante. Apenas para efeito comparativo, 1.334 Soul foram comercializados no mesmo período de 2010. A expectativa da Kia é vender 18 mil Soul até o final de 2011.

Motores flex, em gestação pela Kia desde 2009 -- com os testes de campo iniciados em 2010 --, deverão equipar outros modelos da fabricante, como o sedã Cerato e a nova geração do compacto Picanto (este com um 1.0 de três cilindros), ainda este ano. São adições importantes para a linha da Kia e iniciam a tendência de vermos carros importados feitos sob medida para o gosto brasileiro.

Mais Carros