Carros

Jeep Cherokee Limited quer aliar mais conforto ao temperamento off-road

Carta Z Notícias
Jeep Cherokee Limited: mais de duas toneladas e um jeitão de tanque de guerra Imagem: Carta Z Notícias

Da AutoPress

Especial para o UOL

12/06/2010 11h05

ÁLBUM DE FOTOS
Carta Z Notícias
DETALHES DO CHEROKEE

Para engrenar suas vendas no Brasil e retomar a confiança do mercado em meio a um cenário de recuperação do Grupo Chrysler, a Jeep lança uma nova versão mais sofisticada e bem-acabada do Cherokee. Denominada Limited, a nova configuração do utilitário é a principal aposta da fabricante norte-americana para alcançar a meta de mil unidades comercializadas em 2010. Junto a ela está a -- agora -- versão de entrada Cherokee Sport. Uma tentativa de afirmação depois da concordata anunciada pela montadora e a compra de 20% de suas ações pela Fiat, no ano passado.

Dona de um conjunto que jura cumprir com eficiência tanto trajetos urbanos como situações off-road, a nova variante Limited do Cherokee alardeia mais conforto para o motorista em relação à Sport. Entre as novidades, estão presentes teto solar com acionamento elétrico, bancos de couro -- sendo que os dianteiros possuem regulagem elétrica e sistema de aquecimento -- e novo sistema de memória que grava a posição dos espelhos retrovisores, bancos do motorista e estações de rádio preferidas. Assim como o Cherokee Sport 2010, esta versão topo de linha recebeu apoios de cabeça ativos e computador de bordo.

FICHA TÉCNICA
Jeep Cherokee Limited

Motor: Gasolina, dianteiro, longitudinal, 3.700 cm³, seis cilindros em “V” a 90 graus, duas válvulas por cilindro e comando simples de válvulas no cabeçote. Injeção eletrônica multiponto seqüencial e acelerador eletrônico. Cabeçote de alumínio.
Transmissão: Câmbio automático de três velocidades à frente mais overdrive e uma a ré. Tração traseira, com opção de tração nas quatro rodas e de reduzida. Bloqueio do diferencial central em conjunto com os freios e diferencial traseiro com escorregamento limitado. Controle eletrônico de tração.
Potência máxima: 205 cv a 5.200 rpm.
Torque máximo: 32 kgfm a 4.000 rpm.
Diâmetro e curso: 93,0 mm x 90,8 mm. Taxa de compressão: 9,7:1.
Suspensão: Dianteira independente com braços em "A", molas helicoidais, amortecedores pressurizados e barra estabilizadora. Traseira por braços múltiplos com cinco pontos de apoio, molas helicoidais, amortecedores pressurizados e barra estabilizadora. Controle eletrônico de estabilidade.
Freios: A discos ventilados na frente e discos sólidos atrás. ABS e EBD.
Carroceria: Utilitário esportivo médio em monobloco, com quatro portas e cinco lugares. 4,49 metros de comprimento, 1,83 m de largura, 1,79 m de altura e 2,69 m de entre-eixos. Airbags frontais e laterais dianteiros e traseiros.
Peso: 2.115 kg em ordem de marcha. 431 kg de carga útil.
Porta-malas: 419 litros e 1.404 litros com o banco traseiro rebatido.
Tanque: 73,8 litros.
Capacidade off-road: Ângulo de entrada de 38º, de saída de 30º, capacidade de inclinação de 21º e 24 cm de vão livre do solo.
Produção: Ohio, Estados Unidos.
Lançamento: 2007 (geração atual).
Lançamento no Brasil: 2008.

No quesito segurança, o utilitário é bem servido. Estão lá freios ABS (antitravamento), seis airbags (frontais, laterais dianteiros e do tipo cortina), controle de tração, controle de estabilidade e, ainda, o sistema ERM, que administra a rolagem da carroceria. Em relação ao conforto, o condutor do Cherokee Limited conta com rádio/CD/DVD/MP3 com sistema Bluetooth, além dos já "esperados" ar-condicionado e direção assistida.

O exterior da versão Limited traz como novidades apenas grades frontais e protetores laterais cromados, além de rodas de alumínio de 17 polegadas. Fora esses detalhes, o estilo "caixotinho" se mantém. Na dianteira o para-choque é pronunciado e os faróis circulares são integrados à grande grade cromada. Os piscas em formato retangular avançam sobre o para-lamas. Lateralmente há as clássicas linhas retas do Cherokee e um friso cromado levando o nome do modelo. A traseira segue a mesma fórmula de aparência robusta, e integra lanternas retangulares a uma grande tampa de porta-malas com vidro pequeno.

Para mover o utilitário esportivo de 2.115 kg permanece o motor da versão Sport: um V6 3,7 litros a gasolina, capaz de desenvolver 205 cv de potência a 5.200 rpm e com torque máximo de 32 kgfm a 4.000 rpm. A caixa de marchas é automática (sem opção de troca sequencial) de quatro velocidades. Para encarar condições extremas fora de estrada, a Cherokee Limited conta com sistema de tração integral nas quatro rodas com opção de reduzida, suspensão dianteira independente e traseira com cinco pontos de fixação, além de quatro placas de proteção sob o veículo, para radiador, suspensão dianteira, cárter, diferencial central e tanque de combustível.

As configurações da Cherokee apontam para características off-road, sem perder o foco na condução no asfalto. Com este espírito e preço de R$ 129 mil para a versão Limited (a Sport continua sendo comercializada por R$ 117.900 sem teto solar, assentos em couro e detalhes cromados no exterior), a Cherokee quer ganhar mais fôlego e argumentos para disputar consumidores com modelos como Nissan Pathfinder (a partir de R$ 122.100) e Land Rover Freelander (a partir de R$ 114.767). (por Marcelo Cosentino)

IMPRESSÕES AO DIRIGIR
Um quadrado bem versátil

BRASÍLIA (DF) -- As linhas do Jeep Cherokee sugerem um modelo capaz de encarar todos os terrenos e qualquer desafio. Ao entrar no carro e ver que o interior foi caprichado, logo percebe-se a tentativa de unir o "melhor de dois mundos". Com o motor V6 3.7 litros e 205 cv, o SUV é capaz de encarar lama e asfalto.
Nas estradas da capital federal e do interior de Goiás ficou claro que a suspensão mais ajustada para ataques off-road prejudica a estabilidade do modelo no asfalto. Nas curvas, o modelo torce a carroceria e fica meio "bobo". Nas retas, a comunicação entre rodas e volante fica imprecisa aos 160 km/h. E sua velocidade máxima chega a 180 km/h, mais do que o suficiente para um modelo que não nasceu para ser um esportivo.
Ainda nas estradas, o Cherokee requer paciência e certeza de segurança para ultrapassagens. Seu motor por vezes parece insuficiente para movimentar um modelo de mais de duas toneladas. O câmbio de quatro marchas também não ajuda. Para acelerar, elas são reduzidas bruscamente e o giro do motor sobe de maneira vertiginosa e barulhenta.
No interior, o carro ganhou mais requinte e bons materiais. Dentro da versão Limited é possível esquecer que se está num "tanque" capaz de superar diversos obstáculos. O sistema de áudio, bancos de couro, ar-condicionado, direção assistida e outros detalhes garantem conforto ao motorista, que só é despertado pelo barulho das trocas de marcha. Mesmo assim, o espaço interno não é grande trunfo do modelo, mesmo porque um entre-eixos maior poderia comprometer sua vocação lameira. Sem espírito esportista, e sim com alma de aventureiro, o Jeep Cherokee Limited tem um excelente sistema de freios, bastante preciso, que segura bem o pesado SUV nas frenagens bruscas.
Segundo a Chrysler, o público-alvo do SUV são homens solteiros entre 30 e 40 anos. Muito pouco quando se pensa na quantidade de lugares e de possibilidades desse "quadradão". E para facilitar as investidas fora de estrada, o Limited conta com um útil sistema de tração selecionável, com as opções 2WD (traseira), 4WD Auto, 4x4 normal e 4WD Low (reduzida).

 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Carros

Topo