Carros

Volkswagen Passat CC se destaca pelo design, algo raro nos modelos da marca

Da AutoPress

Especial para o UOL

06/06/2010 10h00

Ser dona de marcas como Audi, Lamborghini, Bugatti e Bentley, além de parceira da Porsche, traz diversos benefícios. Só que a Volkswagen costuma lançar mão da tecnologia e dos motores potentes de suas subsidiárias e raramente ousa no design de suas criações. Mas há exceção: o Passat CC foge dos padrões comportados e segue um estilo mais arrojado. De quebra, o cupê quatro portas -- a sigla CC significa “Comfort Coupé” -- é um 2+2 que reúne um conjunto mecânico moderno, com a consagrada caixa Tiptronic de dupla embreagem, motor V6 com injeção direta e tração integral, todos herdados das modernas parceiras do grupo germânico.

  • Luiza Dantas/Carta Z

    Modelo usa plataforma da linha Passat, mas se diferencia com tecnologia e beleza

O visual instigante tem seu cartão de visitas na parte frontal. O Passat CC tem capô curto e inclinado, com linhas predominantemente lisas e apenas dois discretos vincos que se pronunciam até a ponta e formam a moldura da grade trapezoidal. O conjunto óptico ostenta faróis com desenho irregular, extremidades pontiagudas, contornos arredondados na parte inferior e cortes retos na parte superior. No perfil, a agressividade do modelo fica mais evidente pela linha de cintura e pelo vinco da carroceria em cunha acentuada. O caimento em arco do teto reforça a proposta do carro da Volkswagen. Na traseira, o vidro inclinado praticamente se une à tampa do porta-malas com as extremidades levemente abauladas em um desenho fluido. A ponta da tampa do bagageiro forma uma espécie de arco e as lanternas horizontalizadas abusam dos contornos arredondados.

A estrutura do modelo também usa e abusa da tecnologia que a montadora costuma embarcar em suas marcas premium. Para começar, o conjunto mecânico conta com o motor V6 3.6 FSI com injeção direta, 300 cv de potência a 6.600 rpm e 35,6 kgfm de torque máximo entre 2.400 e 5.300 giros. O propulsor trabalha com a transmissão Tiptronic de seis velocidades (herança da Porsche), com embreagem dupla DSG (emprestada da Audi) e tração integral 4Motion (semelhante à quattro, também usada pela Audi).

Na parte de equipamentos, a Volkswagen caprichou para que o carro tenha condições de brigar no seleto nicho de cupês de quatro portas. Na segurança, airbags frontais, laterais dianteiros e do tipo cortina, bloqueio eletrônico do diferencial, sensores de monitoramento da pressão dos pneus e de obstáculos dianteiros e traseiros, controle eletrônico de estabilidade, freios com ABS e EBD, faróis de xênon direcionais, retrovisores eletrocrômicos, entre outros. No conforto, ar de duas zonas, direção eletro-hidráulica, trio, revestimento em couro, bancos dianteiros elétricos com memória para o do motorista, rádio/CD/MP3 com disqueteira e entrada auxiliar, volante com ajustes de altura e de profundidade, sensor de chuva, computador de bordo e controle de cruzeiro, entre outros.

Nesta configuração, o Passat CC custa R$ 174.290. Com o único opcional, o teto-solar panorâmico basculante, vai a R$ 179.446. Peca em alguns detalhes, como o som não oferecer entrada para USB, SD Card ou Bluetooth, itens encontrados até no Gol, ou ajuste elétrico da coluna de direção. É verdade que fica bem mais barato que o A5 Sportback, seu mais novo colega de grupo (R$ 254.500), ou que o Mercedes-Benz CLS 350 (R$ 319 mil). Mas é o preço de ser uma marca que se tornou mundialmente conhecida por fabricar carros populares. 

FICHA TÉCNICA: Volkswagen Passat CC

Motor:Gasolina, dianteiro, transversal, 3.597 cm³, seis cilindros em “V”, quatro válvulas por cilindro e comando duplo no cabeçote. Injeção direta de combustível e acelerador eletrônico.
Transmissão:Câmbio automático de seis velocidades à frente e uma a ré com sistema de embreagem dupla e sistema seqüencial manual com trocas na manopla do câmbio ou através de borboletas na coluna de direção. Tração integral nas quatro rodas. Controle eletrônico de tração.
Potência máxima:300 cv a 6.600 rpm.
Torque máximo:35,6 kgfm de 2.400 a 5.300 rpm.
Diâmetro e curso:89,0 mm x 96,3 mm. Taxa de compressão: 11,4:1.
Suspensão:Dianteira independente do tipo McPherson, com molas helicoidais integradas e amortecedores telescópicos hidráulicos pressurizados a gás. Traseira independente, com braço transversal e longitudinal, molas helicoidais e amortecedores telescópicos hidráulicos pressurizados a gás. Controle eletrônico de estabilidade.
Freios:Discos ventilados na frente e atrás. ABS, EBD e assistente de frenagem de emergência.
Pneus:235/40 R18.
Carroceria:Cupê em monobloco com quatro portas e quatro lugares. Com 4,79 metros de comprimento, 1,85 metro de largura, 1,43 metro de altura e 2,71 metros de distância entre-eixos.
Peso:1.632 kg.
Porta-malas:452 litros.
Tanque:68 litros.

IMPRESSÕES AO DIRIGIR
As linhas modernas e arrojadas do Passat CC já sugerem um desempenho instigante. Mas não evitam a surpresa quando o motorista liga o carro e pisa com vontade no pedal do acelerador. Com 300 cv despejados pelo motor, as quatro rodas respondem imediatamente e colam o corpo do motorista no banco esportivo nas arrancadas. Esse apetite não sofre qualquer interferência do câmbio Tiptronic DSG de seis velocidades. As mudanças de marcha são praticamente imperceptíveis, graças à caixa de dupla embreagem. Enquanto uma engata a marcha atual, a outra embreagem já deixa a próxima pré-engatada. Ou seja, nada de buracos ou trancos.

Esse eficiente conjunto também privilegia a performance do Passat CC na hora de encarar trechos de subida e em ultrapassagens. Os 35,6 kgfm de torque máximo já se oferecem aos 2.400 giros. Com isso, o motor enche rápido em uma ampla faixa de rotações -- até as 5.300 rpm -- e otimiza as retomadas. O 60 km/h a 100 km/h, por exemplo, pede apenas 4,9 segundos. A condução na serra fica mais divertida ao fazer as mudanças de velocidade no seletor de marchas do volante. Com isso, o motorista tem uma maior interação com o carro ao fazer reduzidas ao bel-prazer.

Nas curvas, aliás, o CC demonstra seu equilíbrio impecável. A ótima rigidez torcional, a tração nas quatro rodas e os dispositivos eletrônicos de estabilidade mantêm o modelo comportado, sem qualquer menção de desgarrar, mesmo em velocidades altas. Nas frenagens bruscas, o ABS e o EBD ajudam a manter o carro na trajetória e a o carro mergulha minimamente.

Como todo cupê, o Passat CC peca pelos acessos. Apesar das portas amplas, a altura diminuta e os bancos rebaixados dificultam a entrada dos ocupantes. Por dentro, o modelo oferece ergonomia correta, com a maioria dos comandos bastante intuitivos -- só mesmo os comandos do ar-condicionado destoam. Os bancos acomodam bem os passageiros da frente, que ainda contam com ajustes elétricos dos assentos. O espaço para pernas também é satisfatório para motorista e carona, mas os passageiros de trás têm menos sorte, com pouco vão para cabeças e pernas.

A visibilidade dianteira é boa, mas as largas colunas centrais e traseiras atrapalham na hora de estacionar e de atravessar um cruzamento. Pelo menos, o modelo oferece sensores de obstáculos dianteiros e traseiros. Assim, mesmo os poucos detalhes negativos inerentes a um cupê ficam em segundo plano. (por Fernando Miragaya)
 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Carros

Topo