Carros

Audi A5 Sportback mistura conceitos e tenta fisgar pelo preço

Claudio de Souza

Do UOL, em Indaiatuba (SP)

29/04/2010 16h40

A Audi apresentou nesta quarta-feira (28) o A5 Sportback, uma variação quatro portas do cupê esportivo que promete versatilidade para uso familiar. Segundo a marca alemã, o A5 Sportback reúne "o melhor de três mundos" -- ou, em outro exercício de retórica, é "um carro três em um": aparência de cupê, conforto de sedã e praticidade de station wagon.

Por R$ 189 mil, o comprador de um A5 Sportback leva para casa o maior entre-eixos da Audi: são 2,81 metros, um número quase improvável para um carro de 4,71 metros. É mais distância até que a encontrável no sedã grande de luxo A8 na versão esticada vendida na China, segundo a Audi. O "segredo": posicionar as rodas nas extremidades da carroceria.

  • Murilo Góes/UOL

    O Audi A5 Sportback que unir cupê, sedã e station wagon um só carro

Tanto espaço permite que, apesar da curva descendente do teto em direção à traseira (que lhe dá o "jeitão" de cupê, apesar das quatro portas), o A5 Sportback ofereça um habitáculo amigável para quatro pessoas e um bom porta-malas de 480 litros, que cresce para 980 com o rebatimento do encosto do banco traseiro. Para reforçar a sensação de praticidade, a tampa traseira do A5 Sportback abre como a de um hatch ou station: a janela vai junto. Não é bonito visualmente, mas certamente é funcional. 

Sob o capô, o A5 Sportback traz o premiado motor 2.0 TFSI a gasolina, turbocomprimido, capaz de gerar 214 cavalos de potência e 35 kgfm de torque, numa faixa que vai de 1.500 rpm a 4.200 rpm. Ele é dotado de algumas exclusividades da marca alemã, como o sistema Audi Valvelift de controle das válvulas de admissão, além de um Kers semelhante ao dos carros de Fórmula 1, mas que reaproveita a enegia cinética da desaceleração como eletricidade para bateria e alternador.

De acordo com a Audi, tudo isso, mais o peso reduzido da carroceria e de outros componentes (são 1.530 kg, graças ao uso intensivo de alumínio), permite levar o carro a uma velocidade máxima de 234 km/h e a uma aceleração de 0 a 100 km/h em 7,4 segundos com um consumo de combustível baixo -- 10,5 km/l na cidade e 17,2 km/l na estrada. Os números são de fábrica.

Na comparação com outros modelos da Audi, todos bem mais caros (o A5 Coupé custa R$ 259.500), o A5 Sportback economiza no habitual show de tecnologia da marca. Para começar, o carro não dispõe da tração integral quattro -- ela poderá vir numa configuração mais completa e cara, talvez até o final do ano. Também não há, nem mesmo como opcionais, itens como o Adaptative Cruise Control, que acelera e freia o carro de acordo com o fluxo do trânsito, e o Drive Select, que altera padrões de direção, suspensão e motor de acordo com o gosto do motorista.

Essa proposta mais despojada não afeta conforto e segurança. Os bancos dianteiros possuem múltiplos ajustes elétricos (inclusive lombar), o ar-condicionado é digital de duas zonas de resfriamento, o revestimento central dos bancos é em couro alcantara (mais macio) e o teto solar é de série; há quatro airbags (dois frontais e dois laterais), ABS (antitravamento) e EBD (distribuição de força de frenagem) nos freios e controle eletrônico de estabilidade (ESP).

  • Murilo Góes/UOL

    Como nos cupês, o novo Audi A5 Sportback não tem molduras em todas as portas

Outros itens são computador de bordo, controle de cruzeiro (simples), sensor de estacionamento dianteiro e traseiro, faróis de xênon (com lavador), sensor de luz e chuva, retrovisor eletrocrômico etc. Para garantir um quê de emoção a bordo, os bancos dianteiros têm formato esportivo e há shift paddles para trocas manuais de marcha.

IMPRESSÕES
Por fora, o A5 Sportback tem a peculiaridade de parecer muito menor do que realmente é e o mérito de não lembrar outros carros com propostas semelhantes, como o Mercedes-Benz CLS e mesmo o Volkswagen Passat CC. Isso se deve ao posicionamento extremo dos eixos na carroceria e a uma silhueta que consegue impor curvas à exígua altura de 1,39 metro (1 cm mais baixo que um Honda Civic). Como num cupê de duas portas, as quatro do A4 Sportback dispensam molduras nas janelas. A dianteira traz a indefectível grade-boca da Audi e fileiras de LEDs contornando os faróis. Visto por trás, o A5 Sportback parece mais "achatado" que o cupê -- se dependesse do aspecto, a pretensão da Audi de relacionar o modelo às SW pareceria absurda. As lanternas e o brake-light integrados, todos com LEDs, são uma atração extra.

Por dentro, o A5 Sportback acolhe bem motorista e passageiro dianteiro e mais dois adultos atrás. Se todo mundo tiver no máximo até 1,85 metro de altura, será uma delícia. No banco traseiro, este repórter de 1,71 metro ficou a três dedos de bater a cabeça no teto; um colega de 1,79 metro ficou a dois. O charme do cupê tem um preço... De resto, o apoio de braço embutido no encosto mostra que o banco traseiro tem mesmo a vocação de ser um sofá para duas pessoas.

Conduzido em rodovias no interior de São Paulo, todas de bom asfalto, longas retas e muitas curvas, o A5 Sportback mostrou-se um carro mais dócil que seu irmão cupê, o qual possui motor 3.2 e uma dose extra de nervosismo. Paradoxalmente, a pouca altura da carroceria faz com que o motorista se sinta num cockpit. Só que nas retomadas mais agressivas nota-se uma certa hesitação do câmbio automático Multitronic de oito velocidades -- uma pequena demora na redução de marcha que, num carro qualquer, não chamaria atenção. Num Audi, chama.

Mas esse mesmo câmbio proporciona ascensões de marcha quase imperceptíveis, garantindo uma suavidade impressionante no rodar do modelo. Como a suspensão é mais macia que a do cupê e filtra bem as imperfeições do terreno, o resultado é uma boa dose de silêncio no interior do A5 Sportback. A estabilidade nem precisou ser sacrificada: mesmo sem a tração quattro, o carro é bem grudado no chão. E atenção ao velocímetro: como um bom engolidor de estrada, o A5 Sportback roda a velocidades próximas de 160 km/h como se estivesse a 90 km/h. Vale a pena acionar o cruise control para não se exceder desnecessariamente. 

Uma ressalva que precisaa ser feita vem justamente de uma das características mais "pessoais" do A5 Sportback: devido ao enorme entre-eixos, a tendência dele é raspar o assoalho em lombadas e (menos frequentemente) tocar a parte inferior do para-choques em desníveis no piso. E, convenhamos: bonito como ele é, o A5 Sportback não merece ter sua imagem arranhada. Nem mesmo sem querer.

Viagem a convite da Audi do Brasil

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Carros

Topo