Carros

Promessa de esportividade do Porsche Panamera é comprovada na Itália

Da AutoPress

Especial para o UOL

21/08/2009 14h01

Depois de muito tempo no forno, o Porsche Panamera, enfim, foi apresentado. Durante o lançamento do quinto modelo do fabricante alemão, uma polêmica. A Porsche afirmou, em tom triunfal, que havia inventado um novo segmento com o Panamera. O esportivo é um cupê de quatro portas, com quatro lugares e uma traseira em estilo "fastback", cujo teto tem uma queda pronunciada que muito lembra o injustiçado Porsche 968.

  • Divulgação

    Panamera é apresentado com progenitor de segmento, mas tem Aston Martin Rapide como rival

Porém, há uma questão a ser levantado. Existe um carro que pode representar no mercado mundial o mesmo nicho ocupado pelo Panamera: o Aston Martin Rapide. O modelo britânico, também de quatro portas, com linhas sinuosas, está destinado a roubar do modelo de Stuttgart uma parte da atenção e dos flashs dos fotógrafos quando for apresentado em Frankfurt, em setembro.

Inicialmente, o Panamera será vendido com motor 4.8 V8, derivado do utilitário esportivo Cayenne. Na versão Turbo, são dois compressores, 500 cv, 71 kgfm e tração integral - na aspirada S, o modelo tem tração traseira. Em 2010, outras configurações são esperadas, primeiramente um híbrido, depois motores a diesel e, para arrematar, versões ainda mais potentes do modelo turbo, batizadas respectivamente de GTS e Turbo S. Há outros rivais naturais do Panamera. Estão na lista o Mercedes-Benz CLS 63 AMG e o Maserati Quattroporte, mas o público-alvo do modelo também pode ser atraído pelos bólidos BMW M5 e Jaguar XFR.

FICHA TÉCNICA

Porsche Panamera Turbo
Motor: A gasolina, central-dianteiro, longitudinal, 4.806 cm³, com oito cilindros em "V", quatro válvulas por cilindro, quatro comandos de válvulas e dois turbocompressores com intercooler. Injeção direta de combustível e acelerador eletrônico.
Transmissão: Manual automatizada de dupla embreagem, com sete marchas à frente e uma a ré. Opção de mudanças sequenciais através de borboletas no volante. Tração integral com diferencial autoblocante eletrônico. Oferece controle eletrônico de tração.
Potência: 500 cv a 6 mil rpm.
Torque: 71,4 kgfm entre 2.250 rpm e 4.500 rpm.
Diâmetro e curso: 96,0 X 83,0 mm. Taxa de compressão: 10,5:1.
Suspensão: Dianteira independente com triângulos sobrepostos em alumínio e amortecedores eletrônicos adaptativos a ar. Traseira independente com braços múltiplos em alumínio e amortecedores eletrônicos adaptativos a ar. Oferece controle ativo de amortecimento e da altura de rodagem e controle eletrônico de estabilidade.
Freios: Dianteiros e traseiros a discos ventilados. Oferece ABS, EBD e assistente de frenagem de emergência.
Carroceria: Cupê em monobloco com quatro portas e quatro lugares. Com 4,97 metros de comprimento, 1,93 m de largura, 1,41 m de altura e 2,92 m de entre-eixos. Oferece oito airbags: dois frontais, dois laterais dianteiros, dois para os joelhos do motorista e do carona e dois do tipo cortina.
Porta-malas: 432 litros.
Peso: 1.970 kg.
Tanque: 100 litros.

Ao olhar dentro do carro, nota-se que os bancos não são amplos e confortáveis como se poderia esperar de um modelo tão emblemático. Mas também não se pode esquecer de que as formas envolventes são de um esportivo. Isso também soa como uma espécie de "declaração de intenções" para lembrar aos ocupantes que eles estão sentados em um Porsche. A posição de dirigir é bem baixa e semelhante à do 911. Os acabamentos são excelentes e a atmosfera é de elegância com toques de esportividade. O console central é extenso, mas forma um desenho harmonioso. Os bancos traseiros são ligeiramente elevados, o que permite um mínimo de visão exterior, apesar da elevada linha de cintura.

ESPORTIVIDADE MACIÇA
A principal dúvida dos entusiastas da Porsche há meses era: o prazer de condução típico da casa de Stuttgart foi mantido no Panamera? A resposta é afirmativa, embora sujeita às leis da física. O Panamera pesa cerca de duas toneladas. Isso significa que o peso e o layout remetem ao utilitário esportivo Cayenne. O comportamento em estrada é, obviamente, mais ágil e dinâmico do que o apresentado pelo SUV de luxo. Mas permanece bastante distante do modelo emblemático da Porsche, o 911.

O V8 4.8 biturbo de 500 cv que equipa o Panamera Turbo certamente não decepciona. Localizado no entre-eixos do carro, faz dele um "companheiro de diversão" muito mais adequado ao Cayenne. Esta versão, equipada com o Sport Chrono Package, que inclui uma função de controle de largada, pode fazer de zero a 100 km/h em um pouco mais de 4,2 segundos. A velocidade máxima é superior a 300 km/h e, para quem olha o velocímetro posicionado atrás do volante, não resta a menor dúvida a respeito da veracidade desses números de desempenho. O Panamera Turbo é um carro tremendamente rápido.

As duas turbinas têm um ligeiro atraso para entrada em baixas rotações, mas depois empurram o cupê quatro portas furiosamente. Se dirigido habilmente, o Panamera Turbo se mostra um autêntico supercarro. A suspensão a ar com controle eletrônico - de série na versão Turbo - oferece três modos de condução. O mais esportivo é capaz de incutir uma invejável precisão no carro. Ou seja, apesar do peso elevado, os 500 cv do V8 biturbo, o comportamento dinâmico e os excelentes ajustes de suspensão garantem ao Panamera o status de um verdadeiro Porsche. (por Carlo Valente, da Infomotori.com, na Itália)

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Carros

Topo