Carros

Vectra Elegance sobe nas vendas com boa receita de custo/benefício

Da AutoPress

Especial para o UOL

12/06/2009 11h18

O Vectra é um carro emblemático na atual situação da General Motors. Assim como a grande maioria dos modelos Chevrolet no Brasil, o sedã médio é um projeto derivado da Opel, divisão europeia da GM recentemente vendida à canadense Magna. Levemente reestilizado em fevereiro, o modelo vê suas vendas crescerem a cada mês. Em maio, foram 2.965 unidades comercializadas, um avanço de mais de 90% sobre a média de 1.529 unidades registrada de janeiro a abril. O "empurrãozinho" extra vem principalmente da versão intermediária Elegance.

Vendido a partir de R$ 60.718, o Vectra Elegance oferece uma lista de série bastante completa por um valor interessante diante do pedido nos principais rivais. Honda Civic e Toyota Corolla partem dos R$ 65 mil com pacotes de fábrica equivalentes. Não por acaso, a configuração responde por 51% das vendas do sedã. O restante fica dividido entre as versões de entrada Expression e a topo de linha Elite, com 35% e 14% do mix, respectivamente.

  • Luiza Dantas/Carta Z Notícias

    Visual rejuvenescido e bom pacote de itens justifica sucesso do Vectra em versão intermediária

Entre os principais equipamentos de série, a Elegance reúne previsíveis direção hidráulica, ar-condicionado, trio elétrico, alarme, faróis de neblina e rodas de liga leve aro 16. O pacote inclui, ainda, faróis com luzes azuis e rádio/CD/MP3 com conexão Bluetooth e entradas auxiliar e para cartões de memória. Sob o capô, o Vectra tem em todas as versões o motor 2.0 Flexpower de quatro cilindros em linha e oito válvulas. A unidade de força foi ligeiramente modificada para atender aos novos limites de emissões de poluentes -- ganhou novos coletores de admissão e de escapamento e um sistema de comando de válvulas roletado. Com as mudanças, a unidade ganhou 12 cv de potência e passa a gerar 133/140 cv aos 5.600 rpm com gasolina/álcool e um torque de 18,9/19,7 kgfm aos 2.600 giros.

Na versão Elegance, o motor vem de fábrica acoplado a um câmbio manual de cinco marchas. Revestimento em couro no volante, que ainda conta com controles do sistema de som, e airbags frontais são itens e conforto e segurança presentes na versão desde a fábrica. Mas é oferecido também um câmbio automático de quatro marchas, que é vinculado a um pacote de opcionais que adiciona R$ 2.986 ao preço final do sedã médio. Entre os itens, estão freios com ABS e EBD, controle de cruzeiro, retrovisor interno eletrocrômico e sensor de chuva.
 

FICHA TÉCNICA

Chevrolet Vectra Elegance AT
Motor: Gasolina ou álcool, dianteiro, transversal, 1.998 cm³, quatro cilindros em linha, duas válvulas por cilindro e comando simples de válvulas no cabeçote. Injeção eletrônica multiponto sequencial e acelerador eletrônico.
Transmissão: Câmbio automático de quatro velocidades à frente e uma a ré. Tração dianteira.
Potência: 133/140 cv (g/a) a 5.600 rpm.
Torque: 18,9/19,7 kgfm (g/a) a 2.600 rpm.
Diâmetro e curso: 86 mm x 86 mm. Taxa de compressão: 11.5:1.
Suspensão: Dianteira independente do tipo McPherson, com braço de controle ligado ao subchassi, molas helicoidais, amortecedores hidráulicos e barra estabilizadora. Traseira semi-independente por eixo de torção, com dois braços de controle fundidos, molas helicoidais e amortecedores hidráulicos.
Freios: Dianteiros a discos ventilados e traseiros a discos sólidos. ABS e EBD opcionais.
Carroceria: Sedã em monobloco com quatro portas e cinco lugares. Dimensões: 4,58 metros de comprimento, 1,73 m de largura, 1,44 m de altura e 2,70 m de entre-eixos. Possui airbag duplo frontal.
Peso: 1.268 kg, com 525 kg de carga útil.
Porta-malas: 526 litros.
Tanque: 58 litros.
Preço: R$ 64.548, com pintura metálica.

Completo e com a pintura metálica, que custa R$ 844, o Vectra Elegance chega a R$ 64.548. É um preço mais próximo dos pouco mais de R$ 65 mil pedidos no Civic e no Corolla.

O Vectra tem ainda a seu favor a leve modificação visual, que rejuvenesceu o sedã. A dianteira agora exibe a grade bipartida com a gravatinha dourada da Chevrolet ao centro, no padrão atual da marca pelo mundo, e há molduras cromadas pela carroceria e piscas embutidos nos espelhos laterais. São mudanças simples, mas que surtiram um efeito positivo nas vendas.

IMPRESSÕES AO DIRIGIR
No "repaginado" Vectra, o principal destaque é o motor 2.0 flex, modificado para atender aos novos limites de emissões de poluentes. A unidade de força de quatro cilindros em linha ganhou comando de válvulas roletado e novos coletores de admissão e de escape. E as alterações elevaram a potência e o torque, deixando o propulsor 2.0 mais solícito às investidas no acelerador. O motor despeja boa parte dos 19,7 kgfm de torque com álcool logo aos 2 mil giros, favorecendo as retomadas. A recuperação de 60 km/h aos 100 km/h ocorre em bons 8,9 segundos. Na versão avaliada Elegance, só o câmbio automático de quatro marchas mostrou-se "desalinhado", com trocas lentas e esticadas e reduções bruscas de marchas.

Dinamicamente, o Vectra continua o mesmo de antes. O sedã médio da Chevrolet permanece com um rodar suave e ao mesmo tempo seguro, sem pregar sustos no motorista e mantendo-se sempre firme, como se estivesse "grudado" no chão. Nas curvas, a carroceria torce timidamente e, nas frenagens, o veículo mantém-se estável, sem embicar a dianteira. A comunicação entre rodas e o volante é precisa mesmo ao atingir a máxima de 185 km/h. E a versão Elegance, completa, ainda oferece freios com ABS e EBD. Um conjunto em harmonia. (por Diogo de Oliveira)
 

DE ZERO A 100 PONTOS, O CHEVROLET VECTRA ELEGANCE AUTOMÁTICO

Desempenho - As modificações de engenharia deixaram o motor 2.0 flex do Vectra mais esperto. As respostas ao acelerador estão mais rápidas, sobretudo nas retomadas. A arrancada de zero a 100 km/h é cumprida em 11,8 segundos e a recuperação de 60 km/h aos 100 km/h em bons 8,7 s. Só o câmbio automático de quatro velocidades desafina. A caixa faz as trocas de forma lenta e estica as marchas constantemente. Nota 7
Estabilidade - O equilíbrio em movimento é marcante no Vectra. O sedã médio torce pouco nas curvas e transmite bastante segurança ao motorista em retas e frenagens. Não há sinais de flutuação até a máxima de 185 km/h e a comunicação entre rodas e volante é precisa. Nota 8
Interatividade - O Vectra tem a maioria dos comandos organizada de forma correta, com acessos intuitivos. E oferece ajustes de altura e profundidade no assento do motorista e na coluna de direção. De negativo, os botões do ar-condicionado ficam na base do console, em frente à alavanca do câmbio, em uma posição ruim de operar. Nota 7
Consumo - Era um dos pontos mais criticados antes das modificações promovidas no motor 2.0 flex. Mas a evolução foi tímida: média de 6,8 km/l com álcool num percurso com 1/3 de estrada e 2/3 de cidade. Nota 6
Conforto - Os 2,70 metros de entre-eixos do Vectra recebem bem os passageiros. Há bastante espaço para as pernas na frente e atrás, apesar da altura de 1,44 metro limitar o vão para cabeças. Já a suspensão é bem calibrada e cumpre seu papel de filtrar a buraqueira com eficiência. Nota 7
Tecnologia - O motor 2.0 flex e o câmbio automático de quatro marchas já são bem conhecidos e o modelo utiliza uma plataforma adaptada da Zafira -- esta, por sua vez, derivada da do Astra, de 1998. Mas a versão Elegance traz equipamentos interessantes. Os destaques são os airbags frontais e o sistema de som com rádio/CD/MP3, conexão Bluetooth e entradas auxiliar e SD Card (de série) e os freios com ABS e EBD (opcionais). Nota 7
Habitabilidade - A montadora elevou o número de porta-objetos espalhados pelo interior do Vectra, mas não fez milagres. A quantidade é apenas razoável, sendo alguns claramente improvisados, como o porta-garrafas removível no forro das portas. O porta-malas mantém os generosos 526 litros de capacidade. E a iluminação é suficiente. Nota 6
Acabamento - Os plásticos e materiais emborrachados do Vectra agradam os olhos e o toque. As peças têm bons encaixes e recortes precisos, sem rebarbas. Mas não impressionam nem ostentam requinte. Nota 7
Design - A nova frente com a grade bipartida e a gravatinha dourada da Chevrolet ao centro deixou o Vectra mais atraente e com visual levemente "esportivo". Os apliques cromados na tomada de ar frontal, nas laterais e na tampa da mala também ajudam a marcar. E as linhas angulosas e cheias de vincos são típicas dos modelos da montadora. Nota 7
Custo/Benefício - É um dos aspectos mais favoráveis na versão Elegance. Com preço a partir de R$ 60.718, o sedã médio oferece um pacote de série similar ao dos rivais Honda Civic e Toyota Corolla, vendidos a partir de R$ 65 mil. E mesmo completo, por R$ 64.548. Nota 8
Total - A Vectra Elegance 2.0 flex somou 70 pontos em 100 possíveis. NOTA FINAL: 7

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Carros

Topo