Fabricante de peças Delphi vende ativos para sair da concordata

Em Nova York

A fabricante de autopeças Delphi anunciou nesta segunda-feira (1º) que chegou a um acordo para vender parte de seus ativos a uma firma de capital privado, o que permitiria que saísse da proteção judicial de quebra sob a qual opera há mais de três anos.

"Após um longo período de complexas e difíceis negociações com uma ampla gama de interessados, temos certeza de que estas remodelações do plano de reorganização nos permitirão sair de (a proteção do) Capítulo 11" da Lei de Quebras, disse hoje Rodney O'Neal, presidente e executivo-chefe do grupo.

A Parnassus Holdings II, uma filial da americana Platinum Equity, se encarregará de operar os negócios da Delphi assim que a empresa deixar a situação de quebra, tanto nos Estados Unidos quanto no exterior, graças a uma injeção de capital de US$ 3,6 bilhões.

"Um fornecedor saudável e sustentável é a melhor base para qualquer esforço para revitalizar a indústria automobilística", assegurou hoje em comunicado o presidente e executivo-chefe da Platinum, Tom Gores.

Além disso, a General Motors (GM), sua matriz anterior e seu maior cliente, apresentará US$ 250 milhões para comprar algumas das fábricas da companhia nos Estados Unidos, enquanto outras que não se dedicam ao negócio fundamental da empresa serão vendidas aos poucos.

O acordo ainda precisa da aprovação do juiz Robert Drain, encarregado do caso no Tribunal Federal de Falência do Distrito Sul de Nova York, para o que se estabeleceu uma audiência em 23 de julho.

UOL Cursos Online

Todos os cursos