Topo

Carros elétricos


Chefão da Tesla está na mira do Pentágono após usar maconha em programa

Reprodução/YouTube
Musk traga cigarro de maconha ao vivo, durante participação em podcast, em setembro de 2018 Imagem: Reprodução/YouTube

Tony Capaccio

2019-03-08T10:38:35

08/03/2019 10h38

O Pentágono está revisando a autorização federal de segurança de Elon Musk, CEO da Tesla, por conta do episódio no qual o executivo fumou um cigarro de maconha durante entrada ao vivo no podcast de um comediante, em setembro, na Califórnia, segundo um funcionário da agência.

Musk teve de alterar seu formulário de segurança SF-86, que exige que um funcionário federal ou contratado que precisa de autorização federal reconheça qualquer uso de drogas ilegais nos últimos sete anos, de acordo com o funcionário, que pediu para não ser identificado.

Musk tem uma autorização de nível secreto por causa de seu papel como fundador e CEO da SpaceX (Space Exploration Technologies Corp.), que é certificada para lançar satélites espiões militares.

Um funcionário da SpaceX, que pediu para não ser identificado, disse que a revisão não teve impacto na empresa. As operações do dia-a-dia da SpaceX são dirigidas pelo presidente e gerente-de-operações Gwynne Shotwell. A empresa ganhou contratos de lançamentos espaciais de segurança nacional desde o incidente do podcast Musk, incluindo um para três lançamentos em 19 de fevereiro por US $ 297 milhões.

Mas a reformulação e revisão ressaltam as contínuas ramificações da decisão do diretor executivo no ano passado de fumar maconha no podcast, que rapidamente se tornou viral. E destaca as discrepâncias legais entre as políticas federal e estadual sobre o uso de maconha: Enquanto cerca de três dezenas de estados tomaram medidas para descriminalizar a maconha, seu uso continua sendo um crime federal.

"Faria muito sentido" que o Serviço de Segurança da Defesa pedisse a Musk que atualizasse seu requerimento e investigasse mais a situação, disse Mark Zaid, um advogado de Washington especializado em casos federais de delatores e representando clientes que enfrentam desafios de liberação. Zaid não representa Musk e não está ciente dos detalhes de seu caso.

James Gleeson, um porta-voz da SpaceX, de perto, se recusou a comentar.

O co-fundador e presidente-executivo da Tesla também bebeu uísque em setembro durante um podcast de mais de duas horas e meia com o comediante Joe Rogan, na Califórnia, que discutiu desde assuntos como lança-chamas e inteligência artificial até como seria o fim do universo.

A mudança no status de segurança pode ser o menor dos problemas de Musk depois de uma semana tumultuada em que ele entrou em outra briga com a SEC (a comissão de valores mobiliários norte-americana) sobre seus tweets envolvendo a Tesla, revelou versões mais baratas dos veículos elétricos da Tesla e pegou os investidores de surpresa com planos para fechar showrooms de automóveis. Ele também assistiu à SpaceX lançar uma nova espaçonave projetada para transportar humanos para a órbita.

As ações da Tesla reduziram os ganhos antes de fechar 0,1%, a US$ 276,59, em Nova York na quinta-feira.

A avaliação de "adjudicação" de Musk pelo Serviço de Segurança da Defesa continua sem decisão ainda, disse a autoridade dos EUA. Normalmente, durante uma adjudicação, uma pessoa mantém sua autorização de segurança, mas perde o acesso a informações classificadas como secretas, de acordo com o funcionário. Se o uso de drogas envolver problemas menores ou não parecer ter sérios problemas de segurança, a unidade que está analisando o caso pode apenas fechá-lo e atualizar o registro de Musk.

No entanto, pode haver sérias consequências por violar protocolos de segurança.

Fumar maconha é "absolutamente motivo para rescisão ou perda de uma autorização se um funcionário ou prestador de serviços federais a usar atualmente", disse o advogado Zaid em um e-mail.

Autoridades do Top Defense Security Service estão cientes da reaplicação e revisão de Musk, disse o funcionário dos EUA, que se recusou a discutir o caso em detalhes, mas guiou um repórter durante o processo de revisão de Musk.

Status legal da maconha

"O Departamento de Defesa está seguindo o seu processo normal quando informações que possam afetar a elegibilidade de um indivíduo são levadas à nossa atenção", disse o serviço em um comunicado enviado à "Bloomberg", quando perguntado se Musk foi obrigado a revisar seu formulário após o podcast. "Por motivos de privacidade e segurança, não discutimos publicamente o status de liberação individual."

Embora a maconha seja legal para uso recreativo em muitos estados, incluindo a Califórnia, continua sendo ilegal para funcionários federais ou contratados com autorização de segurança, um ponto reiterado mais recentemente em 2014 em um memorando do governo emitido pelo então Diretor de Inteligência Nacional James Clapper, que permanece em vigor.

O memorando de Clapper de outubro de 2014 diz que "o descaso de um indivíduo pela lei federal relativa ao uso, venda ou fabricação de maconha continua relevante" ao analisar se uma credencial de segurança deve ser reavaliada.

Separadamente, o uso de maconha de Musk atraiu críticas de analistas e investidores que acompanham a Tesla, sua empresa de carros elétricos, como um sinal de que o CEO não estava suficientemente focado em tratar questões de administração e produção durante um período particularmente tumultuado.

Durante o podcast, Musk disse que, embora ele não fosse "um fumante regular de maconha", ele deu uma tragada no que Rogan descreveu como um cigarro contendo tabaco misturado com maconha.

"Você quer um pouco disso? Você provavelmente não pode por causa dos acionistas, certo?", Rogan perguntou.

Musk respondeu "quero dizer que é legal, certo?" E depois deu uma tragada.

#Avaliação - Tesla Model X: SUV elétrico tem espaço e autonomia

UOL Carros

Mais Carros elétricos