Topo

Testes e lançamentos

Ferrari deve lançar novo superesportivo em edição especial, dizem fontes

Divulgação
J50 é um dos modelos produzidos em edição limitada pela Ferrari Imagem: Divulgação

Tommaso Ebhardt

Da Bloomberg

17/09/2018 14h40

Projeto "Icona" faz parte do plano estratégico de cinco anos estabelecido por novo CEO da marca

A Ferrari deve apresentar um supercarro de edição especial que será parte do aguardado plano estratégico de cinco anos do CEO Louis Camilleri, segundo pessoas informadas sobre o assunto.

O chamado projeto "Icona", insinuado aos clientes no mês passado em um convite, ampliará a oferta de supercarros de edição limitada da Ferrari -- faixa que inclui modelos avaliados em milhões de dólares, como a J50 que aparece no começo desta matéria -- pensados para ampliar as margens de lucro, disseram as fontes, que pediram para não ser identificadas porque os detalhes ainda não foram divulgados.

Veja mais:

+ Muhammad Ali esteve no Brasil e negociou Puma e Miura em 1987
Quer negociar hatches, sedãs e SUVs? Use a Tabela Fipe
Inscreva-se no canal de UOL Carros no Youtube
Instagram oficial de UOL Carros
Siga UOL Carros no Twitter

Um porta-voz da Ferrari preferiu não fazer comentários antes de um evento voltado aos mercados de capitais que está programado para terça-feira, na sede da Ferrari, em Maranello, na Itália. Detalhes sobre o supercarro podem ser revelados ainda nesta segunda-feira.

A estratégia de Camilleri para a fabricante de carros de corrida será observada de perto pelos investidores, que avaliarão especialmente se ele manterá o objetivo de dobrar o lucro para 2 bilhões de euros (US$ 2,3 bilhões) até 2022, plano apresentado por seu falecido antecessor, Sergio Marchionne. Camilleri foi escolhido para o cargo por John Elkann, o líder da família Agnelli, que controla a Ferrari e a Fiat Chrysler Automobiles, durante o dramático fim de semana de julho em que a saúde de Marchionne piorou.

Difícil de igualar

O CEO recém-empossado tropeçou logo no início da gestão, em agosto, quando as ações da Ferrari tiveram a maior queda em mais de dois anos depois que ele chamou as metas de lucro de Marchionne de "aspiração". As ações caíam 0,7 por cento, para 113,75 euros, às 15h35 em Milão, dando à empresa um valor de mercado de 21 bilhões de euros.

Os modelos de edição especial, que normalmente rendem margens maiores, podem ajudar Camilleri a aumentar o lucro sem que a marca perca a exclusividade. Os clientes da Ferrari normalmente precisam esperar mais de um ano para receber um carro novo. Edições limitadas como o conversível LaFerrari Aperta, de US$ 2,1 milhões, costumam ser muito procuradas e vão para os clientes mais fiéis da empresa. Ainda assim, a empresa enfrenta a concorrência de marcas como Lamborghini e Aston Martin no mercado.

O novo CEO da Ferrari tem um modelo difícil de igualar. Marchionne ampliou o valor da Ferrari ao desmembrá-la da Fiat Chrysler e dobrou os lucros em apenas quatro anos aumentando a produção e lançando modelos únicos. O ex-CEO, que morreu em 25 de julho, estava se preparando para expandir a fabricante além dos carros esportivos e lançar veículos elétricos híbridos, incluindo o primeiro SUV da história. O SUV não deverá ser exibido na apresentação estratégica planejada.

A Ferrari precisa que Camilleri se coloque em dia rapidamente. Embora Marchionne planejasse se aposentar da Fiat Chrysler em 2019, acreditava-se que ele permaneceria à frente da Ferrari por mais cinco anos. O plano de sucessão dele para a empresa com sede em Maranello não estava tão avançado quanto o da FCA. Marchionne disse em fevereiro que a Ferrari planejava dobrar o lucro para 2 bilhões de euros em cinco anos.

Elkann escolheu Camilleri como CEO e optou por assumir o cargo de Marchionne de presidente do conselho da Ferrari. A estratégia da fabricante de veículos é vista também como um teste de sua perspicácia.

Mais Testes e lançamentos