Topo

Mobilidade

Tesla faz plantão para fabricar Model 3 na tentativa de acalmar o mercado

Divulgação
Model 3 é aposta da Tesla para mostrar que pode dominar o mercado; resta entregar o carro Imagem: Divulgação

Dana Hull

Em San Francisco (EUA)

02/04/2018 13h34

Fabricante de carros elétricos fez plantão no último sábado de março, mas números ainda podem estar abaixo do prometido

Com a pressão aumentando depois de uma das piores semanas em seus quase 15 anos de história, a Tesla corre para fabricar e entregar o sedã Model 3, numa tentativa de melhorar seus números e acalmar investidores e compradores.

O centro de distribuição da Tesla em Fremont, Califórnia (EUA), estava lotado de gente na noite do último sábado (31), nas últimas horas do trimestre. Sofás vermelhos e mesas brancas foram montados do lado de fora, um DJ tocava música e um caminhão vendendo comida vietnamita estava por perto. Nos bastidores, uma empresa que se esforçava para descobrir como fabricar carros em massa implorava aos trabalhadores que recolocassem a produção nos trilhos e desmentissem os críticos.

E esse número de críticos está ficando mais alto depois dos últimos dias. A fabricante de carros elétricos liderada por Elon  Musk foi submetida a uma avaliação regulatório depois do segundo acidente envolvendo o sistema de assistência ao motorista da Tesla, o Autopilot, sendo que o mais recente desses acidentes resultou em uma morte.

Em termos de entregas, muito provavelmente a Tesla ficou aquém da estimativa fornecida pela própria empresa de fazer 10.000 unidades do Model 3 no primeiro trimestre. Além disso, pode ter deixado passar também a meta de encerrar o mês de março com uma taxa semanal de 2.500 unidades do sedã, aponta Philippe Houchois, da Jefferies Group  LLC, empresa acionista da fabricante de elétricos.

"A Tesla está testando nossa paciência", escreveu Gene Munster, sócio-gerente da firma de capital de risco Loup Ventures, depois do anúncio sobre um problema no volante do Model  S, que terá de passar por recall. "Quando ouvimos a notícia do recall, hoje à noite, nos perguntamos se ainda acreditamos na história deles?"

Veja mais

+ O março horroroso da Tesla
Inscreva-se no canal de UOL Carros no Youtube
Instagram oficial de UOL Carros
Siga UOL Carros no Twitter

Na madrugada de quinta-feira, a montadora fez um recall de todos as 123 mil unidades do Model S construídos antes de abril de 2016 para reformar um componente de direção hidráulica.

Ainda assim, Munster disse que a resposta à pergunta retórica levantada em seu relatório -- se a Loup Ventures ainda acredita em Tesla -- é sim.

"A empresa está singularmente posicionada para capitalizar uma mudança dramática" na indústria automotiva, disse Munster. Ele acrescentou que acha que a Tesla vai "inovar em carros elétricos e em autônomos, e inaugurar um novo paradigma de eficiência de fabricação".

Ainda assim, Musk ainda correu o risco de parecer ignorar as preocupações dos investidores, enviando uma série de tweets sobre o "Dia da Mentira" nos quais fingia que Tesla tinha falido. 

Desde que anunciou o Model 3 em 31 de março de 2016, os problemas de fabricação da Tesla mantiveram em espera centenas de milhares de consumidores que depositaram US$ 1.000 para reservar o sedã.

"Carros dos sonhos"

Considerando as postagens nas mídias sociais de clientes que receberam o seu Model 3 durante o feriado, a Tesla ainda mantém um exército de verdadeiros fiéis que seguem em fila para ter seu carro.

"Dois anos atrás, eu fiz uma reserva por um carro que nunca tinha visto antes", escreveu Amanda Bell, desenvolvedora de software em Nashville, no sábado. "Hoje, peguei o carro dos meus sonhos."

Bell, de 26 anos, disse no domingo que gosta que os carros da Tesla tenham a capacidade de ganhar novos recursos por meio de atualizações de software, como um celular.

Desde o início das entregas do Model 3 em julho do ano passado, a Tesla recuou várias vezes as metas de produção do carro, citando problemas com a produção de baterias e automatizando suas linhas de montagem. A empresa previu em janeiro que provavelmente encerraria o primeiro trimestre com cerca de 2.500 unidades do carro por semana. A Tesla reporta os resultados de produção e entregas dentro de alguns dias após o final de cada trimestre.

A Bloomberg está acompanhando o lançamento do Model 3 com uma ferramenta experimental que estima a produção usando números de identificação de veículos. O rastreador estima que a Tesla está construindo cerca de 1.190 unidades do sedã por semana, embora esse número não consiga capturar qualquer explosão de última hora na produção.

Os analistas estão projetando entregas totais do Model 3 para o trimestre de cerca de 8.800 unidades, na média das últimas sete estimativas. O rastreador da Bloomberg estima que a Tesla pode ter produzido quase 9.300 dos sedãs no trimestre. Nos dois casos, números abaixo do prometido.

Reprovando os haters

O rastreador mostra um aumento na produção nas últimas semanas, quando a Tesla chamou trabalhadores das linhas de montagem do Model S e Model X para se voluntariar na fabricação do Model 3. Na última semana de março, Doug  Field Sr., vice-presidente de engenharia, exortou os trabalhadores a aumentarem com segurança a produção para mais de 300 veículos por dia e "provar que um bando de inimigos está errado".

O analista do Barclays, Brian Johnson, alertou os clientes para que atentem para uma possível "armadilha", na qual a Tesla supera as projeções baixas de Wall Street para as entregas do Model 3. Ele estima que a Tesla está produzindo 1.500 a 1.700 unidades do Model 3 a cada semana.

"Achamos que é possível que a Tesla tenha acumulado baterias durante o tempo de inatividade da Fremont, permitindo que a produção seja maior na última semana", escreveu Johnson em um relatório na quinta-feira. "Neste caso, por mais que a meta seja batida é improvável que seja sustentável, e permanecem questões sobre a capacidade da Tesla de alcançar de forma sustentável seus objetivos".

Reprodução
Acidentes com Tesla Model X (foto) e Uber, ambos fatais, têm causado uma série de investigações e discussões sobre sistemas autônomos nos EUA Imagem: Reprodução

Morte na pista

Tesla enfrenta muitos outros desafios, incluindo a investigação sobre o modo semi-autônomo. O National  Transportation  Safety  Board está investigando um acidente fatal com o Model X ocorrida em 23 de março em Mountain  View, envolvendo um motorista que havia contratado o sistema de assistência semi-autônoma ao condutor (Autopilot).

A Tesla publicou uma postagem no blog na sexta-feira dizendo que o motorista não estava com as mãos no volante por seis segundos antes de colidir com um divisor de rodovias, apesar de ter recebido várias advertências visuais e audíveis antes.

O NTSB está "infeliz" porque a Tesla está divulgando informações durante uma investigação ativa, disse o porta-voz Chris O'Neil no domingo. A agência analisará todos os aspectos do incidente, incluindo o que o motorista fazia para receber o alerta do Autopilot antes do acidente, disse ele.

"Esta é outra possível ilustração sobre o estado atual do [sistema] autônomo", disse Bryant Walker Smith, professor de direito da Universidade da Carolina do Sul que estuda carros autônomos. Sistemas de automação parciais, como o piloto automático da Tesla, "funcionam a menos que e até que não funcionem", e haverá especulações e pesquisas sobre a segurança deles, disse ele.

Mais Mobilidade