Topo

Mobilidade

É o fim? Carros movidos a gasolina podem sumir da Europa até 2040

Divulgação
Com preço competitivo, Tesla Model 3 pode ser, se a fábrica conseguir entregá-lo, um dos algozes dos modelos a combustão Imagem: Divulgação

Jeremy Hodges

20/02/2018 13h35

Novas tecnologias a preços mais acessíveis deve acelerar popularização de veículos elétricos e híbridos

Os carros movidos a gasolina e a diesel passarão a ser raros nas ruas da Europa até 2040. Isso porque as fabricantes adotarão tecnologias com emissão zero de poluentes e os veículos elétricos se tornarão cada vez mais acessíveis.

Os motores de combustão tradicionais representavam praticamente todas as vendas de automóveis na Europa em 2015. Entretanto, esta proporção encolherá para 20% até 2035, informou a ECF (European Climate  Foundation, organização fundada para discutir ideias para reduzir o nível de emissões de poluentes na Europa) em relatório.

Veja mais

+ Anúncio de IPI menor faz marcas acelerarem "projetos elétricos" 
Inscreva-se no canal de UOL Carros no Youtube

Instagram de UOL Carros
Siga UOL Carros no Twitter
Quer negociar hatches, sedãs e SUVs? Use a Tabela Fipe

A previsão é que os veículos novos convencionais desapareçam completamente das garagens cinco anos depois (ou seja, em 2040), quando as fabricantes de veículos adotarem um leque de tecnologias híbridas e elétricas.

Como resultado do fim dos carros movidos a combustão, as emissões de dióxido de carbono veiculares despencariam 88% até 2050 em relação aos níveis atuais, reduzindo a exposição a poluentes atmosféricos nocivos, que hoje respondem por 467 mil mortes por ano na Europa.

"Todos concordam que a indústria automotiva europeia precisa estar na vanguarda da inovação da tecnologia limpa para se manter competitiva em um mercado em rápida evolução", disse Pete Harrison, diretor de programas de transporte da ECF.

A União Europeia atualmente importa 89% de seu petróleo, sendo a maior parte usada para combustível de transporte. A substituição do petróleo por energia produzida na UE economizaria 49 bilhões de euros (US$ 61 bilhões) em importações em 2030.

Mais Mobilidade