Carros

Cientistas testam tecnologias para evitar acidentes de carro

10/02/2011 07h22

Pesquisadores da indústria automotiva e médicos trabalham em vários projetos que buscam novas tecnologias para reduzir acidentes de carros e torná-los menos fatais. Mais de 1 milhão de pessoas morrem em acidentes de carro a cada ano no mundo. Na maior parte das vezes, segundo pesquisadores, erros de julgamento do motorista são as principais causas de acidentes.

Para tentar evitá-los, cientistas e engenheiros ligados a grandes montadoras estão desenvolvendo tecnologias que ajudem a reduzir o número de colisões. Novos protótipos trazem sistemas que preveem e corrigem problemas causados por más condições de tempo e por erros do motorista.

Outros programas e dispositivos permitem minimizar danos provocados aos passageiros e ajudam a tornar o atendimento médico mais ágil e eficiente. Conheça alguns dos projetos em desenvolvimento:

CÂMERAS, RADARES E SENSORES

  • Sistema da Volvo utiliza dados cruzados para detectar obstáculos e pedestres e comandar desde avisos para o motorista até a parada total do veículo

Frenagem inteligente
Sistema de sensores permite que o carro consiga frear automaticamente. Na pista de testes da empresa Volvo, na Suécia, o cientista Erik Coelingh testa uma tecnologia de frenagem automática para garantir que os carros parem quando detectam a aproximação de outro veículo pela frente ou pelos lados.

"O carro tem um sistema de sensores que tenta detectar onde estão os objetos ao redor dele. Há um GPS e um sensor no teto que permite medir a localização de outros veículos", explica.

Ele diz que os testes preliminares obtiveram bons resultados. Dentro do carro com a tecnologia de frenagem automática, Coelingh pisou no acelerador, mas parou na pista antes de atingir o veículo inflável usado para a experiência.

O pesquisador diz ter objetivos ambiciosos para a pesquisa que está conduzindo. "Acreditamos que acidentes não são inevitáveis."
"Temos uma visão de que no futuro não haverá mais colisões, nem mais acidentes fatais com veículos", conta.

Para-brisa que 'amplia' visão
Cientistas do laboratório de pesquisa da General Motors em Detroit, nos Estados Unidos investigam maneiras de fazer com que o carro compense falhas na visão do motorista.

Eles desenvolvem um protótipo de para-brisa que pode dar aos condutores dos carros uma espécie de visão aumentada de determinados pontos da estrada. A tecnologia se chama Sistema de Visão Avançada (Advanced Vision System no original em inglês).

"Nosso objetivo não é mudar a percepção que a pessoa tem do mundo, mas ressaltar pontos importantes", diz o coordenador do projeto Thomas Seder.

Câmeras infravermelhas filmam o motorista para monitorar a posição de sua cabeça e a direção de seu olhar na estrada.

Em situações de pouca visibilidade o sistema realça pontos da estrada. Em momentos de dificuldade, o carro pode realçar determinadas partes do trajeto ou pontos de referência para ajudar o condutor.

"Uma das situações mais comuns em que podemos ajudar é quando a pessoa está dirigindo em uma estrada com neblina", diz Seder.

"Podemos enfatizar as margens da estrada, aumentando a realidade e tornando-as mais aparentes para que a pessoa possa liberar sua atenção para outras coisas importantes."

DIRIGINDO SEM GUIAR

  • Projeto Sartre, financiado pela União Europeia e previsto para operar em cerca de dez anos, permite que motoristas viagem de carro sem usar o volante

Boneco de testes virtual
Bonecos de testes (crash test dummies) , que sempre estiveram no centro das pesquisas sobre segurança de automóveis, parecem estar com seus dias contados. No que esta sendo visto como o maior esforço coordenado de pesquisa na história da segurança automotiva, cientistas estão desenvolvendo bonecos virtuais para testes de colisão.

Bonecos de teste de colisão podem ganhar bases de dados virtuais. Os bonecos meramente físicos atuais simulam as dimensões, as proporções de peso e articulações do corpo, mas os pesquisadores consideram que eles não são suficientemente representativos dos humanos.

Para calcular melhor as variáveis físicas envolvidas em um acidente, cientistas ao redor do mundo tentam descobrir qual é a força máxima de impacto que cada parte do corpo consegue suportar antes que ocorram danos irreparáveis.

A informação armazenada conseguirá atualizar os bonecos com uma espécie de modelo virtual, que poderá prever o exato momento em que as forças da colisão se tornam fortes demais para as pessoas.
Warren Hardy, um dos cientistas que trabalha no projeto, acredita que bonecos virtuais irão revolucionar a segurança nos carros.

"Há uma série de razões para seguir em frente com esse tipo de modelo, em oposição ao modelo físico. No mundo virtual podemos fazer muito mais por muito menos", diz.

ALEMÃES TAMBÉM ESTUDAM SEGURANÇA

  • Projeto da Mercedes-Benz integra soluções para evitar acidentes e proteger os ocupantes

Carro que prevê ferimentos
O programa "Algoritmo de Urgência" (Urgency Algorithm, no original em inglês) ajuda o carro a alertar os centros de emergência de incidentes que coloquem os passageiros de qualquer veículo em perigo.

O projeto aproveita uma tecnologia de localização já disponível em milhares de veículos na América do Norte, que permite que o carro envie uma mensagem com sua localização a um destinatário escolhido.

Com informações sobre a batida, o carro determina possíveis ferimentos. O cirurgião de trauma do Jackson Memorial Hospital Jeff Augenstein, que coordena os testes do programa, explica que, instalado no computador do carro, ele também transmite informações detalhadas sobre as forças de colisão a que os passageiros foram expostos durante um acidente.

"O programa reúne todos os dados que o carro fornece, como mudanças de velocidade, a velocidade com que o carro freou e qual foi o ângulo do primeiro impacto, e determina se a batida pode causar ferimentos mais sérios ", explica.

VISÃO ALÉM DO ALCANCE

  • Divulgação

    A imagem acima mostra o painel de instrumentos do sedã de luxo Mercedes-Benz S400 Hybrid, disponível no Brasil. Além do "booster" híbrido, o carro traz uma câmera infravermelho que capta e sinaliza emissores de calor (pode ser um objeto, um animal ou seres humanos) a até 150 metros de distância, sobretudo à noite, quando a visão do motorista é reduzida.

    A também alemã Audi traz tecnologia semelhante em seu sedã mais caro, o A8.

Médico robô
Médicos no Jackson Memorial Hospital em Miami, na Flórida (EUA), estão desenvolvendo um robô que pode ser controlado remotamente por um cirurgião. A tecnologia é conhecida como "telemedicina" avançada.

O cirurgião Antonio Marttos, que participa dos testes com a máquina, conta que o robô permite que ele possa visualizar a vítima e se comunicar diretamente com a equipe que trabalha na unidade de acidentes e emergência.

Um robô controlado por um cirurgião facilita o atendimento de emergência. Controlando as câmeras no robô, Marttos consegue fazer um diagnóstico rápido dos pacientes que são trazidos à unidade e dizer à equipe quais são os procedimentos médicos de que o paciente pode precisar imediatamente.

Os pesquisadores explicam que a tecnologia é importante para garantir que as vítimas de acidentes sejam tratadas ainda na primeira hora após o impacto, considerada como a mais crítica.

Marttos acredita que oferecer tratamento rápido e especializado para vítimas de acidentes pode poupar tempo e vidas.

"Eu posso ajudar a enfermeira ou o médico de plantão à distância, e posso fazer com que eles tenham a melhor opinião técnica sempre", diz.

Ele também participa do desenvolvendo um pequeno dispositivo que pode ser levado aos locais em que os acidentes aconteceram, para monitorar as vítimas antes mesmo do transporte até o hospital.

"Posso ajudar as pessoas a lidar com o paciente e, quando ele chegar aqui, eu saberei o que estou recebendo."

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Carros

Topo