Toyota rebate críticas sobre atraso de recall

Da Redação

03/02/2010 18h28

A montadora japonesa Toyota rebateu nesta quarta-feira (3) críticas sobre o atraso em anunciar o recall de oito modelos de carros que teriam apresentado problemas com o pedal do acelerador. As primeiras reclamações sobre o pedal -- que fica preso, dificultando a desaceleração e, em alguns casos, mantendo o pedal na posição de aceleração máxima -- foram registradas em 2008.

Mas o recall de milhões de carros em todo o mundo foi anunciado apenas em janeiro deste ano. Em uma entrevista à BBC, o diretor de Relações Públicas da Toyota, Scott Browlee, disse que o atraso se devia ao fato de que as primeiras reclamações estavam relacionadas à qualidade e não à segurança dos veículos.

"Não havia indicação, naquele momento, de que o acelerador preso causaria um problema de segurança. A primeira indicação que tivemos de que seria uma questão de segurança foi no final do ano passado", disse Browlee. "Tivemos de investigar para identificar a causa e ver se havia uma problema comum para então analisar como poderíamos consertá-lo", afirmou.

A montadora disse que não tem conhecimento de nenhum acidente provocado pelo problema com o acelerador, mas que alguns incidentes teriam sido registrados na Europa. O recall anunciado pela Toyota afeta cerca de 8 milhões de veículos em todo o mundo. Entre os modelos atingidos estão o Aygo, iQ, Yaris, Auris, Corolla, Verso e Avensis, fabricados desde fevereiro de 2005.

Segundo Browlee, em modelos com falhas, o pedal do acelerador seria duro ou pesado, e "no pior caso" poderia ficar preso. Caso isso venha a acontecer, o motorista deve pressionar o freio, colocar o carro em ponto morto e estacionar o veículo com segurança. Ele afirmou ainda que os motoristas afetados pelo problema devem entrar em contato com a montadora e não tentar consertar o veículo de forma independente. O reparo, segundo ele, leva apenas 30 minutos.

Além do problema com o acelerador, diversos motoristas nos Estados Unidos e no Japão registraram problemas com o freio do modelo híbrido Prius. O órgão responsável por segurança no trânsito dos EUA afirmou ter recebido 100 registros de reclamação, e outros 14 foram registrados no Japão.

A Toyota, a maior montadora do mundo em vendas, vem enfrentando críticas de que não teria feito o suficiente para garantir a segurança de seus veículos. O secretário de Transportes dos EUA, Ray LaHood, disse à agência Associated Press que autoridades americanas tiveram de alertar a Toyota sobre a seriedade dos problemas que eventualmente causaram o recall.

A operação de recall pode custar cerca de US$ 2 bilhões em vendas e perdas e forçar a empresa a cortar as previsões de vendas para 2010. Na terça-feira (2), o vice-presidente executivo da empresa, Shinichi Sasaki, disse que estava extremamente preocupado com a previsão de vendas para este ano. A declaração foi feita após a divulgação de dados que indicam que as vendas da montadora caíram 16% em janeiro nos Estados Unidos e sua porcentagem no mercado automotivo do país chegou ao menor nível desde janeiro de 2006.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor