Topo

Carros


Carros

Tribunal autoriza liberdade sob fiança de braço direito de Carlos Ghosn

Divulgação e Reuters
Kelly (esq.) está preso com Ghosn desde novembro em Tóquio Imagem: Divulgação e Reuters

Da AFP

25/12/2018 12h23

Greg Kelly teria ajudado Ghosn no suposto crime de fraude financeira cometido contra a Nissan

Um tribunal de Tóquio aceitou nesta terça-feira (25) o pedido de liberdade sob fiança do americano Greg Kelly, detido em 19 de novembro ao lado de Carlos Ghosn, informa a imprensa local.

O valor da fiança foi estabelecido em 70 milhões de ienes (aproximadamente R$ 2,45 milhões), de acordo com o canal público NHK e a agência Kyodo.

Kelly, considerado o braço direito de Ghosn na Nissan, foi acusado em 10 de dezembro por, segundo a Promotoria, ter ajudado o executivo franco-brasileiro-libanês a ocultar parte de sua renda das autoridades da Bolsa, uma quantia que chegou a 5 bilhões de ienes (quase R$ 177 milhões) em cinco anos, de 2010 a 2015.

O americano, de 62 anos, também é suspeito de ter participado em uma operação similar de redução dos honorários de Ghosn de 2015 a 2018. Ele nega qualquer fraude. O diretor geral da Renault, Carlos Ghosn, permanece na prisão, objeto de novas acusações, desta vez abuso de confiança: a justiça decidiu no domingo prorrogar sua detenção preventiva até pelo menos 1 de janeiro.

Em um vídeo publicado na internet, a mulher de Greg Kelly citou a "possibilidade de libertação no dia de Natal". Poucos dias depois da detenção dos dois executivos, a Nissan destituiu Ghosn da presidência do conselho de administração e Kelly de suas funções de representação. Carlos Ghosn permanece como diretor geral da Renault e da aliança formada com as japonesas Nissan e Mitsubishi Motors.

Mais Carros