Chery assina contrato para a construção de fábrica em Jacareí (SP)

Da Redação

A empreitada da Chery no Brasil, que começou com a importação dos modelos Tiggo, Cielo e Face, pode tomar contornos maiores. De acordo com informações da prefeitura de Jacareí, a empresa chinesa assinou nesta sexta-feira (3) um contrato com a administração para construir uma fábrica na cidade, localizada no Vale do Paraíba, interior de São Paulo.

Ainda não há informações sobre se a fábrica irá substituir a unidade que a empresa mantém no Uruguai quanto ao fornecimento de carros para o mercado brasileiro. Procurada por UOL Carros, a assessoria de imprensa da Chery ainda não se pronunciou. Uma possibilidade é que os veículos sejam montados no local em regime CKD (completely knocked down) -- ou seja, as peças chegariam ao Brasil enviadas da China.

Sempre de acordo com informações da prefeitura de Jacareí, no contrato assinado pelas partes foram acertados detalhes básicos da fábrica, como área a ser ocupada, infraestrutura do local, construção de acessos viários e incentivos tributários. Dentro de 90 dias outro documento deverá ser assinado, abordando questões como número de empregos gerados e capacidade e regime de produção da planta.

Os rumores iniciais sobre uma possível fábrica da Chery no Brasil apontavam a região de Salto, também no interior paulista, como a sede mais provável -- lá já existe um escritório da chinesa. Na vizinha Itu está a unidade da sulcoreana Kia em solo verde-amarelo.

QUEM É A CHERY
A Chery é a maior fabricante de carros da China, e seu capital é 100% estatal, sem participação de montadoras estrangeiras (fórmula de negócios comum naquele país). Como lembrou Luis Curi, presidente da marca no Brasil, durante o evento de lançamento do Cielo em maio, "a Chery é a menina dos olhos do governo chinês" -- e, por conseguinte, "dinheiro não vai faltar".

A montadora entregou seu primeiro carro em território chinês em dezembro de 1999, e em março último chegou ao carro de nº 2 milhões. Em 2009, segundo seus próprios dados, emplacou 510 mil unidades, incluindo as exportações para mais de 80 países. As metas no Brasil são relativamente ambiciosas: vender até o final de 2010 cerca de 10 mil carros -- 2.000 Cielo, 3.000 Tiggo e 5.000 Face. O supercompacto QQ é aguardado como próximo lançamento. No Salão do Automóvel de São Paulo, em outubro, outros modelos devem ser apresentados.

UOL Cursos Online

Todos os cursos