Autoridade de tráfego dos EUA descarta falha eletrônica em acidentes com Toyota

Da Redação

Autoridades de tráfego dos Estados Unidos afirmaram nesta terça-feira (10) que motoristas não pisaram no freio em 35 entre 58 acidentes envolvendo modelos Toyota, todos atribuídos à aceleração involuntária do veículo. O caso provocou este ano um recall de mais de 8 milhões de unidades de carros da marca nos Estados Unidos, Europa e outros mercados.

A National Highway Traffic Safety Administration, entidade que regulamenta e supervisiona a segurança veicular nos EUA, afirmou ainda que as "caixas-pretas" dos veículos acidentados (dispositivos que gravam os dados de condução, a exemplo do que se faz nos aviões) não traziam sinais de falha eletrônica.

As informações, que foram prestadas pela NHTSA a juristas, reforçam o que a Toyota vinha dizendo em sua defesa: não houve mau funcionamento dos sistemas eletrônicos dos seus carros nos acidentes, e alguns motoristas poderiam ter se acidentado ao confundir o pedal do freio com o de aceleração.

De acordo com a NHTSA, citada pelo boletim Automotive News e por agências internacionais, as causas prováveis para os acidentes com os veículos Toyota são, "apenas", o enganchamento dos tapetes removíveis no pedal do acelerador e um defeito na própria haste do pedal, que fazia com que ele se prendesse ao atingir seu curso máximo.

Segundo a NHTSA, entre os 58 casos estudados houve alguns em que os freios foram acionados "parcialmente" -- foram 14 ocorrências desse tipo -- e outros -- nove casos -- em que houve pressão no freio apenas imediatamente antes do impacto. A NHTSA trabalha em parceria até com a agência espacial dos EUA, a Nasa, na investigação sobre os acidentes com os Toyota.

UOL Cursos Online

Todos os cursos