Fiat Idea 2011 tenta ser mais atraente a partir de R$ 43.590

EUGÊNIO AUGUSTO BRITO

Enviado especial ao Guarujá (SP)*

A Fiat apresenta nesta quinta-feira (29) a renovação de seu monovolume Idea, que chega às lojas com visual atualizado e duas novas opções de motor da família E-torq: o de 1,6 litro, para a versão Essence, e o de 1,8 l, na Adventure e na estreante Sporting. Há ainda o tradicional motor de 1,4 litro, que equipava a (agora) antiga versão ELX, e passa a mover a básica Attractive. Incluindo na conta o opcional câmbio Dualogic, automatizado que a Fiat insiste em vender como automático, o total de versões chega a sete.

Os preços divulgados pela fabricante para o modelo, que chega como linha 2011, mas que será comercialmente chamado de Novo Idea, são os seguintes:

- Idea Attractive 1,4 l 8V: R$ 43.590 (R$ 740 a mais em relação ao antigo ELX 1.4)
- Idea Essence 1,6 l 16 V E-torq: R$ 45.610
- Idea Essence 1,6 l 16 V E-torq Dualogic: R$ 47.720
- Idea Sporting 1,8 l 16 V E-torq: R$ 54.280
- Idea Sporting 1,8 l 16 V E-torq Dualogic: R$ 56.390
- Idea Adventure 1,8 l 16 V E-torq: R$ 56.900 (mesmo preço do atual -- e agora antigo -- Adventure)
- Idea Adventure Dualogic 1,8 l 16 V E-torq: R$ 59.010

DE FAMÍLIA, EU?
Monovolume (ou minivan) virou quase sinônimo de "carro de mãe" ou "carro de família"  no Brasil. Assim como alguns modelos (de novo os monovolumes, bem como os sedãs compactos), por seu porte, disposição de assentos e capacidade de porta-malas, se tornaram os preferidos por frotistas em geral e, mais especificamente, por taxistas. O que era para ser apenas um caso de público-alvo, como gostam de chamar a turma do marketing, acabou se tornando, em parte, pecha. E carros assim rotulados acabam sendo pouco atraentes para outros perfis de compradores.

ISSO MUDOU, AQUILO NÃO

  • Divulgação

    No interior, o Idea é quase o mesmo. Bom número de porta-objetos é marca da minivan

  • Divulgação

    A traseira do modelo foi reformulada. Merecem destaque as lanternas iluminadas com LEDs

É para tentar perder este rótulo, quase fardo, que o Idea 2011 traz aspecto externo quase que totalmente renovado: os faróis ganharam o formato de adaga -- os elementos internos lembram os do Punto, mas a lente é diferente. Grade frontal e para-choque também mudam, ficando mais encorpados.

Atrás, a vigia foi reduzida, enquanto a tampa do porta-malas ganhou novo recorte, com vincos mais pronunciados; a principal novidade, no entanto, fica por conta das lanternas, que passam a contar com três filetes de LEDs, que aumentam a visibilidade (geralmente encontrados em modelos importados e mais caros, tendem a ter seu preço diminuído com a popularização de seu uso).

Nas laterais, apenas alterações pontuais, mínimas: espelhos maiores e com repetidor de seta embutidos e rodas modificadas.

NEM TUDO É NOVO
Por dentro, porém, o novo Idea decepciona ao trazer a mesma disposição e os mesmos elementos do antigo Idea. Há pouquíssimas alterações que ficam por conta, principalmente, de detalhes do volante, iluminação do quadro de instrumentos e rearranjo dos bancos, que agora trazem modelagem em padrão embossed -- como no Volkswagen Fox e no Chevrolet Agile, onde o tecido recebe relevos e uma textura mais durinha, que no entanto tende a se desgastar com o tempo -- e que, segundo a Fiat, acomodam melhor os ocupantes.

VEJA O NOVO IDEA EM MOVIMENTO

Considerando que o Idea sempre aproveitou elementos de outros carros da linha Fiat, como por exemplo o painel de modelos mais antigos do Palio, numa colagem não muito harmoniosa, a falta de atualização é um ponto que pode ser considerado amplamente negativo. Para quem gosta da oferta de porta-objetos -- há diversos, incluindo um console superior com gavetas e um nicho aberto acima dos para-sóis --, segue tudo tão atraente quanto era.

ESTREIAS
Se o interior ficou quase na mesma, por baixo do capô o Idea 2011 conta com a nova família de motores E-torq, mais potentes e "torcudos", que só não está disponível para quem levar a versão mais básica Attractive, que conta com os mesmos equipamentos e com o mesmo motor de 1,4 l da antiga ELX, com 81 cavalos de potência e torque de 12,4 kgfm a 2.250 rpm, com etanol.

A versão Essence recebe o motor de 1,6 l e 16 válvulas capaz de gerar 117 cv máximos e torque de 16,8 kgfm a 4.500 giros, enquanto as versões Sporting e Adventure contam com o motor de 1,8 l 16V, com 132 cv de potência máxima e 18,9 kgfm de torque a 4.500 rpm, sempre com etanol no tanque. Essas três configurações podem receber, opcionalmente, o câmbio automatizado Dualogic, que permite trocas sem o uso do pedal de embreagem, que é abolido.

Grande novidade do catálogo, a versão Sporting segue a receita Fiat para esportivação de sua linha: acabamento com spoilers aparentes, máscara negra nas lentes de faróis e lanternas, grafismos exclusivos em logos e equipamentos internos, além de rodas diferenciadas aro 16. E,claro, a extensa lista de itens opcionais que chega ao auge com o belo teto solar Skydome.

Como de praxe, infelizmente, itens de segurança como airbags frontais e freios com ABS são itens de série apenas na versão mais cara, a Adventure, seguindo como opcionais para as demais. Há ainda o fato do bloqueio eletrônico de diferencial, chamado Locker, ser item opcional

UOL Carros participa, nesta sexta-feira (30) do test-drive organizado pela fabricante, após o qual trará suas impressões sobre o renovado Fiat Idea.  

* Viagem a convite da Fiat

UOL Cursos Online

Todos os cursos