Carros

Carga solta aumenta perigo para quem viaja de moto; saiba evitar

Cicero Lima

Colaboração para o UOL, em São Paulo (SP)

10/09/2016 08h00

A frota brasileira já conta com mais de 20 milhões de motocicletas, segundo dados do Denatran (Departamento Nacional de Trânsito). Muitas são usadas diariamente em rodovias, por cidadãos que querem suprir a ausência -- ou demora -- de transporte público.

O uso constante na estrada expõe o motociclista a vários riscos. Um deles é a queda por conta de objetos e cargas que caem de outros veículos.

Um exemplo aconteceu em Minnesota, Estados Unidos: o motociclista Steve Konrad seguia pela Interstate 94 e, de repente, colidiu com um tapete de borracha que caiu de uma lancha transportada em reboque.

Trata-se de uma típica situação que pode causar sérios acidentes envolvendo outros veículos, inclusive carros, e colocar em risco a vida dos envolvidos -- o motociclista, obviamente, é sempre o elo mais frágil. 

Por sorte, neste caso, Konrad não se feriu, mas sua moto ficou praticamente destruída. Confira no vídeo que abre a reportagem.

Transporte displicente

Segundo a polícia do Estado de Minnesota, também nos EUA, mais de 7.000 objetos que caem de automóveis, ônibus e caminhões são recolhidos anualmente nas estradas. E estamos falando de apenas um dos 50 Estados americanos. Colchões e escadas são os mais comuns. 

Reprodução
Motociclista dos Estados Unidos acerta um tapete que se soltou de reboque de carro no meio de uma rodovia Imagem: Reprodução
Infelizmente não há nada que o motociclista possa fazer numa situação como essa. Sua única chance é ficar atento e manter uma distância segura de veículos “suspeitos” que trafegam com cargas soltas ou mal fixadas.

Além de cargas “voadoras”, alguns tipos de caminhões representam maior risco para o usuário de moto. Um deles é a betoneira que, ao passar por algum buraco ou saliência na pista, pode espalhar pedras ou restos de concreto pela pista. Mesmo na cidade o risco é grande.

Por falar em cidade, os caminhões de lixo costumam deixar um rastro de chorume, capaz de fazer a moto derrapar, principalmente nas curvas.

Os caminhões basculantes (que transportam pedra e areia) também devem ser evitados. Manter distância segura e fazer ultrapassagens rápidas são a melhor forma de evitar levar uma “pedrada”. A viseira sempre fechada também protege os olhos dos temíveis grãos de areia.

Isso sem falar nas vans e automóveis com objetos pendurados no teto e sempre prestes a cair...

Embora o fator surpresa esteja inevitavelmente presente nas estradas, cabe ao motociclista interpretar uma situação de risco, manter a distância e estar preparado para o pior. Assim como deveria caber aos demais motoristas prender seus objetos de maneira mais segura e responsável.

Cicero Lima é especialista em motocicletas e motociclistas.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Carros

Topo