Carros

Harley Street Glide CVO desbrava Serra da Mantiqueira; veja roteiro

Arthur Caldeira

Da Infomoto

13/07/2016 16h08

Longe da badalação de Campos do Jordão, mas também presentes no miolo entre as capitais São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte, as cidades de Santo Antônio do Pinhal e São Bento do Sapucaí formam um roteiro para quem procura sossego, contato com a natureza e boa gastronomia.

Infomoto desbravou o trajeto a bordo da Harley-Davidson Street Glide da linha CVO, a grife de customização da marca americana. Com a preparação oficial mais o motor V2 de 1.800 cc e 15,9 kgfm de torque -- potêncial oficial não é divulgada --, o modelo custa R$ 134.200.

Explorando Santo Antônio do Pinhal

Um ponto fundamental é que as estradas da região, apesar de sinuosas (o que exige bastante atenção), estão em geral bem conservadas.

Na entrada de Santo Antônio do Pinhal há a estação estação de trem Eugênio Lefèvre, parada do trem turístico da Ferrovia Campos do Jordão que faz passeios diários. Se o visitante der sorte, poderá apreciar a lenta manobra do trem no virador que há no local. Aproveite para experimentar os bolinhos de bacalhau feitos à moda portuguesa (mais batata do que farinha). 

O Mirante da Santa é outra parada interessante, pois oferece belíssimas vistas da serra. Depois, na rua principal da cidadezinha, é possível conhecer a praça do artesão e a Igreja Matriz de Santo Antônio de Pádua. Enfeitada com bandeirinhas nessa época do ano, para comemorar o dia de Santo Antônio, ela é rodeada de lojas de produtos como queijos, mel e pinhões.

Para o almoço, um ajeitado boulevard oferece diversas opções de restaurantes, que servem desde comida da roça até massas.

Por dentro de São Bento do Sapucaí

Outra charmosa cidadezinha da Mantiqueira, São Bento do Sapucaí fica a 28 km de Santo Antônio do Pinhal. Para chegar até ela é preciso atravessar uma pequena ponte, que marca a divisa dos Estados de São Paulo e Minas Gerais, e depois voltar aos limites paulistas por meio de uma deliciosa estrada.

Essa posição geográfica estratégica fez a cidade ter um importante papel na Revolução Constitucionalista de 1932. Quer saber mais sobre essa história? Basta iniciar prosa com qualquer morador ou visitar o pequeno museu da Revolução de 1932, uma casa de pau a pique que guarda objetos históricos na Pousada do Quilombo.

Esta é uma das melhores acomodações na cidade: fica no bairro de mesmo nome, que assim se chama porque reuniu escravos alforriados nas terras doadas por um fazendeiro local, no fim do século 19. A praça central é organizada como um quilombo, com as pequenas casas em volta da Igreja.

Um passeio pelo centro revela construções antigas, que dão ar simples e aconchegante. A Igreja Matriz, construída em taipas de pilão, tem o charme interiorano e está muito bem conservada.

A grande atração de São Bento, porém, está a Pedra do Baú, imponente paredão localizado a 1.950 metros do nível do mar e visível de vários pontos da cidade. A estrada asfaltada que segue até a base da formação rochosa reúne 20 quilômetros de curvas fechadas, bela paisagem, cachoeiras, animais silvestres e restaurantes especializados em trutas.

Destino de muitos escaladores, o Baú fica em complexo cercado por duas outras pedras: Bauzinho e Ana Chata. O pico, com cerca de 400 metros de altura a partir da base, pode ser visitado por degraus e grampos que são chumbados com cimento em furos na rocha. Use roupas mais quentes para subir, pois a temperatura fica mais baixa.

Lá de cima desce um riacho usado para produzir cervejas artesanais da região, que valem ser provadas.

Como chegar

+Do Rio de Janeiro -- siga pela Via Dutra até a saída do km 92, sentido Pindamonhangaba. Trajeto de 320 km.
+De Belo Horizonte -- Siga pela BR-381 até Pouso Alegre; pegue a saída 850B para Santa Rita do Sapucaí/Itajubá; siga pela BR-459 até a Rodovia Antônio Simões de Almeida (MG-173), que passa em Paraisópolis (MG). Trajeto de 456 km.
+De São Paulo – siga pela Ayrton Senna/Carvalho Pinto em direção a Campos do Jordão; continue em frente pela BR-383 e pegue a saída em direção a Santo Antônio do Pinhal (SP-046). Trajeto de 170 km.

Impressões de pilotagem

Mas e a Street Glide CVO? Munida de pintura exclusiva, propulsor com maior capacidade cúbica e refrigeração líquida, sistema de som mais potente e acessórios já instalados de série -- comandos de punho iluminados, pedaleiras exclusivas, ponteira de escapamento esportiva, malas rígidas laterais e freios combinados --, ela oferece bastante conforto para a jornada.

Além do ronco mais imponente e empolgante que o da Street Glide convencional (R$ 90.400), a edição CVO oferece mais força para encarar as subidas íngremes da serra sem dificuldades. Consumo médio variou entre 14 e 16 km/l, o que confere autonomia de até 350 km para o tanque de 22,7 litros.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Topo