Carros

Contra Triumph, BMW F 800 GS fica mais recheada a R$ 45.900

Arthur Caldeira

Da Infomoto

02/07/2016 10h00

Segunda motocicleta mais vendida pela BMW no Brasil em 2015, a nova geração da F 800 GS chegou ao país em maio com discreta mudança visual e com mais equipamento para enfrentar a concorrência.

A nova BMW F 800 GS manteve suas características, que fazem dela um sucesso de vendas desde o seu lançamento em 2007. Claro que a concorrência da nova geração da Triumph Tiger 800, lançada em 2015, obrigou a marca alemã a equipar o modelo com freios com ABS, controle de tração e suspensão eletrônica.

Mas a subsidiária brasileira apostou em itens de série, como o protetor de mão, a suspensão eletrônica e o banco conforto -- todos acessórios no exterior.

Mais completa e cheia de tecnologia, a F 800 GS 2016 oferece as cores branca e preta e mantém-se como boa opção para quem procura uma moto para longas viagens, seja qual for o caminho. O preço, que passou de R$ 43.350 para os atuais R$ 45.900, ainda competitivo: a Triumph Tiger 800 XCx, bem completa também, tem preço sugerido de R$ 46.300.

Conjunto vencedor

A venda de 2.361 unidades da F 800 GS em 2015 deixam o modelo atrás apenas da R 1200 GS, com 2.668 unidades, no segmento bigtrail do mercado brasileiro. O peso menor e o preço mais acessível fazem da 800 GS uma boa opção para quem procura versatilidade e sabe que, na prática, ela vai aos mesmos lugares que a enorme 1.200 cc.

Exatamente por isso, pouco foi mudado e a bigtrail manteve as qualidades -- e os defeitos -- da geração anterior. O motor de dois cilindros paralelos de 798 cm³ com refrigeração líquida produz os mesmos 85 cv a 7.500 rpm e 8,5 kgfm de torque a 5.750 rpm.

Tem força de sobra em baixos giros, mas fica um pouco preguiçoso em médios regimes: em algumas situações é preciso reduzir uma marcha no câmbio de seis velocidades para fazer uma ultrapassagem. A cavalaria é suficiente para rodar a 140 km/h com folga, mas alguma vibração. Se exigir o máximo, supera os 200 km/h.

O consumo médio foi de 19,2 km/litro. Como o tanque manteve os mesmos 16 litros de capacidade, a autonomia projetada é de 300 km.

Novidades eletrônicas

A F 800 GS também manteve o robusto quadro tubular em aço treliçado com o motor fazendo parte da estrutura. Para enfrentar obstáculos mais facilmente, tem rodas raiadas de 21 polegadas na dianteira e 17 na traseira, ambas calçadas com pneus Scorpion Trail de uso misto.

O conjunto de suspensões está de acordo com essa proposta off-road: garfo telescópico invertido (upside-down) com 230 mm de curso na dianteira; e balança traseira em alumínio monoamortecida com 215 mm de curso. A novidade está nas suspensões com ajuste eletrônico da compressão e retorno em três níveis: conforto, normal e esportivo, que podem ser selecionados por um botão no punho esquerdo.

Na cidade, o modo conforto absorve bem as imperfeições do piso. Já na estrada e em velocidade mais alta, o modo esportivo, mais firme, permite contornar as curvas com mais confiança. O inconveniente é que, diferentemente de outras suspensões eletrônicas da própria BMW, o ajuste da pré-carga da mola do amortecedor traseiro é feito manualmente.

Ainda na eletrônica embarcada, a F 800 GS oferece sistema antiblocante (que pode ser desligado) que auxilia os bons freios a disco (duplo na dianteira e simples na traseira) a pararem os 214 kg em ordem de marcha. O controle de tração é mais focado na segurança do que no desempenho e mostrou-se intrusivo demais principalmente em estradas de terra esburacadas. De qualquer forma trata-se de ter mais segurança em pisos molhados ou muito escorregadios.

Conforto em longas viagens

Embora possa parecer bobagem, o novo "banco conforto" é uma das principais melhorias na nova 800 GS, sobretudo em longas viagens, por ser amplo e com apoio para o quadril. Por outro lado, a altura do assento é um obstáculo para pilotos mais baixos.

Outros itens, como o aquecedor de manopla e os protetores de mão, ajudam em uma viagem, ainda mais nessa época de baixas temperaturas. A única crítica vai para o pequeno para-brisa: sem ajuste, oferece pouca proteção aerodinâmica e o vento incomoda depois de algumas centenas de quilômetros.

O painel, bem completo, traz um pequeno computador de bordo com cronômetro, dois hodômetros, consumo instantâneo e médio, além de fuel trip para quando o combustível entra na reserva.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Carros

Topo