Carros

Indian Chief Classic traz melhor do retrô americano por R$ 79.990

Aldo Tizzani

Da Infomoto

25/05/2016 11h58

Representante fiel do estilo retrô – tendência que vem ganhando adeptos em todo o mundo –, a Indian Chief Classic chega ao Brasil com visual clássico (inspirado em modelos dos anos 1940) e um torcudo motor V2 por salgados R$ 79.990.

Para justificar o preço alto, o modelo acrescenta itens como quadro e balança em alumínio, acelerador eletrônico, piloto automático e sistema de freios ABS (antitravamento). Entretanto, apesar dos suntuosos paralamas que cobrem quase totalmente as rodas, é desprovida de adereços e até mesmo de assento para o garupa.

Com 2,63 metros de comprimento e 341 quilos (a seco), a Chief Classic impressiona pelo porte (ressaltado ainda mais com o parrudo tanque de combustível com capacidade para 20,8 litros). Por outro lado, os 66 cm da altura do assento para o solo facilitam manobras em baixa velocidade.

Com o guidão posicionado de forma a deixar o braço do motociclista semiflexionado, a cruiser americana oferece muito conforto numa longa tocada. 

Divulgação
Visual se inspira nas antigas Inian Chief produzidas na década de 1940 Imagem: Divulgação

Coração valente

O V2 mencionado acima se chama Thunder Stroke 111. Trata-se de um motor de 1.811 cm³ que gera impressionantes 16,5 kgfm de torque a apenas 3.000 giros. A potência, infelizmente, não é divulgada pela Indian. Motor e câmbio (de seis velocidades) montados no mesmo bloco ajudam a reduzir a vibração do conjunto.

Divulgação
Banco a 66 cm do solo contribui para manobrar facilmente, apesar dos 341 kg a seco; faz falta o assento do garupa Imagem: Divulgação
Sua arquitetura é praticamente a mesma usada pelas Chief da década de 1940, porém com materiais atuais e tecnologias como injeção eletrônica. Na estrada, rodando em sexta marcha, velocidade e faixa de rotação crescem de forma progressiva e linear: 100 km/h a 2.300 rpm; 110 km/h a 2.550 rpm; e 120 km/h a 2.800 rpm.

Na prática, todo o torque da Chief Classic está ali para fazê-la rodar com suavidade: não é preciso ficar reduzindo marchas, basta dosar o acelerador. Na rodovia, o modelo apresentou consumo médio de 18 km/l e bastante desenvoltura para contornar curvas, apesar do tamanho.

FICHA TÉCNICA - Indian Chief 2016
+Preço:
R$ 79.990
+Motor: V2 arrefecido a ar
+Potência: não divulgada
+Torque: 16,5 kgfm (a 3.000 rpm)
+Câmbio: seis marchas
+Alimentação: injeção eletrônica
+Dimensões: 2,63 m (c). Demais dados não divulgados
+Peso: 341 kg (a seco)
+Tanque de combustível: 20,8 litros 

Divulgação
Paralamas cobrindo quase totalmente as rodas acentuam estilo americano retrô Imagem: Divulgação

Voltada ao conforto

O que mais impressiona quando a moto está em movimento é o bom trabalho do conjunto de suspensões. De longo curso e copiando bem as irregularidades do terreno, a Chief Classic transmite conforto e segurança ao piloto.

Na dianteira, o garfo telescópico de 46 mm de diâmetro e dupla mola tem bons 119 mm de curso. Na traseira, o monoamortecedor com ajuste na pré-carga da mola oferece 94 mm.

Conjunto de freios com dois discos e pinça dupla de quatro pistões na dianteira, além de disco traseiro simples e flutuante com pinça de dois pistões -- todos com 300 mmm de diâmetro --, transmite confiança ao piloto e demonstra bom funcionamento, especialmente pelo auxílio do ABS.

Três outras características contribuem para o conforto: o banco, que, apesar de único, é bem amplo; as pedaleiras -- tipo plataforma -- revestidas de borracha; e os pneus, com generosas medidas -- 130/90 na dianteira e 180/65 na traseira --, que calçam rodas de liga leve aro 16. 

Divulgação
Motor V2 de 1.800 cc entrega ótimos 16,5 kgfm de torque logo a 3.000 rpm Imagem: Divulgação

Pode bater a Harley?

Em geral, a Indian Chief Classic é divertida de pilotar e um dos melhores modelos da marca: entrega torque de sobra, suspensões e freios compatíveis, bom nível de conforto, segurança e estabilidade. Além, é claro, do estilo retrô, que agrada a muitos: peças cromadas, faróis auxiliares e o luminoso índio na ponta do envolvente paralama.

Não estamos falando de uma moto para quem tem pressa de chegar ao destino, mas sim para ser apreciada e admirada ao longo do percurso. Pontos negativos vão para o preço, R$ 10 mil mais caro que o da concorrente Harley-Davidson Fat Boy (R$ 69.900), e a ausência de assento para garupa como item de série. 

Apesar de fundada há 115 anos, a Indian se instalou recentemente no Brasil e ainda é desconhecida do consumidor local. Sua dura missão será mostrar ao motociclista que tem qualidades para enfrentar a tradição da Harley, presente em nosso mercado desde os anos 90.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Carros

Topo