Carros

Conheça os oito erros que mais reprovam motociclistas no exame

Divulgação
Se tocar nos cones ou colocar o pé no chão é reprovação certa Imagem: Divulgação

Cicero Lima

Colaboração para o UOL

29/04/2016 14h40

A cada mês na cidade de São Paulo (SP) mais de 3.000 pessoas se submetem ao exame prático para conseguir a "carta de moto" -- a CNH na categoria A.

Três em cada dez alunos cometem alguma falha, que não escapam aos olhos dos examinadores do Detran: de setembro de 2015 a fevereiro de 2016, foram aplicados 18.824 exames na cidade e 6.278 candidatos foram reprovados.

Segundo o diretor de Habilitação do Detran-SP, Maxwell Borges Vieira, a função do exame prático é averiguar se o aluno é capaz de dominar a moto.

Ter bom desempenho na prova será fruto da dedicação durante todo o processo de habilitação, quando recebe informações sobre teoria e prática com a motocicleta. Durante o percurso, o candidato deve mostrar equilíbrio, capacidade de manobra, uso adequado de sinalização e reflexo rápido diante de obstáculos.

As falhas que reprovam

Muitos alunos são reprovados por pequenos deslizes. Os mais comuns são:

1. Iniciar a prova sem estar com o capacete devidamente ajustado ou afivelado à cabeça;

2. Deixar a viseira levantada ou não usar óculos de proteção;

3. Avançar sobre o meio-fio ou a indicação de parada obrigatória;

4. Abalroar um ou mais cones de balizamento;

5. Colocar o(s) pé(s) no chão com a moto em movimento;

6. Não manter equilíbrio na "prancha", saindo lateralmente dela;

7. Errar o percurso ou não completar o "8" de maneira correta;

8. Cair da motocicleta durante a prova ou provocar acidente durante a realização do exame, como bater em outra moto.

Divulgação
Perder o equilíbrio na faixa, conhecida como prancha, também encerra exame Imagem: Divulgação

Calma e segurança

Muitas vezes o aluno faz os exercícios com facilidade durante as aulas com o instrutor. No dia do exame, porém, fica nervoso e acaba reprovado.

Segundo Raquel Almqvist, doutora em Psicologia do Trânsito da Abramet (Associação Brasileira de Medicina de Tráfego), é possível evitar esse problema tomando alguns cuidados básicos.

Entre eles controlar a ansiedade e marcar a data do exame somente ao se sentir seguro.

"Faça o exame como se fosse mais uma aula e veja o examinador como o seu instrutor", indica a psicóloga do trânsito, que recomenda ao candidato pensar como se estivesse demonstrando o que fez na última aula -- e não sendo avaliado.

Outra dica interessante é não falar com outros candidatos antes de entrar na prova. "Feche os olhos e ouvidos para a ansiedade dos outros candidatos. Não são concorrentes, mas podem te prejudicar ao aumentar sua ansiedade", reforça a especialista.

Vale ainda ter seu próprio capacete e conhecer o local da prova alguns dias antes. Desta forma, o candidato fica mais familiarizado com o ambiente e mais seguro no momento do exame.

Se alimentar de forma correta e manter a hidratação são fatores importantes que também contribuem para estar bem-disposto e seguro para dominar a moto.

Cicero Lima é especialista jornalista especializado em motos

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Topo