Carros

Rolé é patinete elétrico criado em MG para facilitar transporte urbano

Divulgação
Allan Tolentino, criador do Rolé, veículo pensado para ser prático e elétrico Imagem: Divulgação

Aldo Tizzani

Da Infomoto

18/03/2016 08h00

Toda boa ideia parte de uma necessidade. É justamente o caso do Rolé, veículo individual para deslocamento urbano brasileiro, que pretende poupar tempo, dinheiro e energia.

Ao idealizar este patinete elétrico, o designer de produto Allan Tolentino percebeu que gastava muito tempo para ir do trabalho à faculdade, entre Sabará e Belo Horizonte (MG). 

No trajeto de pouco mais de 30 quilômetros chegou a perder mais de duas horas e utilizar nove conduções, entre ônibus e metrô. A partir daí, teve a ideia de fazer seu rolê (ou rolé no Rio e em MG) de forma mais ágil, econômica, ecológica... e estilosa.

Destinado a percorrer distâncias curtas, o Rolé é movido a energia elétrica e pode ser dobrado para que o dono o carregue em ônibus, no metrô ou no porta-malas. 

Toletino busca investidores para dar vida ao patinete-mochila. Além disso, o Rolé é um dos finalistas do Prêmio Alcoa, que acontece em abril com mais de 150 inscritos, para incentivar ideias inovadoras e sustentáveis com o uso do alumínio.

Divulgação
Projeto é ter modelo de 5 kg para ser levado como mochila Imagem: Divulgação
Ligado na missão

Equipado com motor elétrico de 250 W e bateria de 36 V, oferece autonomia de 30 km ou uma hora de uso. A velocidade final é de 35 km/h. Para reabastecer, basta deixá-lo na tomada (110/220V) por 1h30.

Segundo o designer, o Rolé pode ser "armado e desarmado" em apenas cinco segundos, já que conta com sistema de engate rápido, auxiliado por molas.

Parte da inspiração veio das bicicletas dobráveis utilizadas na 1ª Guerra Mundial.

"Naquela época, as bicicletas eram usadas no campo de batalha e quando o terreno era muito acidentado ou íngreme os soldados as dobravam e as colocavam nas costas, para completar sua missão", conta Tolentino.

"Uma boa opção seria circular com o veículo pelas ciclofaixas e ciclovias que estão se alastrando por todo o país", afirma.

Tudo leve

Para construir o protótipo, Allan Tolentino utilizou materiais leves como o alumínio, usado em 80% do projeto. O modelo tem ainda rodas de skate e lateral iluminada por neon azul.

No total, pesa 14 quilos. Mas o ideal é que tenha apenas 5 quilos. Para isso, além do alumínio, precisa usar fibra de carbono e reduzir o tamanho em 30%. 

"Entre tentativas e muitos erros, o protótipo consumiu um investimento de cerca de R$ 7.000", calcula o designer mineiro.

Divulgação
Celular pode ser usado como painel de instrumentos e GPS Imagem: Divulgação

Conectado e social

Para maior interação com o usuário, o Rolé usa o smartphone no lugar do painel de instrumentos.

Com a ajuda de aplicativos, será possível calcular rotas, pontos de parada, velocidade e ouvir música durante o trajeto até os locais de trabalho e estudo.

O sonho do designer é que seu invento seja um projeto comunitário, disponível em áreas de terminais de ônibus e metrô em capitais como BH, Rio e São Paulo, facilitando o uso e deslocamento de pessoas.

Além disso, poderia se valer de eletropostos integrados a estes terminais.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Topo