Carros

Yamaha R3, R$ 19.990, é esportiva pronta para o dia a dia; conheça

Aldo Tizzani

Da Infomoto

19/02/2016 18h00

Mesmo com linhas que exalam esportividade e soluções técnicas provenientes de modelos maiores, a Yamaha YZF-R3 quer ser opção de esportiva para o dia a dia. Vendida a partir de R$ 19.990 (R$ 22.590 na versão com ABS), ela tem tido boa aceitação no mercado se levarmos em consideração o cenário ruim que afeta o segmento de motos.

Desde que chegou ao mercado, em setembro, foram emplacadas cerca de 300 unidades por mês, número próximo à meta da Yamaha de comercializar 400, mensalmente. Mas ela é realmente boa companheira no dia a dia ou é cansativa?

Mario Villaescusa/Infomoto
Miniesportiva tem desenho inspirado nas superesportivas da marca, R6 e R1 Imagem: Mario Villaescusa/Infomoto

Na prática

Ágil e fácil de pilotar, a R3 não decepciona na cidade. Ainda que seu torque máximo de 3,02 kgfm só esteja disponível aos 9.000 rpm, o motor desperta rapidamente a partir dos 5.000 giros, com entrega de torque e potência de forma progressiva. Nos corredores apertados, a moto roda em quarta/quinta marchas e consegue mantém com facilidade a velocidade de 55 km/h.

Nessa situação, o que impressiona é a eficiência do câmbio de seis marchas, que tem bom escalonamento e engates precisos. O desempenho em baixos e médios regimes e o vigor em alta rotação são provenientes dos pistões forjados que são mais leves que o normal e permitem que o motor ganhe giros com facilidade, herança das superesportivas da marca. Seu chassi é construído em tubos de aço, e o motor faz parte de sua estrutura (tipo Diamante). O peso de 179 kg (versão com freios ABS, em ordem de marcha) confirma sua filosofia de ser leve e prática.

Os pontos negativos ficam por conta do posicionamento dos espelhos retrovisores, que ficam na mesma altura que o dos carros. No consumo urbano, média de 22 km/l -- número bom para a categoria, mas longe de modelos mais econômicos.

Outro detalhe é que a R3 não faz muitas concessões à garupa, como outras esportivas. Não há alça ou pontos de fixação para bagagem. Ruim se o motociclista precisa de praticidade: será preciso usar mochila todos os dias ou instalar um bauleto que, convenhamos, arruinaria a estética da moto.

Mario Villaescusa/Infomoto
Yamaha R3 é boa opção para quem quer rodar na cidade e fazer viagens curtas Imagem: Mario Villaescusa/Infomoto

E na estrada?

Com asfalto bom e pista livre, em sexta marcha, o motor cresce de forma gradativa: 80 km/h (5.000 rpm), 95 km/h (6.000 rpm), 110 km/h (7.000 rpm) e 120 km/h (8.000 rpm). Até 9.000 rpm há ainda bastante torque para uma aceleração extra e, consequentemente, uma ultrapassagem.

Mas para ter a potência total (42 cv) é preciso fazer o motor chegar a quase 11.000 rpm. Em aceleração máxima, realizada em pista fechada, a miniesportiva chega a 170 km/h, sem sustos ou trancos, tudo com suavidade. Em quase 300 quilômetros rodados na estrada, o consumo médio foi de 28 km/l. O tanque tem capacidade para 14 litros, portanto sua autonomia pode superar 400 km.

Ficha técnica - Yamaha YZF-R3

+ Preço: R$ 19.990 (R$ 22.590 com ABS)
+ Motor: 321 cc, dois cilindros, arrefecimento líquido
+ Potência: 45 cv (10.750 rpm)
+ Torque: 3,02 kgfm (9.000 rpm)
+ Câmbio: seis marchas
+ Dimensões: 2.090 mm (c) x 720 mm (l) x 1.135 mm (a)
+ Peso: 179 kg (ordem de marchas)
+ Tanque de combustível: 14 litros 

Ergonomia e ciclística

Por outro lado, a moto também é confortável. O assento é largo e oferece espuma de boa densidade. As pernas do piloto vão bem encaixadas entre o tanque e a carenagem. Além disso, os semiguidões e a mesa em alumínio, mais alta, também contribuem para a posição de pilotagem mais prazerosa, o que confirma sua aptidão de ser uma esportiva para todos os dias.

Na dianteira, a moto utiliza garfo telescópico de 41 mm de diâmetro com 130 mm de curso e freios a disco flutuante, de 298 mm, com pinça de dois pistões. Na traseira, balança alongada com monoamortecedor de 125 mm de curso, com ajuste na pré-carga da mola, e disco simples de 220 mm com pinça de único pistão.

O conjunto é estável, equilibrado e copia bem as imperfeições do piso. Os freios merecem destaque pela eficácia, principalmente na versão com ABS. Os pneus de perfil esportivo, Metzeler Sportec ME Interact (110/70 R17 na frente e 140/70 R17 atrás), têm boa aderência e permitem que a moto faça curvas mais radicais.

Mario Villaescusa/Infomoto
Fixados na carenagem fronal, os espelhos retrovisores esbarram no dos carros Imagem: Mario Villaescusa/Infomoto

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Topo