Carros

Harley Street Bob, R$ 44.400, ignora estilo urbano e vai bem na estrada

Aldo Tizzani

Da Infomoto

17/04/2015 08h01

A Harley-Davidson Street Bob é uma moto de atitude, feita para ser vista. Montada em Manaus (AM), tem vocação urbana, porém o espírito estradeiro fica evidenciado pela adoção do motor V2 de 1.600 cm³, que esbanja torque.

Com preços variando entre R$ 44.400 e R$ 46.050, dependendo do padrão de cores -- Vivid Black (preta fosca), um tom ou dois tons de cores (preto, cereja ou azul) ou a chamativa Hard Candy Custom (prata, com muito brilho).

Dirigibilidade

Rodamos mais de 900 km com o modelo da linha 2015 entre São Paulo e Rio (RJ), que revelaram o bom desempenho e ciclística da Street Bob, mas também o conforto proporcionado pela boa ergonomia do modelo.

Na estrada, a Street Bob lembra, de certa forma, o antigo Ford Landau. O carrão da década de 1970 rodava com bastante desenvoltura na rodovia, com destaque para o conjunto de suspensão.

Na cidade, a moto desfilava no meio do caótico trânsito carioca, já que a cidade se transformou em um grande canteiro de obras visando os Jogos Olímpicos 2016. Assim, o modelo oferece certa agilidade entre os carros. O guidão mais alto e fechado não briga com os espelhos retrovisores dos automóveis. Realmente o torque impressiona em todas as faixas de rotação e ajuda na pilotagem em meio ao tumulto das interdições.

Moto para egoísta, a Street Bob conta com banco solo, assim o piloto terá que viajar com uma mochila nas costas ou instalar algum acessório para acomodar a bagagem. Para levar garupa também é necessário instalar um banco inteiriço e um par de pedaleiras, com o custo aproximado de R$ 2.200. Mas essa tendência à personalização de acordo com o uso também é uma característica da Harley.

Um bom item de série é o sistema de segurança, Smart Security System, que proporciona o bloqueio automático da motocicleta. Ele ativa e desativa a ignição e o alarme, conforme você se aproxima ou se afasta da moto. O controle pode ficar na jaqueta, no bolso da calça, ocultos dos "amigos do alheio".

Ficha Técnica: Harley-Davidson Street Bob

  • Motor: dois cilindros em V, refrigerado a ar, 1.585 cm³.
  • Potência: não divulgada.
  • Torque: 11,9 kgfm a 3.250 rpm.
  • Transmissão: seis velocidades.
  • Chassi: duplo berço.
  • Suspensão: dianteira a garfo telescópico, 127 mm de curso; traseira bichoque com 80 mm de curso.
  • Freios: Disco simples 300 mm de diâmetro (dianteiro) e 292 mm de diâmetro (traseiro).
  • Pneus: 100/90B19 (D), 160/70B17 (T).
  • Dimensões: 2.395 x 915 x 1240 mm (CxLxA); 1.630 mm (entre-eixos).
  • Tanque: 17,8 litros.
  • Peso: 304 kg (em ordem de marcha).

Sylvio Junior/Infomoto
Duidão alto oferece bom nível de conforto ao piloto Imagem: Sylvio Junior/Infomoto
Tudo é visual

A Street Bob não traz grande aparato tecnológico, além do sistema de freios ABS (antitravamento). Porém, mesmo antes mesmo de dar a partida, esta integrante da família Dyna chama a atenção. Seu estilo flutua entre o clássico dos anos 50 e o de pegada mais agressiva, evidenciada pelo tratamento no acabamento de algumas peças: garfo dianteiro, aros das rodas, console preto texturizado e powertrain escurecido com capas também texturizadas. O corpo da moto é todo fosco.

Na parte estética mais três detalhes chamam a atenção, o emblema da Harley no tanque de combustível com um estilo mais clássico e, para contrastar, lanternas traseiras multifuncionais. Ou seja, a luz de freio e a lanterna estão integradas às luzes indicadoras de direção, com efeito minimalista

Bela peça, o console central é decorado por textura preta e inclui chave de ignição integrada ao tanque, com luzes de advertência, velocímetro e computador de bordo (indicador de marcha/RPM, tacômetro, relógio, medidor de quilometragem e diagnóstico do motor). As informações são alternadas no botão do punho esquerdo e exibidas em uma pequena tela digital abaixo do velocímetro.

Conforto

Já nos primeiros metros, a moto se mostrou confortável. A posição de pilotagem está de acordo com a proposta da moto: o guidão alto, no melhor estilo "Ape-Hanger" sem exageros, oferece posição ergonômica, já que os braços ficam praticamente retos. Os membros inferiores -- coxas e pernas -- formam um ângulo de 90º graus. Apesar de a moto não contar com pedaleiras plataforma, a posição não cansa o piloto.

O assento único, aparentemente desconfortável e com pouca espuma, se encaixa ao motociclista, que pode ficar um bom tempo pilotando a Street Bob na estrada. Além disso, esta Harley pode ser ideal para os pilotos de baixa estatura, já que a altura do assento é de apenas 675 mm.

Sylvio Junior/Infomoto
Custom teve bom desempenho e mostrou desenvoltura no trânsito da orla carioca Imagem: Sylvio Junior/Infomoto
Precisa, mas não suave

Seguindo os padrões estéticos da Street Bob, o motor Twin Cam 96, de dois cilindros em V, refrigerado a ar tem 1.585 cm³ de capacidade cúbica. Alimentado por injeção eletrônica de combustível (ESPFI), oferece respostas rápidas, sem engasgar. Mas o grande diferencial é seu torque: 11,9 kgfm a 3.250 rpm. Força suficiente para empurrar 304 quilos em ordem de marcha sem esforço.

Seja para largar nas frentes dos carros, ultrapassagens ou retomadas, a força do motor é brutal. Basta girar o acelerador com vontade. Ao mesmo tempo, o V2 trabalha dócil na estrada. Por exemplo, a 2.700 rpm, sexta marcha engatada e sem forçar, a moto está a uma velocidade constante de 120 km/h.

O consumo médio nesta viagem foi de 19 km/l. Como a Dyna Street Bob tem capacidade para 17,8 litros de gasolina e possível rodar cerca de 300 quilômetros.

Outra característica deste motor, cuja arquitetura tem mais de 100 anos, é a entrega de potência de forma linear, sem sustos, apesar do torque elevado. Na unidade avaliada, a transmissão de seis velocidades oferecia engates precisos. Suaves, nem tanto. Mas, como dizem os saudosistas, isso é uma característica da HD.

Ciclística

Tradicional tanto quanto possível, eis a Street Bob. Garfo telescópico e sistema bichoque, com ajuste na pré-carga da mola, compõem o conjunto de suspensões que, aliás, copiam com propriedade as ondulações do piso. É claro que os pneus largos -- 100/90B19 (dianteiro) e 160/70B17 (traseiro), Michelin Scorcher -- também ajudam nesta missão.

Para oferecer mais segurança e confiança para o motociclista, a Dyna Street Bob traz freios a disco nas duas rodas com ABS de série. Na dianteira, pinça flutuante com quatro pistões e, na traseira, flutuante com dois pistões. O conjunto não foi exigido ao extremo, mas quando acionado com vigor trabalhou como esperado.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Carros

Topo