Carros

Família Hypermotard da Ducati chega ao Brasil desde R$ 51.900

Carlos Bazela

Da Infomoto

01/04/2014 15h45

A partir deste mês, a Ducati amplia a oferta de modelos no Brasil. Para marcar essa expansão, a marca escolheu um dos seus modelos mais queridos, a Hypermotard.

A nova geração da supermoto italiana será vendida por R$ 51.990 na versão standard e R$ 64.900 na configuração SP. Por fim, a Hyperstrada, versão com vocação touring da Hypermotard, será oferecida por R$ 56.900. As três chegam importadas neste primeiro momento, mas o plano da marca é montá-las em Manaus (AM).

VISUAL RENOVADO
Na aparência, a nova geração da Hypermotard, que foi apresentada pela primeira vez no Salão de Milão de 2012, mudou bastante em relação às suas antecessoras. O traço mais marcante é o escape, que abandonou sua configuração de ponteira dupla (abaixo do assento) para se transformar em uma peça única do lado direito. Com linhas triangulares, ele é curto e não bloqueia a visão da roda traseira, que continua presa por um monobraço.

As formas angulosas, aliás, norteiam o novo design da moto, que ficou mais agressivo. As aletas laterais do tanque estão mais alongadas e contam com entradas de ar, que auxiliam na dissipação do calor. O assento também endossa a proposta de agressividade: menos espesso, a peça tem aspecto de uma fina camada de espuma sobre o dorso da moto, que se assemelha a modelos de enduro.

A nova Hypermotard teve ainda mudanças mais sutis, como paralama dianteiro superior (com as mesmas entradas de ar profundas da Multistrada) e espelhos retrovisores mais curtos. Estes ainda deixaram as pontas dos manetes para serem afixados de forma mais convencional. Já os piscas continuam fixados aos protetores de mãos, porém em uma posição mais central em relação ao farol.

Nicky Hayden, da MotoGP, foge de encontro para curtir a moto

UM MOTOR PARA AS TRÊS
As atualizações da Hypermotard não se limitam à estética. O modelo também passa a ser equipado com novo propulsor, que extinguiu todas as variações de motorização que existiam anteriormente. Desta forma, tanto a versão Standard, SP e Hyperestrada contam com o mesmo Testastretta 11º, composto por dois cilindros em "L" de 821 cm³. Refrigerado a líquido, ele traz o tradicional comando desmodrômico de válvulas e é capaz de gerar até 110 cv de potência e 9,1 kgfm de torque.

Montados sobre um quadro tubular de treliça, marca registrada de italianas, os três modelos da família também apresentam o mesmo conjunto de freios: na roda dianteira, são dois discos semi-flutuantes de 320 mm de diâmetro (mordidos por pinças Brembo de quatro pistões fixadas radialmente) e, na roda traseira, disco único de 245 mm de diâmetro (com pinça de pistão duplo). Ambas as rodas contam com sistema ABS, que é oferecido como item de série.

O pacote eletrônico é generoso e comum para as três motos -- além dos freios ABS, com três pontos de regulagem, fazem parte do catálogo o acelerador eletrônico (ride-by-wire) e o controle de tração com até oito níveis de ajuste. Tudo isso é gerido por três modos de pilotagem, que se dividem entre "Sport", "Touring" e "Urban" na Standard e na Hyperstrada; e entre "Race", "Sport" e "Wet" na SP.

DIFERENÇAS CRUCIAIS
Embora as três novas motos partilhem o propulsor, sistemas de freios e pacote eletrônico, elas apresentam importantes diferenças entre si nos quesitos ergonomia e ciclística, justamente o que as colocam em caminhos distintos.

A Hypermotard Standard sai de fábrica com suspensão dianteira composta por garfo invertido Kayaba com curso de 170 mm, enquanto o monobraço traseiro emprega um monoamortecedor com link progressivo e ajustável da Sachs, com 150 mm de curso. A altura do assento é de 870 mm e ela pesa 198 kg. Ela vem calçada com pneus Pirelli Diablo Rosso II.

Divulgação
Todas as versões da família Hypermotard (Standard, SP e Hyperestrada) contam com o motor Testastretta 11º, composto por dois cilindros em "L" de 821 cm3 Imagem: Divulgação

No caso da Hyperstrada, as mudanças evidenciam sua orientação touring, como o parabrisa e as malas laterais rígidas. O assento, com altura de 850 mm, é mais largo e tem dois níveis. A suspensão dianteira também tem curso menor, de 150 mm. Os itens a mais também garantem aumento no peso, que sobe para 204 kg. A presença de alças de apoio na rabeta também a fazem uma melhor opção na hora de transportar uma garupa. Os pneus são Pirelli Scorpion Trail. As medidas, entretanto, são as mesmas 120/70 R17 na roda dianteira e 180/55 R17 na traseira.

Mais alta, a Hypermotard SP tem garfo dianteiro Marzoccchi pressurizado e totalmente ajustável com curso de 185 mm, enquanto a roda traseira traz link progressivo com monoamortecedor Öhlins de 175 mm de curso (totalmente ajustável por gás). É a configuração mais esportiva e ideal para trackdays. O assento tem 890 mm de altura e as rodas são forjadas em liga leve, com menos aros do que as outras versões. Na pintura, foram empregados cores e grafismos da Ducati Corse, divisão de competição da marca italiana. Os pneus são Pirelli Diablo Supercorse SP -- o uso de componentes topo de linha garantiu uma redução no peso para 194 kg.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Carros

Topo