Carros

Kawasaki ER-6n ou Suzuki Gladius, saiba qual é a melhor naked urbana

Arthur Caldeira

Da Infomoto

21/03/2014 07h00

A escolha de uma moto muitas vezes se dá pela emoção: ou a grande novidade do mercado, ou a mais potente, ou aquela que o consumidor acha mais bonita.

Duas nakeds japonesas, contudo, primam pela razão: Kawasaki ER-6n (R$ 29.390) e Suzuki Gladius 650 (R$ 28.900). Nenhuma delas se destaca pela potência, velocidade final ou ciclística com peças de grifes famosas. Tampouco são as mais caras no segmento. Mas não deixam de oferecer vantagens: pilotagem dócil, motores econômicos e com bastante torque.

Os projetos são semelhantes, com vocação urbana: quadro de aço tubular, rodas de liga leve de 17 polegadas, posição de pilotagem mais ereta, guidões largos e motores bicilíndricos com cerca de 650 cc. Só um detalhe as diferencia: enquanto a Kawasaki usa cilindros paralelos, a Suzuki aposta na tradição de seu V2 a 90°.

CONFRONTO DIRETO

  • Doni Castilho/Infomoto

    KAWASAKI ER-6N (R$ 29.390)

    Vantagens:
    +Freios com ABS
    +Melhor para manobras na estrada
    +Mais econômica na estrada

    Desvantagens:
    +Motor vibra mais e faz mais barulho
    +Engate das marchas é mais duro
    +Espuma do assento é mais fina

  • Doni Castilho/Infomoto

    SUZUKI GLADIUS 650 (R$ 28.900)

    Vantagens:

    +Motor suave e forte nas baixas rotações
    +Câmbio com engates precisos e suaves
    +Mais econômica na cidade

    Desvantagens:
    +Freios sem ABS
    +Traseira mais mole
    +Tanque de combustível menor

Apresentada em 2006 no exterior, a ER-6n desembarcou no Brasil em 2008. Há dois anos, recebeu uma atualização que a deixou com linhas angulosas e ciclística aprimorada.

Já a Gladius, lançada em 2009, chegou ao mercado brasileiro só no ano passado, e ainda é desconhecida de muitos. Possui linhas modernas, farol excêntrico e formas orgânicas, e motor bem acertado. 

SEMELHANTES, NÃO IGUAIS
Muitos são pontos equivalentes entre a Kawasaki e a Suzuki: para começar, as duas se caracterizam pela baixa altura do assento, respectivamente em 80,5 e 78,2 cm do solo. Assim, fica fácil para pilotar e também apoiar os pés no chão. O ângulo de esterço e a distribuição de peso também são bons, comparáveis até a urbanas de menor capacidade cúbica, como Yamaha Fazer 250 e Honda CB 300R.

A ciclística agrada bastante, absorvendo bem as imperfeições do piso e raramente dando "fim de curso", como acontece em nakeds mais esportivas. A ER-6n leva vantagem ao transmitir maior segurança em viagens, já que responde melhor às manobras e possui freios ABS (antitravamento), algo que faz falta na Gladius em situações emergenciais. Além disso, a traseira da Suzuki é mais mole, demandando condução suave e fluida.

Ambas oferecem conforto na posição de pilotagem, com a diferença de que, na ER-6n, a espuma do assento é mais espessa e estreita na frente, com pedaleiras recuadas que proporcionam uma posição mais "esportiva". Já o banco largo da concorrente dá sensação de relaxamento, mas a espuma mais fina provoca certa dormência após muitas horas em cima da moto.

Como ambas têm quadro de aço, a diferença de peso é irrisória: 202 kg em ordem de marcha para a Suzuki, 206 kg da Kawa. No caso da Gladius, o quadro é em treliça e lembra o da Ducati Monster, com suspensões espartanas e voltadas ao conforto. O garfo telescópico convencional tem 124 mm de curso e a balança traseira, mono-amortecida, 129 mm. Ambas com regulagem na pré-carga. A ER-6n usa a mesma configuração , só que com um pouco mais de curso (125 mm na dianteira e 135 mm na traseira) e regulagem de pré-carga só na traseira.

Diante de tantas semelhanças, uma diferença mais significativa está no funcionamento do motor, embora as especificações sejam (de novo) muito parecidas. Com 649 cm³, o da Kawa gera 72,1 cv de potência (8.500 rpm) e 6,5 kgfm de torque (7.000 giros); o da Gladius tem 645 cm³ e atinge 72 cv (8.400 rotações) e 6,52 kgfm (6.400 giros).

O ponto forte das duas unidades é o torque em baixas rotações, mas é preciso ter paciência e uma longa reta para alcançar as máximas, próximas a 215 km/h. 

  • Doni Castilho/Infomoto

    Com linhas angulosas e posição de pilotagem um pouco mais deitada, Kawasaki ER-6n dá sensação um pouco mais esportiva que sua rival

O propulsor da Suzuki se destaca pelo rodar mais suave e forte nas rotações baixas, além do câmbio com engates macios e precisos. Já a rival é mais explosiva e áspera, gerando ruídos e vibrações em maior intensidade. A transmissão também é dura e mais barulhenta na hora de trocar as marchas.

No consumo, mais equivalência: a ER-6n alcançou 18,5 km/l na estrada, contra 18,2 km/l da Gladius. Na cidade, as posições se invertem: 20,2 km/l para a Suzuki e 19,8 km/l para a Kawa. Como o tanque da ER-6n é 1,5 litro maior (16 litros), ela ganha mais um ponto em autonomia.

E A VENCEDORA É...
Este é, sem dúvidas, um dos comparativos mais parelhos já realizados. Se for necessário escolher uma vencedora, será a Kawasaki ER-6n, especialmente por custar só R$ 490 a mais e dispor de freios com sistema ABS. Mas ambas são motos que cumprem suas propostas, sendo bem resolvidas, fáceis, divertidas e bonitas.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Carros

Topo